PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

PARAÍSO DA FOLIA

PARAÍSO DA FOLIA

PRESIDENTE João Salles Neto
DIRETOR DE CARNAVAL Thiago Meiners
CARNAVALESCO Adenil Silva
INTÉRPRETE Igor Vianna
CORES Azul, Branco e Dourado
FUNDAÇÃO 1/11/2009
CIDADE-SEDE João Pessoa-PB
SÍMBOLO Coroa

O G.R.E.S.V. Paraíso da Folia foi criado após algumas desavenças com membros de outra escola virtual, onde o atual presidente (João Salles) e alguns amigos decidiram criar uma nova escola virtual. Fundamos a Paraíso no dia 01/11/2009, o dia de todos os santos, para abençoarem a nossa escola. Primeiramente, a escola foi chamada de Paraíso do Samba, mas, posteriormente, o nome foi alterado para Paraíso da Folia. As cores são Azul, Dourado e Branco e o símbolo, uma Coroa.

A escola tentou em 2010 fazer sua estreia no Carnaval Virtual do CAESV. Com o enredo “Imaginação: Asas para uma louca ilusão!” de autoria de João Carlos e com um bom samba de autoria de Leandro Thomaz, Luiz Henrique, Murilo Sousa e Yuri Aguiar a escola acreditou até o último minuto que conseguiria, porém, infelizmente não foi em 2010 que conseguiria realizar sua estreia no Carnaval Virtual do CAESV.

Em 2011, a escola finalmente conseguiu desfilar no Carnaval Virtual 2011 do CAESV. O enredo “Incrível!” de autoria de João Carlos foi desenvolvido plasticamente pelo carnavalesco João Luiz Dias e musicalmente contado no samba de autoria de Thiago Meiners e interpretando também pelo Thiago Meiners. A escola ficou em 12º Lugar com 49,1 pontos.

Já para 2012, a escola reformulou seu quadro de integrantes. Chegaram o carnavalesco Leonardo Augusto, o intérprete Tiganá, e Thiago Meiners ficando responsável pelo enredo de 2012, enredo esse que falava do “O africano coração – No reino das águas escuras reina o amor e a fé!”. O samba de autoria de Rodrigo Meiners e Luís Butti foi aclamado no pré carnaval como um dos melhores do Carnaval Virtual 2012! A escola ficou em 3º Lugar com 19 pontos, subindo assim para o Grupo de Acesso da LIESV em 2013!

No ano de 2013 a escola estreou no Grupo de Acesso da LIESV. Animada com o grande trabalho feito em 2012 no CAESV, a escola optou por renovar mais uma vez seu quadro de integrantes e apostou em um jovem carnavalesco, porém com grande talento e um futuro promissor, o catarinense  Augusto Murilo de 15 anos assumiu a responsabilidade de criar os desenhos da Paraíso da Folia, além do novo carnavalesco a escola trouxe o intérprete Igor Viana e apostou na continuidade de uma temática afro no enredo de 2013. Com o enredo “No terreiro da Paraíso: O canto de Kianda – A sereia de Angola” de autoria de Thiago Meiners um samba de autoria de João Pinho, Rodrigo Raposa, Leandro Thomaz, Matheus Araújo, João Marcos, Rodrigo Meiners, Vinicius Serino, André Rodrigues e Theo Valter a escola apresentou um grande desfile ganhando diversos prêmios. O resultado porém, não foi o que a escola esperava, ficando apenas em 6º lugar com 97,8 pontos e não subindo para o Grupo Especial da LIESV.

Para o Grupo de Acesso do Carnaval Virtual da LIESV de 2014 a escola apostou na continuidade de sua equipe mudando apenas o intérprete, Guto foi o escolhido para defender o samba dos autores Moisés e Alexandre Gordão que contavam a história do enredo “Quinteto Violado: O Canto do Nordeste e a Raiz do Sertão!” de autoria de Thiago Meiners. A escola apresentou um grande desfile, aclamado por todos e sagrou-se CAMPEÃ do Grupo de Acesso do Carnaval Virtual 2014 da LIESV com 99,8 pontos, subindo assim para o Grupo Especial da LIESV em 2015!

Em 2015, fazendo sua estreia no Grupo Especial da LIESV, a escola trouxe de volta o intérprete Igor Viana para o microfone oficial da escola e o carnavalesco Leonardo Augusto para dividir com Augusto Murilo a responsabilidade da plástica da escola. Com o enredo “Carlos Gomes: Essência e Brasilidade” do autor Thiago Meiners e o samba de autoria de Moisés e Alexandre Gordão, a Paraíso da Folia ficou em 10º lugar do Grupo Especial da LIESV com 144,7 pontos.

Para 2016 a agremiação decidiu fazer mais uma mudança geral no quadro de integrantes, Rodrigo Meiners chegou para fazer os desenhos da escola no lugar de Augusto Murilo que se desligou da Paraíso da Folia para se dedicar ao carnaval real. O enredo de 2016 será mais um ano de autoria de Thiago Meiners. A escola finalizou a apuração em sexto lugar.


Ano

Enredo

Colocação

2017 O Jogo da História -º (Especial)
2016 Um Conto das Mil e Uma Noites – Lawrence da Arábia 6º (Especial)
2015 Carlos Gomes: Essência e Brasilidade 10º (Especial)
2014 Quinteto Violado - O Som do Nordeste e a Raiz do Sertão 1º (Acesso)
2013 No Terreiro da Paraíso: o Canto de Kianda - a Sereia de Angola 6º (Acesso)
2012 Africano Coração - No Reino das Águas Escuras Reina o Amor e a Fé 3º (CAESV)
2011 Incrível! 12º (CAESV)
2010 Imaginação: Asas para uma louca ilusão! 

não desfilou


SINOPSE ENREDO 2017

O Jogo da História


Introdução:

O sentimento sempre levou o homem a buscar saídas e estratégias, para quem sabe controlar o mundo. Um exemplo de como se pensar e formular estratégias é o jogo de Xadrez, onde cada jogada pode mudar completamente a história do jogo. Quando retornamos ao tempo das Cruzadas vemos; Saladino, o Sultão do Império Muçulmano, junto com um dos reis mais famosos da história, Ricardo, “Coração de Leão”. Os dois travaram uma batalha estratégica, como um jogo de Xadrez, onde um movimento diferente mudaria todo rumo da história do mundo. E esse jogo, o jogo da história, nós vamos contar hoje.

Sinopse:

Abertura: O Amor Incondicional

A paixão de Saladino pelo Xadrez é incondicional. Ele disputa com sua irmã Sittah uma partida que hoje é bastante famosa na qual ele sofre um Xeque-Mate inesperado e a partir daí começa pensar em suas estratégias de batalha baseando-se em uma partida de Xadrez. 

1º Setor: Primeira Jogada – A Conquista da Terra Santa

(Peça Peão)

(1169) No Egito uma grande batalha fez surgir um grande guerreiro. Nur ad-Din, no momento governador da Síria, fez uma viagem para tentar dominar o Egito, o país mais rico da época e capital do Império muçulmano. Durante a batalha, um guerreiro fez a diferença – seu sobrinho Saladino – que guiou seu exército a vitória, conquistando então a capital. Nur ad-Din se tornou Sultão do Egito e de todo Império, mas morreu pouco tempo depois sem deixar filhos, sendo assim, Saladino acabou se tornando Sultão de todo Império muçulmano.

Saladino resolveu conquistar terras jamais conquistadas pelos muçulmanos movido pela ganância. Mesmo obcecado por conquistas, Saladino não se precipitou e provou que há como usar a razão e se preparar para aventuras e desventuras.

(1187) Então, Sultão Saladino resolve conquistar a Terra Santa (Jerusalém) dos cristãos e parte com um grande exército para dominar em definitivo as terras que ainda não haviam sido completamente dominadas. Com vitória esmagadora, Saladino derruba a fortaleza dos cristãos e faz da Terra Santa a morada da fé muçulmana. 

2º Setor: Segunda Jogada – O Jogo Religioso

(Peça Bispo)

Famosos por corrupção, calúnia e mentiras, o clero na época já sofria críticas nos poemas satíricos e nas canções de Trovadores.

A igreja católica via na Terra Santa, além de um território sagrado, um local estratégico, pois é um corredor entre a Ásia e a África e serviria para controlar e facilitar o comércio de especiarias para a Europa. Já que todo o clero era sustentado pela nobreza europeia e recebia tributos por seus serviços à corte, com o domínio da Terra Santa o lucro e consequentemente a influência da religião católica aumentaria por todo mundo.

O Papa Clemente III e todo clero tinham grande influência sobre os reis da Europa, por dizerem ser mensageiros de Deus. Assim, o clero incita os grande reis, fazendo com que a Europa se prepare para a retomada da Terra Santa, partindo então para a terceira Cruzada. 

3º Setor: Terceira Jogada – Cavaleiros à Terra Santa!

(Peça Cavalo)

(1189) Os três principais reis da Europa resolvem partir para a retomada da Terra Santa. O primeiro a partir foi o Imperador Frederico I, que comandava o exército alemão. Durante o caminho para Jerusalém, o exército acabou sendo surpreendido por um rio que por ter correnteza muito forte acabou matando muitos soldados, inclusive o Imperador. Desamparados, a maioria os soldados retornou a Alemanha.

Então, surge uma luz para toda a Europa, o coração do ocidente passa a pulsar mais forte, pois suas últimas esperanças na época estavam na vitória dos exércitos de Filipe Augusto (rei da França) e Ricardo Coração de Leão (rei da Inglaterra) que uniram suas coroas para invadir Jerusalém. Ambos partem juntos para a Terra Santa com o propósito de enfrentar e derrotar as tropas de Saladino.

Durante o caminho, um fato importante acontece na França, morre a esposa de Filipe Augusto, Isaballe de Hainaut. Sua morte futuramente atrapalharia os planos dos exércitos europeus. Ricardo Coração de Leão contou com apoio de sua esposa Berengária de Navarra que viajou junto com o rei para a terceira cruzada.

4º Setor: Quarta Jogada – Torres de São João D´Arce

(Peça Torre)

Os cavaleiros e os reis viajam pelos mistérios do mar mediterrâneo em busca da reconquista do templo sagrado.

Em 1191, chegaram ao porto São João D´Arce. Os poucos soldados cristãos que já estavam lá eram remanescentes do exército do Imperador Frederico I e estavam sendo dizimados pelo exército muçulmano. A chegada dos exércitos de Ricardo Coração de Leão e de Filipe Augusto aumentou o ânimo e a esperança dos soldados restantes.

Na batalha o exército do ocidente construiu várias catapultas e imensas torres de fortaleza que foram fundamentais para intimidar e mostrar a Saladino o poder da Europa. O exército europeu derrotou os muçulmanos, derrubando as grandes muralhas da cidade de Arce, mostrando astúcia e um poder de batalha muito grande. 

5º Setor: Quinta Jogada – Rainha Estraga Planos do Ocidente

(Peça Rainha)

(1191) Vitoriosos na batalha em São João D´Arce os cavaleiros do ocidente continuaram a caminho da Terra Santa, até que uma triste notícia atrapalha o plano dos reis. Um mensageiro traz a notícia que Isaballe de Hainaut, esposa do rei Filipe Augusto está morta. Com a morte de sua esposa, Filipe Augusto retorna a França, pois só poderia continuar sendo rei se estivesse casado.

Seus exércitos ficam sob comando do rei Ricardo que não tinha conhecimento de todo exército de Filipe, o que acabou atrapalhando o comando do rei inglês.

Saladino através de espiões descobre que Ricardo estava tendo problemas com seu exército e então faz um ataque surpresa com seus guerreiros Alá o Akbar (guerreiros de Alá) que acabam sendo derrotados por Ricardo. Saladino então decide voltar para Jerusalém e é seguido por Ricardo e seu exército.

O Rei Filipe Augusto então se casa com Ingeborg da Dinamarca e volta ao trono francês. 

6º Setor: Sexta Jogada – Xeque-Mate! A Batalha de Arsuf e o Tratado de Paz

(Peça Rei)

(1191) No caminho de Jerusalém, Saladino preparou uma emboscada para Ricardo em Arsuf. A infantaria de Saladino foi derrotada pelo exército de Ricardo e ambos fugiram para se preparar para a batalha em Jerusalém.

No tempo em que os dois reis se preparavam para a batalha final, João Sem Terra, o louco irmão de Ricardo, conspirou contra o trono e obrigou Ricardo a retornar para a Inglaterra durante os preparativos. Assim, Saladino atacou várias cidades controladas por Ricardo e venceu todas as batalhas.

Ricardo ao resolver o problema na Inglaterra retornou para Jerusalém e reconquistou as cidades controladas por Saladino. Ambos os reis perceberam que não haveria um vencedor e começaram a discutir um acordo de paz em 1191.

(1192) Em 1192 assinaram um tratado de paz. Ficaram conhecidos por todo mundo e a Terra Santa ficou sob o comando dos muçulmanos, mas sem qualquer destruição a templos católicos e dando liberdade para os católicos irem a Jerusalém. Hoje, são os dois reis mais gloriosos e soberanos da história e o Xeque-Mate foi conjunto, afinal a fé é para todos. 

Texto Complementar:

A ideia básica do nosso enredo é fazer a interação entre o jogo de Xadrez e a Terceira Cruzada, além de valorizar a importância da tolerância religiosa. Fatos importantes e históricos mostram que tudo que aconteceu durante a Cruzada não foram coincidências e que fazem parte de um jogo. Fazemos uma analogia entre a liberdade religiosa e a terceira cruzada e juntando os fatos acreditamos o jogo de xadrez influenciou bastante na estratégia dos cruzados.

O fio condutor do nosso enredo é a paixão de Saladino pelo Xadrez, o que nos leva a acreditar que a partir daí ele começou a basear suas estratégias de batalha no jogo. Existem divergências entre o filme e os textos lidos para formação do enredo. O filme por questões obviamente políticas trata os muçulmanos como “bandidos” da história e enaltece os cristãos, o que não é verdade, segundo os fatos. Abaixo simplificamos as jogadas sem detalhes, para apenas complementar o nosso texto de enredo.

A primeira jogada é a conquista da Terra Santa pelos muçulmanos. O uso da peça peão como referência se dá a batalha, pois a conquista foi feita devido ao ataque surpresa de Saladino (com soldados) as fortalezas cristãs que foram pegas de supresa, o que não aconteceria se houvesse ataque da cavalaria ou então ataque com catapultas.

A segunda jogada é a entrada da influência do clero sobre os reis da europa. O clero era considerado por muitos poetas corruptos e na verdade eram. Queriam o controle de Jerusalém não apenas por questão religiosa e também por ser um corredor entre Ásia e África o que facilitaria comércio para os europeus. Então o Papa, Bispos e sacerdotes europeus usam sua influência para fazer com que os reis da Europa fossem o mais rápido possível para Jerusalém tentar reconquista-la. O uso da peça Bispo é justamente pela questão religiosa.

A terceira jogada significa a união entre dois reis em prol de um único objetivo, reconquistar a Terra Santa. As crises no Ocidente e tensão com os problemas em Jerusalém terminam com a nova esperança, de que os dois reis mais importantes do Ocidente reconquistariam a Terra Santa e voltariam com a glória. O rei Alemão que tentou sozinho ir para a batalha acabou surpreendido e derrotado por um rio. Usamos a peça cavalo por causa dos cavaleiros que partem a Terra Santa.

A quarta jogada representa a viagem e a chegada dos exércitos do Ocidente aos redores de Jerusalém. Enfrentando lendas e mistério no mar mediterrâneo, chegam ao Porto de São João D´Arce e massacram os exércitos muçulmanos. O uso da peça torre se dá por causa das Torre de D´Arce que foram importantes para a primeira vitória dos exércitos do Ocidente.

A quinta jogada tem fator importante, a morte da esposa do rei Francês atrapalha os planos dos exércitos europeus, ataques de Saladino não surpreendem o rei Ricardo que consegue mesmo sem conhecer o exército do Rei Filipe derrotar os guerreiros de Alá. Rei Filipe se casa novamente e retoma o trono. O uso da peça Rainha se dá por causa da importância da morte da Rainha Francesa, que fez com que o rei retornasse a França para se casar novamente, prejudicando o exército europeu.

A sexta jogada faz uma analogia entre o fim da terceira Cruzada e a vitória da liberdade religiosa. Saladino e Ricardo travam batalhas intensas, sem nenhum conseguir definitivamente a vitória. Ricardo quase leva golpe de seu irmão João Sem Terra mas consegue se reerguer e voltar para a batalha. Sem um definitivo vencedor, ambos reis discutem um tratato de paz que define a Terra Santa como terra dos muçulmanos, mas que dá liberdade para culto católico. E que isso fique de exemplo para o mundo, o homem do séc XII já conseguiu seja de uma forma ou de outra a liberdade religiosa. Que isso seja válido para o tempo atual, onde o homem possa praticar qualquer religião, seja ela de origem africana, muçulmana, européia, oriental, desde que seja respeitada, afinal a fé é para todos.

Obs: A morte de Isabelle de Hainaut aparece no 3º setor e no 5º setor porque a comunicação naquela época era complicada. A morte dela acontece em 1189, mas a notícia só chega ao rei Filipe Augusto em 1191 através de um mensageiro francês.

Texto: Thiago Meiners