PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

UNIDOS DA VILA SANTA TEREZA

UNIDOS DA VILA SANTA TEREZA


FUNDAÇÃO  20/12/56
CORES  Azul e Branco
QUADRA  Rua Ururaí, 365
Coelho Neto
Telefone: 3452-7594
Fax: 3452-7594
SÍMBOLO Águia

RESULTADOS - SAMBAS-ENREDO

HISTÓRICO

Sendo localizada no bairro de Coelho Neto, mais precisamente na comunidade que dá o nome a escola, sendo as vezes, chamada de Unidos de Vila Santa Tereza, porém essa denominação não é oficial.

A Unidos da Vila Santa Tereza surgiu de um bloco carnavalesco de Coelho Neto e Honório Gurgel. Seus fundadores foram Procópio Caetano, Jordelino Pereira da Rocha, Jorge Ferreira Martins, Sebastião Ferreira Martins, José Domingos Machado, Venâncio Pinheiro, Almir Fernandes e João Pereira Leite, José Ferreira,entre outros Hoje disputa os grupos menores sem grande destaque.

A escola conquistou apenas dois títulos: o do Grupo 2-B, no carnaval de 1982, e o do Grupo C de 2011, que lhe deu o direito de desfilar na Sapucaí a partir de 2012. Porém, a apresentação da Santa Tereza na Passarela do Samba em 2013 foi trágica. Com a bateria e passistas sem fantasia, o rebaixamento na última colocação foi inevitável. Em 2015, a escola se envolveu em outra polêmica, ao trocar o samba-enredo vencedor depois da final do concurso interno. Foi rebaixada para o Grupo C, onde está desde 2016.

RESULTADOS DA ESCOLA

1960 - 17ª no Grupo 3
Enredo não disponível

1961 - 7ª 
no Grupo 3
Os Inconfidentes

1962 - 10ª 
no Grupo 3
Felipe dos Santos

1963 - 16ª 
no Grupo 3
Caçadores de Esmeraldas
    
1964 - 2ª 
no Grupo 3
Y Juca Pyrama

1965 - 15ª 
no Grupo 2
Rio Antigo

1966 - 19ª 
no Grupo 3
Das Bandeiras ao Garimpo

1967 - 4ª
no Grupo 3
Reminiscências Afro-Brasileiras

1968 - 7ª 
no Grupo 3
Homenagem ao Samba
    
1969 - 7ª 
no Grupo 3
Heróis dos Guararapes

1970 - 6ª 
no Grupo 3
Riquezas e Maravilhas do Brasil

1971 - 2ª 
no Grupo 3
Origem do Samba

1972 - 16ª 
no Grupo 2
Heróis da Liberdade

1973 - 4ª 
no Grupo 3
Em Outros Carnavais Era Assim

1974 - 16ª
no Grupo 2
Primavera, Estação das Flores

1975 - 14ª
no Grupo 2
Acaiaca, Esplendor do Tijuco

1976 - 20ª 
no Grupo 2
Ídolos do rádio brasileiro

1977 - 10ª 
no Grupo 3
Dalva de Oliveira

1978 - 9ª 
no Grupo 3
45 anos do Reinado de Momo
Carnavalesco: Boreo

1979 - 11ª 
no Grupo 2B
Os índios e seus deuses

1980 - 4ª 
no Grupo 2B
Congregação dos Sambistas

1981 - 7ª 
no Grupo 2B
O samba tem alma, poesia e amor

1982 - 1ª 
no Grupo 2B
Ataulfo, Acadêmico, mas Imortal

1983 - 10ª 
no Grupo 2A
Um Talento na História, Jackson do Pandeiro

1984 - 7ª 
no Grupo 2A
No meu Tempo de Criança

1985 - 5ª 
no Grupo 2A
Coroação da Rainha Ginga

1986 - 7ª 
no Grupo 2A
Tá nas Praças

1987 - 11ª 
no Grupo 3
Reminiscências Carnavalescas

1988 - 4ª 
no Grupo 4
Villa-Lobos

1989 - 2ª 
no Grupo 4
De um País Tropical, a Vila vem de Jorge Ben

1990 - 8ª 
no Grupo B
A Beleza da Vila, com Paulinho da Viola, a Poesia

1991 - 11ª 
no Grupo B
Palmas para mim que eu mereço
Jordey de Paula e Oscar Alcântara

1992 - 9ª 
no Grupo B
Portela e Império Encantam Madureira

1993 - 12ª 
no Grupo B
O Que é Que o Negro Tem

1994 - 12ª 
no Grupo C
O Coração do Mundo do Samba

1995 - 3ª 
no Grupo D
As Sete Cores do Arco-íris

1996 - 5ª 
no Grupo D
Maria Augusta, é Mestra, é Sorte, é Carnaval

1997 - 4ª 
no Grupo D
O Oráculo Sagrado de Atlântida

1998 - 6ª 
no Grupo D
Vila Santa Tereza nas Terras do Maranhão
Zezinho de Oiá

1999 - 6ª 
no Grupo D
Santa Teresa Voando nas Asas da Beija-Flor
Luiz Cavalcante

2000 - 6ª 
no Grupo D
Riquezas Mil do Amado Brasil
Cidinho

2001 - 4ª 
no Grupo D
Palmares, a Festa da Liberdade
João Carlos

2002 - 4ª 
no Grupo D
Nas Asas da Ilusão, Deixei Viajar meu Coração
Comissão de Carnaval

2003 - 11ª 
no Grupo D
Os Sete Pecados Capitais, a Cor e o Pecado
João Carlos

2004 - 6ª 
no Grupo E
Na Ginga do Samba, 70 Anos de Associação

2005 - 5ª 
no Grupo E
Max Lopes, na magia da criação

2006 - 3ª 
no Grupo E
Que comédia é essa?
Sérgio Marcelo

2007 - 2ª 
no Grupo E
50 anos de glórias, a Vila canta e conta a sua história
Sandro Gomes

2008 - 9ª 
no Grupo D
Os suburbanistas
Comissão de Carnaval

2009 - 2ª 
no Grupo D
Pindorama, o nascimento do Brasil
Sandro Gomes

2010 - 8ª 
no Grupo C
Que rei sou eu? Do castelo real à corte do carnaval
Luiz de Oliveira

2011 - 1ª do Grupo C
Amazônia – Memórias da floresta de coração verde
Sandro Gomes

2012 - 7ª do Grupo B
A Vila na magia dos brinquedos
Alexandre Rangel e Raphael Torres

2013 - 19ª do Grupo A
Axé - No caminho das águas sagradas
Guilherme Alexandre

2014 - 9ª do Grupo B
Ururaí
Sandro Gomes

2015 - 15ª do Grupo B
Aquarela Negra de Debret
Marcus Ferreira

2016 - 9ª do Grupo C
Podem aplaudir, a Vila vai passar... São 60 anos de história para contar!
Plínio Santos

2017 - 8ª do Grupo C
Abradacabra
Plínio Santos

SAMBAS-ENREDO

1972

 

Enredo: Heróis da Liberdade

Autor(es): Juca e Ercílio

 

Larara larara...

Brasil oh Brasil
Tua história, tua glória
O solo é um tesouro
Que representa o ouro
Do nosso querido Brasil
Onde muitos sangue
Derramaram pelo chão
Em defesa de nossa nação
Araribóia, que o negro Henrique Dias
Tibiriçá, pelo Brasil ajudou a lutar
O imperador Dom Pedro I que confiou
Um dia a liberdade raiou

Liberdade, liberdade (bis)
Diziam os brasileiros de boa vontade

Larara larara...

Glória a Vidal de Negreiros
Antonio Felipe Camarão
Que lutaram e tombaram
Em defesa da nossa nação

Todos defendiam sua sorte (bis)
Independência ou morte

'

1976

 

Enredo: Ídolos do Rádio Brasileiro

Autor(es): Carlinhos, Eráclito e Juca

 

Passado, presente de glória
A Vila de Santa Teresa vem apresentar
Na passarela colorida
Os grandes astros do passado

Gigante da comunicação
O nosso rádio brasileiro (bis)
Palco das mais belas atrações

Parabéns à radiofonia brasileira
Que construiu astros e estrelas
Na música, na música
Mitos de grande valor
Locutores e humoristas
Grandes artistas
Que o rádio consagrou
Papéis picados pelo chão
Flores jogadas pelos ares
Fãs-clubes com alegria
Aplaudiram a sua soberania
(no passado) 

'

1979

 

Enredo: Os Índios e seus Deuses

Autor(es): ????

 

Arerê, arerê
Lá no meio da floresta (bis)
Estava o saci-pererê

Quando a lua prateada
A terra iluminava
Os índios faziam louvação
Em oferenda a Jaci, a deusa-lua
Por quem tinham grande adoração
E prosseguindo o ritual
Viram outros deuses mais
Com muita fé
Como Rudá, o deus do amor
Guaraci, o deus do sol
E o feiticeiro Pajé

Em noites claras
Das águas, entoavam uma canção
Iara enfeitiçava lagos e rios (bis)
Fascinando os navegantes
Com magia e sedução

Arerê, arerê
Lá no meio da floresta (bis)
Estava o saci-pererê

A índia Paraguaçu
Exibia uma beleza irradiante
Felipe Camarão, Caramuru
Araribóia, personagens importantes
Os índios com seu Deus em rituais
A Vila traz para este carnaval

'

1981

 

Enredo: O Samba tem Alma, Poesia e Amor

Autor(es): Mindo, Chicão e Ala de Compositores

Este ritmo de origem africana
Nas cadeiras das baianas
É sensacional ele surgiu
Tornou-se uma grandeza
A Vila Santa Teresa
Traz pra este carnaval
Veio da Bahia
Para o Rio de Janeiro
Purificar-se e alegrar
Nossos terreiros
Ao som dos tambores
Tamborins, pandeiros
E ganzás é contagiante
E faz o nosso povo
Requebrar

O samba tem alma, poesia e coração
Quando é feito com amor (bis)
Levanta poeira do chão

O carioca ginga o corpo
E faz no pé
Gosta de pagode bom
Quando tem muita mulher
Velhos e moços
Mergulham na folia
Meu avô sempre contava
Como era na Bahia

Era bebedeira, roda de pernada
Samba batido na mão
Capoeira e umbigada (bis)
O samba tem alma poesia e coração
Quando é feito com amor
Levanta poeira no chão

'

2011

 

Enredo: Amazônia – Memórias da floresta de coração verde 

Autor(es): Ivanisia, Allexandre Valle, Wander Timbalada, J. do Taxi, Girão e Igor Sorriso

Meu nome é resistência
Verde é meu coração
Clamo pela consciência
É hora do planeta respeitar o seu pulmão
Em meus rios impera a cobiça
Na raiz a ambição e o vil metal
Mulheres guerreiras, defendam meu povo
Na luta contra o fogo do mal

Tão lindo é o canto dos uirapurus
Resistem macacos e pirarucus (bis)
Fauna, flora, poesia, arrebol
Há esperança ao nascer do sol!

Quem traz enfim, a receita de viver
Em cada tempero, um saber
É o povo nativo desse chão
Índios em plena harmonia
Em sintonia com as leis da criação
Lendas,mistérios e segredos
Nesse enredo vou te revelar
Iara em seu cantar me garantiu
Um futuro caprichoso pro paraíso verde do Brasil

A Vila semeia a mais pura energia
Minha floresta virou carnaval
(bis)
Rufando os tambores anuncia
Santa Tereza é equilíbrio ambiental

2012

'

Enredo: A Vila na magia dos brinquedos
Autores: Claudio Russo, Victor Rangel, Beto Veneno, Vinícius Ferreira, Rafael Gigante, Carlos Ferreira, André Malheiros, P.C.Teixeira, J.B. Miúda, Fia, Chico Sepetiba e Paulinho Cacuia

'

Vamos vestir a fantasia
E mergulhar na imaginação
Onde tudo é brincadeira, num fascinio e sedução
Levado por cavalos alados
A fábrica de sonhos viajei
A criançada encontrei com inocência a brincar
Na terra gira o pião, a pipa baila no ar
Nesse painel carrossel de ilusão
Em cada caixinha uma surpresa
O herói sempre vence o vilão

A bola rola... mais um gol
A alegria...
Dá um show
(bis)
Desde pequeno essa paixão verdadeira
A minha Vila hoje é brincadeira

Teatro recriando a vida
Emoção que faz aprender
Uma boneca pra ninar
Quebra-cabeça a decifrar
Um tabuleiro de conquistas
Venci, reinventei meu desafio
Uma nova fase a superar
Esse jogo é felicidade
O sonho não vai acabar

Hoje eu quero brincar, amor
Sou Santa Tereza
(bis)
Encantar seu coração
Aperte o play da diversão

2013

Enredo: O Caminho das Águas Sagradas
Autores: Carlos Ferreira, Rafael Gigante, Robert Farrow e Vinicius Ferreira, Victor Rangel e Tiãozinho Cruz

África
Terra abençoada, vamos viajar
Axé sabedoria para caminhar
Nos búzios a maldade foi se revelar
Segue Oxalá obstinado vai cumprir sua missão
Exu tentou tornar em vão
No engano a prisão
O mal a condenar fez padecer (Oyó)
Sete anos de dor
Até Babalawo esclarecer

Enfim Xangô foi pedir perdão
E ao grande pai libertar (bis)
Na purificação destino consagrar

Nas águas da escravidão
O povo africano sem paz
A “Barca da Maldição” aporta em novo cais
Raça que se fez brotar
Forja com dor neste chão
O templo da oração é alento pra quem rezar
A lavagem do Bonfim
Varre o mal que há de ser
Sentimento fluir, gratidão faz aprender
Que a felicidade hoje é o nosso lugar
No meu andor levo amor e bondade
O bem a quem amar

Na proteção do rei maior eu peço axé
Santa Tereza desfilando sua fé (bis)
É minha Vila a emocionar
Nessa avenida salve as águas de Oxalá

2015

Enredo: Aquarela Negra de Debret
Compositores: Rafael Gigante, Franck Tavares, Vinicius Ferreira e Rodrigo Poesia

Novo destino
Oh, terra amada lá vou eu
Ao desconhecido
Deixando a lágrima rolar
Colorindo o amor
Tropical beleza
Me fascinou, inspiração por "natureza"

Tem flores pra sinhá
Quem vai querer comprar
As iguarias que adoçam o paladar (bis)
"Em canto" adoração
Mistérios da Fé
Amém, saravá, axé!

"Liberto" em meus pincéis
A "alma" de um país
Lindo matiz
Negro é o retrato da coragem
De quem nasceu pra ser feliz
No tom da saudade, na tela do meu coração
Levo essa pátria mãe gentil
Quem dera, meu Deus, que na França
Tivesse os "encantos" do Brasil

A Vila é o amor da minha vida
Pintando a Avenida à francesa
(bis)
Sou debret, minha aquarela é você
Oh, Vila Santa Tereza!

2017

Enredo: Abracadabra
Compositores: Thiago Brito, Carlinho do Ajax, Amaro Poeta Renan Diniz e Serginho Castro

Voei nas asas da Águia Guerreira
Não é brincadeira
A Vila vem mostrar sua magia
Na fantasia o encanto de sambar
Mistérios que pairam no ar
A guerra do bem contra o mal
Em um ritual de feitiçaria
Seduz o olhar, a todos fascinam
Com truque, sedução, confete e serpentina
Tudo vai acontecer
Pode acreditar

Hoje tem palhaçada a noite inteira
Gira bailarina, brinca de porta bandeira
(bis)
Saiu da cartola o amor verdadeiro
A águia voou pelo picadeiro

Na mão a cartada da sorte
É pra quem pode, quem vai adivinhar?
Na tela, a inspiração
Espelho que reflete a paixão
É bem assim: num simples toque de pirlimpimpim
Enfeitiçou e para o mundo encantado nos levou
Hoje, entre a fumaça vejo a emoção
Nos olhos o seu desejo de ser campeão
Acreditar! Pro nosso sonho ser perfeito
Chegou a hora não tem jeito
Quero ver me segurar

Abracadabra! Ganhei seu coração
Num sonho encantado me fiz campeão
(bis)
Pintou magia no ar: é minha Vila a passar
De azul e branco tem que respeitar