PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

QUINZINHO

QUINZINHO

     

 

 

       

        Nome Completo: Edimburgo José de Almeida

 

 

 

        Ano de nascimento: ????

     

                                                                     

          Quinzinho foi um dos grandes intérpretes surgidos na década de 80. Muito parecido fisicamente com Martinho da Vila, defendeu por quase uma década os sambas da Império Serrano. Seu primeiro registro de voz está no disco do Grupo A de 1980, cantando o samba “É a maior”, pela Caprichosos de Pilares. Já naquela época, entoava seu grito de empolgação “riiibaa”, que se tornou sua marca registrada. Quinzinho também sempre teve a característica de puxar, em média, mais de uma escola por ano.

No início da década de 80 defendia sambas na Acadêmicos de Santa Cruz, quando foi convidado pela diretoria da Império Serrano para substituir nada menos do que o grande cantor Roberto Ribeiro. Já na estréia, teve a honra de interpretar o histórico “Bumbum paticumbum prugurundum”, no inesquecível desfile de 1982, quando a escola da Serrinha conquistou o campeonato após 10 anos de jejum.

Em 1984, houve um confuso troca-troca envolvendo Império Serrano, Mocidade Independente e União da Ilha: Quinzinho foi para a Ilha, enquanto Aroldo Melodia se transferiu para Padre Miguel e Ney Vianna foi parar na Serrinha. No ano seguinte, Quinzinho retornou ao Império, onde ficou até o carnaval de 88.

O segundo ciclo de sua carreira começou com a década de 90, quando ingressou na emergente Unidos do Viradouro. A escola de Niterói passava a concorrer no Rio de Janeiro e investiu pesado em nomes consagrados no carnaval, como o carnavalesco Max Lopes, o diretor de bateria Paulinho de Pilares e também o puxador Quinzinho, que fez seu primeiro desfile na Viradouro em 1990, ano em que a escola venceu o Grupo A. Em 1994, Quinzinho se transferiu a peso de ouro para a Acadêmicos do Salgueiro, que vencera o título em 93.

A partir daí, Quinzinho deixa o primeiro time de intérpretes das escolas do Rio e passa a ser cantor de apoio no Império Serrano e na Acadêmicos de Santa Cruz. Em 1998, teve uma experiência no carnaval paulistano, ao puxar a Leandro de Itaquera. Afastado dos carros de som no Rio de Janeiro, o cantor -  que possui um fantástico potencial vocal e uma vasta experiência profissional – defendeu a Filhos da Candinha no carnaval porto-alegrense em 2011. Costuma disputar sambas na Sereno de Campo Grande, escola que desfila na Intendente Magalhães. Em 2016, foi intérprete do Império da Zona Oeste no Grupo D. 

Foi homenageado pela Viradouro por duas vezes em 2017: na parceria de PC Portugal para o Carnaval 2018, quando compôs o palco na disputa e gravou a obra ao lado de outro ex-cantor da escola niteroiense Rico Medeiros; e quando foi convidado por Zé Paulo Sierra para participar do CD "Os Sambas que vão Tocar seu Coração", coletânea dos maiores sambas da história da Viradouro, gravando ao lado de Zé Paulo a faixa de 1991 sobre Dercy Gonçalves. 

 
Início: Caprichosos de Pilares e Acadêmicos de Santa Cruz 

1980 – Caprichosos de Pilares (Grupo A) 

1981 e 1982 – Santa Cruz (Grupo A) 

1982 e 1983 – Império Serrano 

1984 – União da Ilha 

1985 a 1988 – Império Serrano 

1987 e 1988 – Santa Cruz (Grupo A) 

1988 - Sem Compromisso (Manaus, na gravação do LP)

1990 a 1993 – Viradouro 

1994 – Salgueiro e Santa Cruz (Grupo A) 

1995 – Império Serrano (apoio do Roger da Fazenda) 

1997 – Santa Cruz (apoio do Cláudio Tricolor) 

1998 – Leandro de Itaquera (SP) 

2002 – Império Serrano (apoio do Carlinhos da Paz) 

2011 - Filhos da Candinha (Porto Alegre)

2016 - Império da Zona Oeste 

 

GRITO DE GUERRA: Simbora, (nome da escola)! Rrrrrrrrrrriba!

 

CACOS DE EMPOLGAÇÃO:roooda, minhas baianas”; “obrigado, bateria”; “assim tá bom”; “aí, tá certo”; “arrebenta, bateria”.

 

SAMBAS DE SUA AUTORIA: “Rio de lá pra cá” (Salgueiro/94, com Arizão, Bala, Celso Trindade, Demá Chagas e Guaracy) e "Bahia - Negra Alquimia do Brasil" (Sereno de Campo Grande/2014, com Jaci Campo Grande, Galego, Rosário e Marquinho da Uva).

MAIS FOTOS DE QUINZINHO


Em 1987, defendendo o Império Serrano


Assinando contrato com a Filhos da Candinha para o carnaval 2011


Com Rico Medeiros gravando o samba da parceria de PC Portugal para a Viradouro visando o Carnaval 2018


Quinzinho hoje, à direita, defendendo o samba de Ocimar Santos nas eliminatórias da Rocinha para 2008

Quinzinho puxa o samba da Viradouro de 1993

Fotos: Rixxa Jr (com câmera digital focando a TV)

Na vinheta para o carnaval de 1987

Voltar à seção Intérpretes