PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

RENASCER DE JACAREPAGUÁ

RENASCER DE JACAREPAGUÁ

FUNDAÇÃO  02/08/92
CORES  Vermelho e Branco
QUADRA  Av. Nelson Cardoso, 82
Tanque
Jacarepaguá
Telefone: 2423-5298
Fax: 2420-2947
BARRACÃO  Av. Professor Pereira Reis, 36
Gamboa

 

RESULTADOS - SAMBAS-ENREDO

 

HISTÓRICO

 

A Renascer de Jacarepaguá é oriunda do famoso Bloco Carnavalesco Bafo do Bode (fundado em 1958) e é uma das várias escolas do bairro de Jacarepaguá. Juntamente com ela temos a União de Jacarepaguá, a Mocidade Unida de Jacarepaguá e a União do Parque Curicica. Todas essas escolas travam uma disputa pelos componentes da comunidade.


A Renascer, sendo uma escola nova, nunca participou dos desfiles do Grupo Especial. Vice-campeã do Grupo B em 2004, vem permanecendo no Grupo de Acesso A. Em 2005, terminou na oitava colocação. Melhor estruturada, a escola fez um desfile luxuoso no carnaval seguinte, já sonhando com o Primeiro Grupo. Melhorou consideravelmente em relação ao ano anterior, obtendo a quinta posição. Em 2007, terminou em sexto. Melhorou no carnaval seguinte com a quarta colocação. Em 2009, conquistou um vice-campeonato do Grupo A, sua melhor colocação até então.

'

A glória viria em 2011. Com o enredo "Águas de Março", a LESGA concedeu à Renascer o inédito título de campeã do Grupo A e o direito de desfilar no Grupo Especial em 2012. Foi a primeira vez que uma escola de Jacarepaguá desfilou entre as grandes desde o longínquo ano de 1965, última vez em que a vizinha União se apresentou no Primeiro Grupo. No entanto, o enredo sobre a obra de Romero Brito não foi suficiente pra evitar o rebaixamento e o retorno ao Grupo de Acesso. Desde então, segue na Série A apresentando uma série de grandes sambas-enredo desde 2014, quando passou a encomendar as obras para os compositores Moacyr Luz e Claudio Russo, contando também com as participações de Teresa Cristina e do intérprete oficial Diego Nicolau.

 

RESULTADOS DA ESCOLA

 

1993 - 6ª no Grupo SS 
Vamos Falar de Maria 

1994 - 3ª no Grupo SS 
Vamos Sambar que a Festa é Sua

1995 - 10ª no Grupo B 
Minha Terra tem Lagoas Onde Vivem os Jacarés 

1996 - 7ª no Grupo D 
Hoje tem Marmelada ! Hoje tem Alegria ! Hoje tem Carequinha ! 

1997 - 5ª no Grupo D 
Alegria, Alegria, o Carnaval é isso Aí ! 

1998 - 9ª no Grupo D 
Sol e Chuva, Casamento de Viúva 
Sérgio Kautzman e Armando Martins

1999 - 1ª no Grupo D 
A Saudade Mata a Gente, Morena 

2000 - 2ª no Grupo C 
O Início da História Com Certidões e Vitórias 
Sandro Gomes

2001 - 7ª no Grupo B 
Ousadia de um Homem a Frente do Seu Tempo - Nelson Carneiro 
Sandro Gomes


2002 - 8ª no Grupo B 
Dos Dias de Reis aos Contos Históricos nos 500 anos de Angra 
Sandro Gomes

2003 - 3ª no Grupo B 
Arré Égua! Hoje nós Vamos pras Comédias! 
Ricardo Costa, Wagner Gonçalves e Nelson Ricardo


2004 - 2ª no Grupo B 
A Riqueza da Criação em cada Canto desse Chão 
Sandro Gomes

 

2005 - 8ª no Grupo A 
Espelho, Espelho Meu!
Lane Santana

 

2006 - 5ª no Grupo A
A Divina Comédia Brasileira
Lane Santana

 

2007 - 6ª no Grupo A
Jacarepaguá - Fábrica de Sonhos
Comissão de Carnaval

 

2008 - 4ª no Grupo A
É chegado a Portugal o tempo de padecer, se te oprime à cruel França sorte melhor hás de ter

Sérgio Silva e Léo Moraes

f

2009 - 2ª no Grupo A
Como vai, vai bem? Veio a pé ou de trem?
Paulo Barros e Paulo Menezes

.

2010 - 8ª no Grupo A
Aquaticópolis
Paulo Barros e Wagner Gonçalves

.

2011 - 1ª no Grupo A
Águas de Março
Edson Pereira

.

2012 - 13ª no Grupo Especial
Romero Britto, o artista da alegria dá o tom na folia
Edson Pereira

.

2013 - 8ª na Série A
Rio, uma viagem alucinante
Comissão de Carnaval

.

2014 - 11ª na Série A
Olhar caricato. Simplesmente, Lan!
Marcus Ferreira

.

2015 - 9ª na Série A
Candeia! Manifesto ao povo em forma de arte!
Jorge Caribé

.

2016 - 8ª na Série A
Ibejís - Nas brincadeiras de criança: os orixás que viraram santos no Brasil
Jorge Caribé

.

2017 - 10ª na Série A
O Papel e o Mar
Raphael Torres e Alexandre Rangel

 

SAMBAS-ENREDO

 

2001 
Enredo: Ousadia de um homem à frente do seu tempo 
Compositores: Jorge Trivela, Maurício do Boné, Serginho Percussão, Helenir, Marcelinho e Chico Mé 

Foi uma vida de glória
De trajetória de Vitórias tão brilhantes
Nelson de Souza Carneiro
O homem modernizador
Um presente da Bahia
Do colo de São Salvador

Aceitando desafios
Fez por todas as idades (bis)
Pelas mulheres o direito de igualdade

Renascerá
Um sol mais justo
Para o povo brasileiro
Ai que saudade me dá
Sua ousadia, exemplo para o mundo inteiro
Defendendo a natureza
Visando o bem estar do amanhã
O ouro negro e o verde das matas
O sonho não se apagará
Lei do divórcio, sempre foi sua paixão
A estrela solitária conduziu seu coração

Vem também saudadear
Com Renascer vem sacudir (bis)
Quem nasceu para brilhar
Hoje vamos aplaudir 

2002 
Enredo: Dos dias de reis, aos contos históricos dos 500 anos de Angra 
Compositores: Melo, Gilmar, Gilberto e Ricardo 

É lindo
Te contemplar espelho d'água
Deságua os encantos sobre mim
Balneário de riquezas
Onde a natureza não tem fim, e assim
O índio lá na mata também viu
O aportar dos portugueses em dia de reis
O batizado se fez

A cobiça no olhar brilhou
Brilhou, brilhou
Loucos pra te conquistar (bis)
Aventureiros de além mar
Piratas e corsário, amor

Seu porto fez progresso no comércio do café
A festa do divino fortalece minha fé
Sambei seu carnaval de rua
Em noite de lua, eu vi assombração
É Angra, é magia, teu folclore é tradição
Eu vou me vestir de emoção
Ao ver a procissão marítima
Comemorar o Reveillon
No teu mar que me agita

Sacode, balança, quero amar você
Teu clima me faz Renascer (bis)
Parabéns, parabéns
500 anos de puro lazer 

2003 
Enredo: Arre égua! Hoje nós vamos pras comédias! 
Compositores: Leo Nunes, Silas Nascimento e Ailton 

Alegria, a gargalhada corre solta pelo ar
Hoje nós vamos pras comédias
Abram as cortinas, o show vai começar
Meu "Ceará moleque" amanheceu sorrindo
Cabeça chata quer rodar de bar em bar
Contar piada, sorrir, ver no teatro bonequinhos de cariri
Folclore em festas popular, reisado, boi-do-ceará
Pastoril, torém reflete a fauna do lugar
Brincadeira nas religiões
O oposto em suas manifestações
Sagrado, luxo e pobreza

Arre égua, anariê no arraiá
Cearense tá melado (bis)
A galera vai mangar

O grande Dragão do Mar
Acende a chama de talentos geniais
O cine mostra em festival, comédia tema principal
Partindo assim o retirante
Com artesanato e as lembranças
"Oiando a terra e o berço seu
Saudades na bagagem leva fé"
Assina a obra Patativa do Assaré

Jangadeiro, cabra macho pra danar
Renascer conta piada em homenagem ao Ceará (bis)
Humor, risadas em cordel
Sou cearense, a minha cultura sou fiel

2004 
Enredo: A riqueza da criação em cada canto deste chão 
Compositores: Aluísio Machado, Luisinho Oliveira, Jorge Lourinho, Alexandre Valle e Henrique Guerra 

Pra falar de artesanato
O seu retrato, meu Brasil, vou revelar
Nesta viagem fascinante
Sou poesia nessa festa popular
No norte, na madeira o corte
Traço forte na inspiração
Pinturas em geometria
Os Carajás com sua tradição

Meu Renascer é cultura, é paixão
É o brilho do artesão na passarela (bis)
Ação, reação, o povo feliz
Em cada canto desse meu país

No nordeste, o toque feminino a encantar
Olê, mulher rendeira, mulher rendá
Mestre Vitalino, a arte, o candomblé
A fibra, a vaidade no cangaço
Jangada não tem medo da maré
No Sul faz frio
Mas a imaginação aquece a vida
A fé, a devoção, é o sudeste em harmonia
Aonde a arquitetura barroca contagia
Presépio, feira hippie, sedução
Nossa riqueza é o poder da criação

A arte é destaque em todas as partes
Fascinação do Oiapoque ao Chuí (bis)
É Carnaval e o Renascer vai sacudir
Retratando a arte na Sapucaí

 

2005 

Enredo: Espelho, Espelho Meu! Reflete na Avenida a Magia de Quem Sou Eu 
Compositores: Jayme Cesar, Ivani Ramos, Ciganerey, Marcelo Silva, Nilson Castro, Julinho Cá, Jeffinho do Amaral

Me encantei

No espelho d'água
Vi a imagem refletida
Grega, bela apaixonante
A ti contemplo, oh, minha alma
Escravas, rainhas divinas
Do metal da natureza
De batalhas vencidas nos mares
À criatura que o bronze derrotou
Dos venezianos à França chegou
E para o mundo despontou 

É mito, é superstição, será
Na magia, astrologia, o espelho a encantar (bis)
Folclores e lendas no ar
Quebrar o espelho é azar, sei lá

No Reisado é um amuleto ao mau agouro ôô
Nos festejos à Iemanjá
Dou-te oferendas "Rainha do Mar"
Hoje a vaidade não tem idade
É reviver na felicidade
A alegria é geral
Vem, vou levantar o seu astral
É o reflexo do meu carnaval

De Jacarepaguá
Venho te conquistar, meu amor
O Sol que vai brilhar (bis)
Na luz do seu olhar
Renascer eu sou

(Mergulhei...)

2006
Enredo: A Divina Comédia Brasileira
Compositores: Cláudio Russo, Carlinhos do Cavaco, Julinho Cá e Jefinho do Amaral

Na selva imensidão
Escuridão, concreto armado
A infância na contramão
Malabarista do sinal fechado
Desassossego, desemprego e opressão
Quem taxa a renda é a mordida do leão
A loba é mãe da exploração faminta vil
Como é que pode faltar o pão no Brasil
Conheço as letras que vão me ilumiar
Vou aprendendo para um dia ensinar

Tá no poder, herói ou farsa
A esperança não venceu (bis)
Eu tenho medo desse mundo de trapaça
Vá pro inferno aquele que já se vendeu

Retorno à linda, é a vida afinal
Meu anjo me guia pra longe do mal
Nas ruas, emprego informal
Saúde doente, manchete em jornal
Chego ao paraíso
Libertado pela educação
Quatro dias de festa, me acabo
Ao povo o recado que há salvação

No país da ilusão, é carnaval
Vai rolar um bafafá (bis)
O Renascer coloca a lenha na fogueira
Deixa a comédia brasileira me levar

2007
Enredo: Jacarepaguá - Fábrica de Sonhos
Autore(s): Claudio Russo, Marquinhos, Flavinho, André e Carlinhos Detran

Murmura a poesia, me dê sua magia
Fábrica de sonhos
Terra de ousados, gênios inspirados
A você componho
Jacarepaguá, verde trajetória
Deixa eu trilhar, ver de perto a história
Hão de ficar seus valores
Bosques e flores pra gente amar
Perante a Deus, um rosário, a arte teceu
Na viagem do sonho, grade jamais o prendeu
Na roda gigante da vida, quintal da recordação
Corre criança querida, no carrossel da ilusão

Olha a onda, olha a onda
Eu tô na gandaia
Olha a barra da saia, baiana a girar (bis)
Em qualquer choupana
Alegria emana Jacarepaguá

É show a magia da televisão
Um mundo de cores, bastidores da emoção
Atleta, a meta é saber competir
Bandeiras unidas e um novo porvir
Vejo, enfim, a verdade me fortalecer
Liberdade é ter asas, voar, Renascer

Me leva, meu sonho, ao meu barracão
Eu hoje proponho gritar campeão (bis)
Chegou a hora, cola e madeira
O samba é de dar em doido, é pau pereira

2008
Enredo: É chegado a Portugal o tempo de padecer, se te oprimem a cruel França, sorte melhor hás de ter
Compositores: Adriano Cesário, Josemar, Teleco e Julião

Singrando os mares
Bailam caravelas portuguesas
Rumo às terras de além-mar
Aportou ao novo mundo a realeza
Seus mistérios e encantos
Paraíso de esplendor
No raiar de um novo dia
A esperança, o destino revelou

Expandi a cultura, dei novos ares
Ao comércio proferi a liberdade (bis)
Fiz do progresso, meu principal ideal
Assim surgia o patrimônio nacional

Gigante por natureza
Oh! Pátria amada idolatrada em aquarelas
Abri suas portas para a arte
É chegada à nova era
Batalhas, revoluções
O povo reinvidica as riquezas desse chão
Terei que partir, saudoso ao deixar
Um legado, uma realidade
Tu és meu Brasil, de eterno fulgor
Terra adorada, uma nação de amor

Meu Brasil querido
Tens um destino a cumprir (bis)
Tua história é minha herança
Meu orgulho, meu país

2009
Enredo: Como vai, vai bem? Veio a Pé ou veio de Trem
Compositores: Gabriel da Penha, Leandro Nogueira, Luiz Gustavo, Deco e Hélio Luna

Passo-a-passo, caminhei
Pelas estradas da história
E encontrei na trajetória
A essência de viver
Levei na bagagem
A coragem pra vencer
Andanças que a “fé” confortou
Distâncias que a roda encurtou
E o mundo se movimentou (e no mar)
Velas ao vento, são novos tempos
Mistério no olhar
Ao longe... O horizonte
E o prazer em desbravar

Lá vou eu, o infinito desvendar
Do mar, vi o céu (bis)
Do céu, vi o mar
No futuro, o que será?

Máquinas, tecnologia
Nas pistas, uma paixão que contagia
Corre nas veias superação
Testar limites, ser campeão
Motores da evolução
Vou desfilar... A bateria a me embalar
Viajar de alegoria... Que emoção!
De Jacarepaguá, eu vim sambar
E acelerar seu coração

Vai renascer a esperança
A confiança a me guiar (bis)
Sou peregrino, que não se cansa
Ao meu destino vou chegar

2010
Enredo: Aquaticópolis
Autores: Cláudio Russo, Adriano Cesário, Tinga, Fábio Costa e Beto Lima

Nas profundezas desse mar
Aqua-cidade da magia
Meu sonho vai se transformar
Buscando a hidro harmonia
Eu vou ao oceano da minha ilusão
Vai navegando o meu coração
Vencendo a bruma, na branca espuma
Corais, manto bordado no grande portal
Meu acalanto a caminho do cais
Brilha a sereia do meu carnaval

O tempo não para, como uma onda no mar
No espelho d'água, eu hoje vou me acabar (bis)
No horizonte de peixes minha paixão
A minha fonte de inspiração

Tormenta social
Corrente da ressaca de ambição
É tão desigual a maré da exclusão
A noite traz um show de cores que fascina
A concha faz um som que treme a marina
Embaixo dos lençóis a sedução
E a comunidade é abençoada
Pelo rei dos mares, assim embalada
Renova seus sonhos, renasce então
Na face de um folião

Sou Renascer de Jacarepaguá
As águas vão rolar é carnaval (bis)
Vem mergulhar nessa alegria
Eu quero ver banho de mar a fantasia

2011
Enredo: Águas de Março
Autores: Jayme César, Maurinho Valle, Di Bamba, Carlos Dias e André Kaballa

O amor... Que o ciúme fez chorar
Quando a montanha de Tupã aprisionou
A luz do dia como a lua desejou ô ô ô
O sol a tristeza no mar afogou
E da bela princesa Tupi
Em seu soluçar jorrou
Na serra o caminho das águas para a criação
Dos rios e cachoeiras em profusão
Na vida no campo desperta
Semeia um sonho e faz
Um novo tempo aflorar

Vem da casa grande um cheiro que é bom
Da terra molhada o café a brotar (bis)
Eu sou... Felicidade eu sou... Com esse clima a me levar

Do alto as nascentes e suas magias
A diversidade é tão natural
São oito cidades em plena harmonia
Formando um paraíso sem igual
Vou mergulhar... Nas corredeiras do meu lazer
O esporte faz a emoção da adrenalina em dimensão
As águas vão rolar e escorrer pelo chão
Pra nos abençoar trazendo purificação
E lava o meu corpo, transborda em minha alma
Oh! Natureza de um povo divinal
És a dona das águas que emergem em março
No meu carnaval

Na fonte da vida eu vou me banhar
Berço das águas vem saciar (bis)
A minha sede é tremenda, para a vitória chegar
Sou Renascer de Jacarepaguá

2012
Enredo: O Artista da Alegria dá o Tom na Folia
Autores: Cláudio Russo, Adriano Cesário, Fábio Costa e Isaac

Esse dom que faz o artista imortal
É luz do céu para pintar
A Renascer no carnaval
O faz buscar em cada cor o infinito
Acreditar, Romero Britto
Que Deus mora na inspiração
Em páginas, arte que viu
O inverso se abriu, presente de irmão
Contraste que se refletiu
Universo do artista, outra direção

Nas cores de sua aquarela
Valores brincando na tela (bis)
Aquele abraço desenhar
Gira o compasso, eu quero outra vez sambar

Sensibilidade, pop arte ao mundo espalhou
Sorrir é brilhar
Dar ao papel a emoção que seduz
Eu sei que a arte vai reinar
Tal qual as telas na cidade luz
Do alto do morro o Redentor abraça o gênio
Que hoje repinta esta cidade
Moleque, Recife é saudade
Há tantos meninos assim
Querendo um sonho
Na liberdade das cores sem fim

Pintor da alegria, calor da emoção
Pintou Renascer no meu coração (bis)
No tom da folia vou me apresentar
Na galeria Jacarepaguá

2013

Enredo: Rio, uma Viagem Alucinante
Autores: Gabriel da Penha, Leandro Nogueira, Luiz Gustavo, Deco e Igor do Cavaco

Deus, me dê asas para voar
Eu preciso enxergar
De cima, como é mais bela
Um paraíso na terra
Sua obra-prima singular
Raiou... O sol brilhando é diferente
O dia firma, a pele sente
O clima de um doce lugar
Um verde acalanto sempre a receber
Olhos que se encantam por você
Meu ninho são flores, amores bailando no ar
E a sinfonia anuncia o despertar
Lalaiá Lalaiá... Despertar!

“Aquele abraço” pertinho do céu
Laço de fé e beleza
O tempo guardou o relicário (bis)
Cenário da inspiração
O homem e a mãe natureza, feliz comunhão (comunhão)

Rio... Rio... “Minha alma canta” essa paixão
Sorrio... Meu sorriso vem do coração
É sublime namorar
O sol beijando o azul do mar
Se apaixonar ao entardecer
Vai Renascer... O sonho de ver nesse meu Carnaval
Da linda aquarela, o matiz natural
Preservado em meu olhar
Hoje, na Apoteose, a maior felicidade
Maravilhosa cidade livre a cantar

É mais que amor em poesia
A Renascer me contagia (bis)
Traduz a emoção num samba só porque
“Rio, eu gosto de você”

2014

Enredo: Olhar caricato. Simplesmente, Lan
Compositores: Moacyr Luz e Claudio Russo
 
Um samba no pé e uma ideia na cabeça
Compor pra você bamba de traços genias
Que viu nascer a raiz de toda historia
E desbotou na flor de antigos carnavais
À benção mãe baiana, africana devoção
O leite das mucamas batizou teu folião

É colombina do desfile principal (bis)
A irmã mais bela, corpo escultural

Favela, o mar de Ipanema, a linda morena
A inspiração
Flamengo jogando domingo
Mulata bolindo no seu coração
A bateria parou pro atabaque de Ogã
O Rio de Janeiro é todo Lan!
Do vira-lata ao doutor
No sol de cada manhã
O Rio de Janeiro é todo Lan!
Simplesmente olhar caricato
Retrato da gente, cavaco e pandeiro
Na linha de frente por um estandarte
Fiel baluarte do samba verdadeiro

Valeu...
Sou Renascer de Jacarepaguá
Sou lápis de cera
(bis)
Milhões de cores
Pra te desenhar

O Elan de cada personagem
Damas, malandragem à mesa do bar
Chama o povo da Portela
Nesta passarela pra homenagear

2015

Enredo: Candeia! Um Manifesto ao Povo em Forma de Arte
Compositores: Moacyr Luz, Claudio Russo e Tereza Cristina
 
Ô ô tambor de Angola
Batuque de gêge–nagô ô ô ô
Vou chamar Zé Tambozeiro pra versar
Oxalá dia de graça vai chegar!
É jongo, é camafeu, é capoeira
Olha o peixeiro na feira!
Jurema no catimbó
Antônio filho da flecha certeira
O seu grito a ecoar: okê arô odé maior
Sereia, a Portela reunida vem cantar
Clareia, o seu verso criou asas pra voar

O mar serenou n’areia
(bis)
Candeia, Candeia!

Não basta ter inspiração…
Pra cantar samba é preciso muito mais
A rima suada pra ganhar o pão
Lamento em louvor aos orixás
Ioiô, vem bater samba de roda pra iaiá
Que eu preciso nesse samba me encontrar
Alegrar o meu viver
Um rei, guardião de uma cultura popular
Ouça agora a voz de toda a Renascer
Renascer de Jacarepaguá

Axé! Candeia, axé!
A luz do quilombo no chão do terreiro
(bis)
Axé! Irmão de fé!
Orgulho do sambista brasileiro

2016

Enredo: Ibejís - Nas brincadeiras de criança: os orixás que viraram santos no Brasil
Compositores: Moacyr Luz, Claudio Russo e Tereza Cristina
 
Hoje a Renascer de Jacarepaguá
Com alegria vem brincar
Girando a imaginação
Um tabuleiro de doces
Sinhá mandou preparar
Cocada branca, paçoca
E bolo com guaraná
Quem manda hoje é beijada
Amor que traz proteção
Salve Cosme e Damião!

Irmãos, ibejis
Mãos caridosas
A esperança é maravilhosa
Pra criança renascer!
O cravo brincou com a rosa
A flor se abriu em botão
Pai Francisco entrou na roda
Tocando o seu violão... 

Doum erê de paz
Dos orixás é o mensageiro
Nas ruas, nos quintais
Nos rituais do meu terreiro
Nas casas e também pelos sinais
A mão na roda sempre em comunhão
Nas matinês dos Carnavais
Batalhas de confetes no salão!

Olha o pique esconde, comigo não tá!
De cabra cega não sei cirandar (bis)
Uni duni tê, quem vai me tirar?
Quero futuro pro meu be-a-bá

2017

Enredo: O Papel e o Mar
Compositores: Cláudio Russo, Diego Nicolau e Moacyr Luz
 
Almirante João
Sou Carolina de Jesus
Carrego papelão, você navega sua cruz
Na correnteza a sua voz foi mergulhar
Eu fiz dos versos a fortaleza pra morar
Sou a filha da miséria
Você nasceu pra guerrear

Nós somos a liberdade
(bis)
Eu sou papel, você é o mar

Sobrevivi na escuridão
Sem ter você, inspiração

Ôôô desatando os nós
(bis)
Hoje a Renascer fala por nós

João
Negro feiticeiro
O timoneiro conquistador
Carolina é alforria
Poesia da alma que se libertou
Na luta contra a tirania
Na ressaca da agonia, rubro oceano
Dragão dos mares
Segue a costeira ganhando lares
Nossa bandeira, Guanabara
O leme da revolução
Salve a negrura, salve a bravura
Resgatada do porão

Oh mestre sala quem te ensinou a bailar
Um marinheiro sabe o balanço do mar (bis)
A chibata não estala mais
Quantos sonhos guarda o velho cais