PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

ROYCE DO CAVACO

ROYCE DO CAVACO

       

   

                Nome Completo: Royce Todoverto

                

                Ano de nascimento: 1961

  

                                                                     

   
Intensamente ligada ao carnaval paulistano, passou a fazer parte do mundo do samba ainda jovem, quando tocava seu cavaco nas rodas de samba formadas durante os jogos de futebol de várzea na capital paulista, acompanhando os irmãos. Dessa forma, conheceu muitos nomes nas escolas de samba Mocidade Alegre e Rosas de Ouro, passando a frequentar esta última e a integrar a ala de compositores. No entanto, passou a ter destaque um pouco mais tarde, quando venceu sua primeira composição de samba-enredo na Águia de Ouro em 1982, sendo também o intérprete da agremiação naquele mesmo ano. Em 1983 tornou-se intérprete oficial da Rosas de Ouro, onde permaneceu até 1994. Depois foi para a X-9 Paulistana, e lá foi campeão duas vezes (1997 e 2000).

Como compositor, Royce foi autor de muitos sambas-enredo, sendo cinco deles para a Águia de Ouro, entre 1982 e 1986, período em que esteve na agremiação da Vila Pompéia (esteve por lá também em 1993 como intérprete) e também na Rosas e em outras agremiações, como a Juventude Alegre, de Piraju, onde teve vários sambas-enredo de sua autoria (o último samba-enredo vencedor do músico no carnaval paulistano foi o de 2003, na X-9). Ganhou o Prêmio Nota 10 (entregue pelo jornal Diário de São Paulo aos melhores do Carnaval Paulistano) de Melhor Intérprete nos anos de 2006 e 2009.

Royce é um dos intérpretes de samba-enredo que optou pela carreira de cantor profissional e pode ser visto fazendo apresentações o ano todo. Tem um estilo inconfundível, e possui em seu trabalho a influência do samba carioca sem perder a tradição de sua terra. E foi fazendo carreira solo que conseguiu projetar sua imagem em todo o Brasil. Royce gravou seu primeiro disco no ano de 1988, após ter conquistado o segundo lugar em um concurso de pagode promovido pela Rádio Manchete um ano antes. Seu primeiro sucesso foi a música Fora de Ocasião, que lhe rendeu o Prêmio Sharp de Melhor Revelação Masculina.

Mas seu maior sucesso até hoje na mídia foi a música Frente a Frente, que ficou seis meses nas primeiras colocações das rádios. Foi nessa ocasião que o músico atingiu o auge de sua carreira, na segunda metade da década de 1990, quando chegou a gravar quatro álbuns consecutivamente (1994 a 1997).

Também já compôs alguns sucessos, entre eles Dádiva de Deus, Coisa do Destino, Ter e Não Ter e Receio, ao lado do amigo e também compositor Sidnei Castello Branco, o Sidão.

Paralelamente à função de intérprete, depois de mais de quatro anos sem gravar, em 2006 lançou mais um álbum, o nono de sua carreira, cuja música de trabalho é o sucesso Não é Hora Prá Chorar. Em agosto de 2009, lançou a música Lição de Amor, tema do personagem Clemente, do ator Bemvindo Sequeira, na novela Bela, a Feia. A canção é a primeira do artista incluída em uma trilha sonora de novela. Retornou em 2012 à X-9 Paulistana. Em 2011, estreou no carnaval virtual defendendo a Camisa 10 na LIESV. Em 2015, cantou o samba da Imperatriz Paulista.

Em 2017, depois de mais de duas décadas, retornou à Rosas de Ouro, onde começou a carreira.
 
INÍCIO: Rosas de Ouro e Águia de Ouro, no inicio dos anos 80
Primeiro ano como intérprete oficial: 1983, pela Rosas de Ouro 
1982-1986 - Águia de Ouro (Grupo 2)
1983-1994 - Rosas de Ouro
1990 - Império Serrano (apoio de Tico do Gato)
1993 - Águia de Ouro (Grupo 2)
1995-2005 - X-9 Paulistana
2000 - Pérola Negra (Grupo de Acesso)
2000 - Flor de Liz (Bloco - Especial)
2001 - Império de Casa Verde (Grupo de Acesso)
2001 - Camisa 12 (Grupo 1)
2006 - Tom Maior
2007 a 2010 - Nenê de Vila Matilde
2008 - Unidos do Lavapés (Grupo 2)
2010 - Acadêmicos do Tatuapé (Grupo 1)
2011 - Camisa 10 (carnaval virtual)
2012 a 2016 - X-9 Paulistana
2015 - Imperatriz Paulista (carnaval virtual)
Desde 2017 - Rosas de Ouro

GRITO DE GUERRA: Varia de acordo com a escola. Costuma usar a região de origem da agremiação, as cores do pavilhão ou a comunidade para iniciar o grito e o final permanece inalterado, com "canta, canta (cita o nome da escola)".

GRITOS DE EMPOLGAÇÃO: Costuma fazer a chamada com a primeira palavra dos versos das estrofes dos sambas, além de ter outros gritos, como "outra vez" (quando pede para repetir um refrão); cita os nomes importantes da escola, como presidente, mestre de bateria, alas ou baluartes de renome. 

CACOS CARACTERÍSTICOS: Entre os principais, aparecem "lindo, lindo, lindo", "meu Deus do céu" e "vamos lá (cita o nome da escola em algumas ocasiões)"

Sambas de sua autoria: "A Viagem Encantada Ao reino da Fantasia" (Águia de Ouro/1982); "Na Fantasia da Ilusão a Ilusão da Fantasia" (Águia de Ouro/1983, com os irmãos Sérgio e Ênio); "Mil vidas, o Teatro através dos Tempos" (Águia de Ouro/1984); "Vadico, o Parceiro Esquecido" (Águia de Ouro/1985); "Assim Falou Juca Pato" (Águia de Ouro/1986); "Ainá no Reino de Baobá" (Rosas de Ouro/1982, com os irmãos Sérgio e Ênio); "Uma Boa Idéia" (Rosas de Ouro/1985, com Vino); "Cem Anos Depois" (Rosas de Ouro/1986); "São Paulo, Seu Povo, Sua Gente" (Rosas de Ouro/1987, com Baianinho); "Vera Cruz a vedete dos anos 60" (Rosas de Ouro/1989, com Dom Marcos); "Amazônia, a Dama do Universo" (X-9, 1997, com Jambinho e Marcelo Casa Nossa); "Pi, Iê, Rê, Jeribatiba ou Pinheiros, A Deusa dos Rios Clama Pela Preservação: Se Ele Muda o Curso, Pode Mudar Sua História" (X-9, 2003, com Edson Dino e Leo do Cavaco).

Troféu Nota 10: 2 (2006 e 2009)

Prêmio Sambario: 2011

Discografia: 
· 1988 – Nova Manhã
· 1990 – Coração Feito Menino
· 1992 – A Saudade Dói
· 1994 – Ter e Não Ter
· 1995 – Frente a Frente
· 1996 – Meu Coração é Teu
· 1997 – Atração Fatal
· 2001 – O Som Brasileiro
· 2006 – Da Magia da Avenida aos Palcos da Vida


MAIS FOTOS DE ROYCE DO CAVACO


Em 2008,
no ensaio da Nenê


No desfile de 2008 da escola de Vila Matilde


Com Celsinho, em 2008


Com Nêgo em 1996

Voltar à seção Intérpretes