PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

ROGERINHO

ROGERINHO

           

 

 

 

 

        Nome completo: Rogério Teodoro da Silva

 

 

 

 

        Ano de nascimento: 1967

           

                                                                     

   
Desde criança, Rogerinho começou a tocar na bateria da Em Cima da Hora. Nascido e criado no berço da escola, no bairro de Cavalcante, o jovem Rogerinho começou logo em seguida a defender sambas nas disputas da agremiação. Sua voz forte, carisma e animação no jeito de cantar fisgaram diretores da Portela, que o levaram para Madureira no início dos anos 90, para ser apoio de Dedé. Em 1995, esteve na Arrastão de Cascadura. Junto com Anderson Paz, fez parte do grupo de apoio que acompanhou Edmilson Villas, que substituiu Rixxa na escola quando este se transferiu para a Portela.

A estréia de Rogerinho como voz principal ocorreu no ano seguinte, na Em Cima da Hora, ao levar "Iara cigana, canta, dança e toca. É Rio, é rua, é carioca". Mesmo na ECDH, o cantor manteve-se no carro de som portelense. Com a saída do Pavarotti do Samba, em 1997, Rogerinho foi alçado naturalmente como intérprete principal da Portela.

Em 2000, tornou evangélico, passou a se dedicar aos caminhos da fé e se afastou do carnaval. A retomada da carreira no samba aconteceu em 2004, ao receber um convite para integrar o grupo de apoio de Nêgo, no Império Serrano, quando a Serrinha reeditou o mitológico "Aquarela Brasileira", de Silas de Oliveira.

Em 2005, Rogerinho aceitou o desafio de defender a emergente Renascer de Jacarepaguá, que estava chegando ao Grupo A, após uma carreira meteórica nos grupos inferiores. Foi imediata a identificação da escola, que o cantor passou a adotar a denominação Rogerinho Renascer.

Para Rogerinho, a interpretação de "Os olhos da noite", na sua estréia na Portela em 1998, foi o seu melhor momento na Sapucaí até hoje. "Tudo deu certo naquele dia. Os componentes e o público cantaram o samba, a escola não venceu, mas passou linda na avenida", afirma. Rixxa é apontado pelo cantor como uma espécie de ídolo e mentor. Entre os cantores da nova geração, Rogerinho tece rasgados elogios ao amigo Tinga. "Será um dos grandes intérpretes do carnaval", destaca.

Rogerinho é casado há mais 20 anos. Tanto esposa quanto a filha pertencem à Igreja Universal, mas a opção religiosa não é barreira e a família dá força para a carreira do músico. Rogerinho é vigilante de profissão e adora cantar nas quadras, na avenida ou em shows. Em 2011, estreou no carnaval virtual da LIESV defendendo a Sereno de Cachoeiro.

Depois do desfile de 2013, Rogerinho anunciou seu desligamento da Renascer após nove carnavais frente à escola. 15 anos depois, retornou à Portela como apoio de Wantuir, cantando também ao lado de Rixxa. Deixou a Águia pouco antes do desfile de 2015, integrando o carro de som de Pixulé na Império da Tijuca. Depois daquele Carnaval, foi confirmado como o novo cantor da escola do Morro da Formiga, onde ficou até 2017.


 Início: Em Cima da Hora desde pequeno e Portela, em 91.
Primeiro ano como intérprete oficial: 1996 (Em Cima da Hora)
1991 a 1997 - Portela (apoio de Dedé e Rixxa)
1995 - Arrastão de Cascadura (apoio de Edmilson Villas) - Grupo A
1996 e 1997 - Em Cima da Hora (cantor principal)
1998 e 1999 - Portela (cantor principal)
2004 - Império Serrano (apoio de Nêgo)
2005 a 2013 - Renascer de Jacarepaguá (cantor principal)
2006 - Inocentes de Belford Roxo (apoio de Tem-Tem) - Grupo B
2011 - Sereno de Cachoeiro (LIESV)
2014 - Portela (apoio de Wantuir)
2015 - Império da Tijuca (apoio de Pixulé)
2016 e 2017 - Império da Tijuca (cantor principal, em 2017 dividiu o posto com Daniel Silva)

GRITO DE GUERRA: Alô, Jacarepaguá, vem comigo. A Renascer é só alegria! Graças a Deus!

GRITOS DE EMPOLGAÇÃO: "tira onda, bateria"; "vamos lá bateria", "tá direito, tá direito"; "é isso aí, é isso aí", "vamos lá vamos lá"; "tá bonito, tá bonito"; "vamos girar, minhas baianas".

SAMBAS DE SUA AUTORIA: "A sombra da ilusão, uma fantasia brasileira" (Em Cima da Hora/1992, com Robson Lima); "Sérgio Cabral, a cara do Rio" (ECDH/1997, com Cláudio Russo, Antonio Nick e Paulo Cara Feia).

MAIS FOTOS DE ROGERINHO


Auxiliando o canto de Tem-Tem (de vermelho) no desfile da Inocentes em 2006