PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

MOCIDADE ALEGRE - 2018 MOCIDADE ALEGRE - 2018

Enredo: A Voz Marrom que não deixa o Samba Morrer
Compositores: Biro Biro, Gui Cruz, Imperial, Luciano Rosa, Portuga, Rafael Falanga, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabriel
 
Mãe negra, baila teu sonho no ar
Exala o canto da flor mais bela
“O sol há de brilhar mais uma vez”
O povo desce o morro para consagrar
A voz que eterniza a força do nosso cantar
Na gira do jongo que invade o terreiro
Faz do samba de roda, um batuque feiticeiro
Numa linda “aquarela”
Marrom é o tom da nossa canção
É raiz da resistência, a negra inspiração

Ê São Luís do Maranhão, ilha do amor
Onde o canto da menina… Ecoou (bis)
A batida do tambor, é pro Santo abençoar
Bumba meu boi, festança popular

Mulher
Toda forma de amar se traduz em você
O dom de tocar corações
Encantar, provocar emoções
“À flor da pele” declama “delírios de amor”
Mangueira, sua paixão, Estação Primeira
No chão de esmeraldas em mangueira
Refloresce a cada carnaval
Num “amanhã” verde e rosa
Ao sambista mais novo
Deixa um pedido final

Não deixe o samba morrer
Não deixe o samba acabar
Na Mocidade, vem ver, o nosso povo cantar
(bis)
A poesia sorriu ao falar de emoção
Em sua voz, Marrom!