PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

BANDEIRANTE DA FOLIA

BANDEIRANTE DA FOLIA


PRESIDENTE Thiago Morganti
CARNAVALESCOS Alan Dias e Yuri Aguiar
INTÉRPRETE  Evandro Malandro
CORES Preto, Branco e Ouro
CIDADE-SEDE São Paulo-SP
SÍMBOLO Bandeirante

O G.R.E.S.V. Bandeirante da Folia desponta dentre as agremiações virtuais, trazendo em seu pavilhão, a figura de um bravo Bandeirante. Este, que representa a força e a história paulistana. Suas cores são o preto, da nobreza, o branco da paz e o ouro do luxo e riqueza. Sua sede se localiza no bairro da Aclimação, na Zona Sul da Capital Paulista.

Assim como o símbolo da escola, a agremiação pretende resgatar o espírito do samba paulistano, mesclado com a diversidade cultural buscado em cada desfile. E, como sua madrinha, o G.R.E.S.V. Imperatriz Paulista, a escola tem o luxo e a ousadia como características em seus desfiles.

Ano

Enredo

Colocação

2016 Luzes da Ribalta -º (Especial)
2015 Fantástico 5º (Especial)
2014 Branca de Neve e os Sete Anões no Protesto da Vizinha 2º (Especial)
2013 Sorria - De Drummond para Chaplin, uma Carta ao Homem do Povo 1º (Especial)
2012 Índios 11º (Especial)
2011 Idéias que melhoram nossas vidas - Inventar é bom... Eu agarântio! 3º (Especial)
2010 Com Esporão e Bico de Aço, o Rei do Terreiro chegou!
7º (Especial)

2009

Ara Ayé - O Sonho de Olodumaré

1º (Acesso)

2008

Contos e Cantos - Rondônia, Sagrado Coração dos Guaporés

7º (CAESV)

ENREDO 2016

Luzes da Ribalta



Esta é a última sessão do Cinema Bandeirante.

Lá está o velho Vagabundo, que tanto nos fez sorrir. O Vagabundo foi o palhaço moderno, o último de uma longa linhagem que veio dos pierrôts e de seu amor pela Colombina.

Mas agora, o Vagabundo é apenas uma sombra do seu passado, triste e decadente. Chaplin, em 1952, reviveu o amor de pierrot e colombina através de um de seus trabalhos mais tocantes – as Luzes da Ribalta (Limelight, 1952). Nele, o Vagabundo salva a bailarina da morte, e faz com que ela volte a dançar e a brilhar, enquanto ele mergulha no desencanto e no insucesso.

Agora, ele está lá, sozinho, lembrando sua história naquela sessão de cinema, como nós da Bandeirante. Nós, que fizemos nove carnavais, e conquistamos a glória máxima justamente ao lado dele. Mas chegou a hora de deixar o palco. Não sem antes uma apresentação triunfal.

Não nos entregaremos! Enchamos o coração dos Guaporés de vida. Façamos novamente o sonho de Olodumaré ser real! Em nosso bico de aço reinventaremos os donos da terra mais uma vez, para que o nosso sorriso seja eterno e esse nosso protesto, fantástico!

E assim nos juntaremos às grandes campeãs do passado, União do Samba Brasileiro, Princesa da Zona Norte e Rainha Negra, para quem sabe um dia, voltar aos palcos com a cabeça erguida de quem fez tudo pela LIESV e por este grande espetáculo carnavalesco.

Obrigado aos que fizeram parte de nossa história.
 
Sorria, embora seu coração esteja doendo
Sorria, mesmo que ele esteja partido
Charles Chaplin

Texto e Autor: Carlos Yuri