PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

UNIDOS DE PADRE MIGUEL

UNIDOS DE PADRE MIGUEL

FUNDAÇÃO  12/11/57
CORES  Vermelho e Branco
QUADRA  Rua Mesquita, 08
Padre Miguel
Telefone: 3291-1309
BARRACÃO  Rua Prefeito Júlio de Moraes
Benfica

RESULTADOS - SAMBAS-ENREDO

HISTÓRICO

A Unidos de Padre Miguel, uma das agremiações da Zona Rural, em seu primeiro desfile na Praça Onze em 1959, se torna campeã e adquire o direito de se apresentar entre as grandes, em 1960. Entretanto, a má colocação que obteve, a fez retornar "A poeira", isto 6, as categorias inferiores. Em 1963, novamente obtém uma boa colocação no grupo intermediário e sobe para o Grupo 1, para outra vez retornar (no ano seguinte) ao Grupo 2, após uma apresentação infeliz.

A escola, que chegou a desfilar por outros dois anos no Primeiro Grupo (1971 e 1972), passa por um bom momento atualmente com os três acessos consecutivos obtidos de 2003 a 2006. Já no Grupo B em 2007, conseguiu uma honrosa sexta colocação. Nada mau para uma agremiação que se encontrava no Grupo E até 2004. Em 2008, realizou um belíssimo desfile, mas acabou apenas na terceira colocação, o que gerou muitas críticas por parte dos bambas. O tão esperado título da Unidos de Padre Miguel viria em 2009, dividido com a Cubango. Em 2010, abriu os desfiles do Grupo A. Mas acabou rebaixada em penúltimo lugar. Retornou ao Segundo Grupo depois da junção do Acesso feita pela LIERJ. Em 2014, um belíssimo desfile proporcionou à escola um terceiro lugar. No ano seguinte, a agremiação consolidou a boa fase, ao obter o vice-campeonato da Série A. Segunda posição que seria repetida em 2016. 

No Carnaval 2017, a Unidos de Padre Miguel bateu na trave mais uma vez. A escola fazia um desfile arrebatador, que certamente a conduziria enfim ao título da Série A. Mas um acidente com a porta-bandeira Jessica Ferreira, que torceu o joelho durante sua dança na pista, arruinou a performance da agremiação no quesito e a vermelho-e-branco encerrou a apuração apenas na quarta colocação.

RESULTADOS DA ESCOLA

1959 - 1ª no Grupo 2
Lampião

1960 - 5ª no Grupo 1
Ato da aclamação

1961 - 10ª no Grupo 1
Homenagem aos ex-combatentes

1962 - 10ª no Grupo 2
Cinco Fatos Históricos

1963 - 2ª no Grupo 2
Costumes e tradição do Rio Grande do Sul

1964 - 9ª no Grupo 1
Feira na Bahia

1965 - 12ª no Grupo 2
Viagem através do Rio

1966 - 7ª no Grupo 2
Conquista de Araci

1967 - 4ª no Grupo 2
O Penacho do Capitão-Mor

1968 - 8ª no Grupo 2
Salões e Damas do Segundo Império

1969 - 7ª no Grupo 2
Três Lendas de Amor

1970 - 2ª no Grupo 2
Primavera

1971 - 10ª no Grupo 1
Samba do Crioulo Doido

1972 - 12ª no Grupo 1
Madureira, seu Samba, sua História

1973 - 16ª no Grupo 2
Cazuza

1974 - 1ª no Grupo 3
Lampião, Cangaço e Nordeste

1975 - 17ª no Grupo 2
Resplendor de um Grande Festival

1976 - 18ª no Grupo 2
Ajuricaba, um herói amazonense

1977 - 7ª no Grupo 3
Ginga, a Rainha da Congada
César de Azevedo

1978 - 5ª no Grupo 3
Festa de Yemanjá
Guilherme Martins, Antônio Andrade e Djalma Santos

1979 - 9ª no Grupo 2B
Orlando Silva

1980 - 5ª no Grupo 2B
As Riquezas de Minas Gerais

1981 - 3ª no Grupo 2B
Aí Vem Dezembro

1982 - 7ª no Grupo 2B
Ari Barroso, o Gênio Imortal

1983 - 2ª no Grupo 2B
Festa da Mãe-d'água

1984 - 1ª no Grupo 2A
O Quilombo dos Palmares

1985 - 10ª no Grupo 1B
Folia, Amor e Fantasia

1986 - 8ª no Grupo 2A
E aí o Homem Entrou na Guerra com a Natureza

1987 - 10ª no Grupo 3
Meu Irmão de Cor, meu Irmão de Fé

1988 - 11ª no Grupo 3
Valongo

1989 - 10ª no Grupo 3
O Grito e o Eco

1991 - 5ª no Grupo SS
Vamos Dizer não à Destruição

1992 - 6ª no Grupo SS
Brasil Folclórico

1993 - 7ª no Grupo SS
Tirei da Mente o que eu Não Tinha no Bolso

1994 - 7ª no Grupo SS
Parabéns para Quem ? Vamos Comemorar o Quê ?

1995 - 2ª no Grupo D
Tahira-Can, o Homem Estrela

1996 - 11ª no Grupo C
Uma Festa Caipira no Mês de Fevereiro

1997 - 8ª no Grupo D
Frutos do Mar

1998 - 7ª no Grupo D
Pelo seu Vôo Quero me Guiar para a Amazônia
Ronaldo

1999 - 4ª no Grupo D
Paixão Carioca
Fernando Muniz

2000 - 5ª no Grupo C
Bahia de Todos os Negros
Cidinho

2001 - 12ª no Grupo C
Trinca de Ouro - Mocidade e seus Tesouros
By Lucas

2002 - 12ª no Grupo D
Brasil de Ouro, Cinco Séculos de Tesouro
Jaime da Silva

2003 - 6ª no Grupo E
Unidos pela Preservação, Somos Mensageiros da Floresta
Chiquinho Murta

2004 - 2ª no Grupo E
Bangu, Glória em Séculos de História
Márcio Marins

2005 - 1ª no Grupo D
Abram alas que eu quero passar. Sou carnaval carioca, sou Unidos de Padre Miguel
André César

2006 - 1ª no Grupo C
Das lagrimas de Tupã, nasce o fruto divino: o guaraná
Edson Pereira

2007 - 6ª no Grupo B
Unidos pelos caminhos da fé, desbravando os carnavais
Edson Pereira

2008 - 3ª no Grupo B
No Reino das Águas de Olucôn
Edson Pereira

2009 - 1ª no Grupo B
Vinho, néctar dos deuses - A celebração da vida
Guilherme Alexandre e Edward Moraes 

2010 - 11ª no Grupo A
Aço, Universo presente na riqueza da Terra – O futuro a ti pertence!
Edward Moraes e Guilherme Alexandre

2011 - 3ª no Grupo B
Hilária Batista de Almeida
Fábyo Santos

2012 - 3ª no Grupo B
Arte - Um universo fascinante
Comissão de Carnaval

2013 - 7ª na Série A
O reencontro entre o céu e a terra no Reino de Aláàfin Óyo
Edson Pereira

2014 - 3ª na Série A
Decifra-me ou te devoro: enigmas da vida!
Edson Pereira

2015 - 2ª na Série A
O cavaleiro armorial mandacariza o Carnaval
Edson Pereira

2016 - 2ª na Série A
O Quinto dos Infernos
Edson Pereira

2017 - 4ª na Série A
Ossaim: o poder da cura
Edson Pereira

SAMBAS-ENREDO

1970

 

Enredo: Homenagem ao Poema "Primaveras", de Casimiro de Abreu 
Autor(es): ??????

 

Linda é a natureza
Tesouro de grande beleza
E a passarada em revoada
A cantar
A mais linda sinfonia de amor
Quando o palco é cenário
É um vasto campo em flor
Feliz foi o grande poeta
Casimiro de Abreu
Em seus versos escreveu

A natureza se desperta rindo (bis)
O mar é calmo porque o céu é lindo

Na primavera, tudo é riso e alegria
São rosas espalhadas pelos campos
Como é belo o despertar do novo dia

É um festival de flores (bis)
Primavera, estação dos amores

Lararara ôôô
Lalarararara ôôô
A primavera chegou 

 

1971

 

Enredo: Samba do Crioulo Doido 
Autor(es): Nelson Oliveira e Duduca da Aliança 

Esta linda história
Nasceu da imaginação
Do imortal Sérgio Porto
E passará de geração a geração
Sua obra emocionante
Jamais esqueceremos


Sua sátira tão bela (bis) 
Neste carnaval exaltaremos

 

Criôlo Doido 
É sublime a sua história 
Compositor de grande escola 
Que um dia viu fugir sua memória 
Enquanto, Inconfidência, Abolição, Proclamação 
Foram os temas principais 


O Criôlo Doido (bis) 
Era campeão dos carnavais


Mas quando a bonança terminou 
E a escola um novo enredo escolheu 
Sobre a atual conjuntura 
Foi aí que o criôlo endoideceu 
Inventou toda a história do Brasil 
E o resultado foi aquele que se viu 


Dona Leopoldina virou trem (bis) 
D. Pedro é uma estação também 

 

1972

 

Enredo: Madureira, seu samba, sua história

Autor(es): Duduca da Aliança

 

Vem dos tempos imperiais

A história que vamos apresentar

Lourenço Madureira

Desbravando terras, caminhos sem fim

Veja que cenário deslumbrante

Desta história emocionante

Que nos faz cantar assim

 

Madureira, seu samba, sua história

Madureira cantamos sua glória (bis) 

 

Madureira herdou o nome

Deste simples boiadeiro

E como bairro abençoado

Também tem seu padroeiro

Berço de grandes sambistas

Atração de todo o ano

Da Portela tão querida

Do famoso Império Serrano

E quando chega o carnaval

Madureira é do samba a capital

 

Madureira, seu samba, sua história

Madureira cantamos a sua glória (bis) 

 

1973

 

Enredo: Cazuza

Autor(es): Fidélis Dutra

 

Da literatura infantil
Tiramos este tema febril
Para este povo apreciar
Obra do saudoso escritor
Viriato Corrêa
Na academia legou todo o seu valor

Cazuza chegou
Ele chegou pra valer (bis)
Trazendo muita bondade
Amizade podes crer

O seu lema era estudar
Soltando pipa via a linda borboleta a voar
Ele sendo criança
Gostava de ver a menina cantar
Ciranda, cirandinha
Vamos todos cirandar
Vamos dar a meia volta
Volta e meia vamos dar

Este ano tem
Calundu no carnaval (bis)
Vem cá, lundu
Nesta festa universal

 

1976

 

Enredo: Ajuricaba, um Herói Amazonense

Autor(es): Gordo e Zé Carne Seca

 

Lá no Amazonas
No Vale do Rio Negro
Viviam os índios manaus
Chefiados por um bravo guerreiro
Que tudo fez
Para livrar-se do domínio português

E quando na selva ecoava
Um grito de guerra de Ajuricaba (bis)
Mais uma batalha se travava

Muitas vitórias conseguidas
Grandes perdas de vidas
Mesmo assim Ajuricaba insistia
Defendendo suas terras
Combatendo o invasor
Noite e dia
Mas uma tragédia ocorreu
Cucunaça seu filho
Em luta pereceu
E assim desesperado ele atacou
Foi vencido e acorrentado
E para Belém transportado

Seu povo chorou
Quando ele partiu (bis)
Cantou de alegria
Porque nas águas sumiu

1981

Enredo: Aí Vem Dezembro
Autor(es): Robertinho 17

Que maravilha
Vejam quanto esplendor
A Unidos de Padre Miguel
Vem mostrar
Em forma de uma canção

Aí vem dezembro, é natal, é ano novo (bis)
Alegria do meu povo, vamos festejar

Nestas datas tão bonitas
É final de primavera
Sobram frutas saborosas
E as flores são mais belas
Aprisionada por Xangô, Oxum
Na torre vive a chorar, chorar
Mais Exu, o mensageiro
Apareceu para salvar

E voou como uma pomba
Transbordando de alegria (bis)
E hoje o povo lembra
Nesta festa de folia

Conta a lenda
Que a deusa dos orixás
Iemanjá
No final de dezembro
Baila nos mares
Para o povo abençoar
Joguem flores, joguem contas
Mandem barcos para o mar
Joguem muitas oferendas
Para santa Iemanjá

De boa noite, ao ano velho, de bom dia
Ao ano novo que já vem anunciando (bis)
Carnaval festa do povo

1985

Enredo: Folia, Amor e Fantasia
Autor(es): Jorge Andorinha e Carlinhos Caldeira 

O manto vermelho e branco
Cobre esse chão de poesias
E traz na força do seu canto
Folia, amor e fantasia 
Em chuvas de confete e serpentinas
A minha escola volta a brilhar
Relembrando Zé Pereira
Eu sou da lira, não posso negar

Skindô lê lê, skindô lá lá ô (bis)
O abre alas, que eu quero passar

(E desfile)
Desfiles de escolas de samba
Blocos de sujo, rancho e sociedades
Mascarados, colombinas
Arlequins, pierrots, oh que saudade

Deixa meu povo delirar (bis)
Com a Unidos na avenida a desfilar

(A cidade)
A cidade enfeitada
Reinado de Momo chegou
Vou me embalar nesta festa
Foi nosso rei quem mandou
Eu vou brincar
Eu vou cantar
Só vou pra casa, quando o dia clarear
Eu vou sambar
Eu vou pular ô
Até quarta-feira despontar
(E o manto...)

2006

Enredo: Das Lágrimas do Tupã, Nasce o Fruto Divino: O Guaraná
Compositores: Edson Carvalho, Cesar Neguinho, Gule, Tostão e Leco da ALERJ (Rogerinho)

O Deus Tupã abençoou esta terra encantada
Onde na tribo dos índios Maués, Jaci iluminava
Águas cristalinas que regam a vida
Fazendo a fé brotar
O mal chega em forma de serpente
Tão inocente, Uniay se apaixona
O céu se abre ao nascer do menino
Um ato singelo e divino
E ao longe se ouvia o cantar do uirapuru
Mas ele cresceu ouvindo lendas e histórias
Da grande castanheira que o fascinou
E o rio Amazonas ele atravessou

Meu coração vai pulsar
Quando ver você passar, bateria (bis)
Exaltando a Amazônia do Brasil, com energia

Jurupari, defensor do mal, aniquila o bem
Lança a ira de Tupã sobre Nossoquem
Água, terra, fogo e o ar se acabou
E a luz de Jaci se apagou
E os deixam na escuridão
Mas pedem perdão
Todos juntos com fé e oração
E dos olhos, aos olhos no chão
Surge o fruto, orgulho da nação

Jaci vai iluminar
Hoje tem guaraná, nessa folia
Pode provar meu amor (bis)
O ouro aqui tem sabor
Eu sou Unidos, pura energia

2007

Enredo: Unidos pelo Caminho da Fé, Desbravando os Carnavais
Autores: Tuninho do Traylle, Marquinho do Cavaco, Gule, Diego Rodrigues, Fernando Mansinho

Deixe a fé te levar
Te encaminhar
Tocar o seu coração
Do meu tempo de criança, trago a lembrança
Os antigos carnavais
Com muita luta a conquista
Veio com garra e esplendor
Hoje o sonho realizado
Traz ao presente o passado
E um futuro promissor

Sou vermelho e branco (eu sou)
Ao seu manto sempre fui, fiel (bis)
Com muito orgulho e muita raça
Sou boi vermelho Unidos de Padre Miguel

A fé
Acende a luz em nossos corações
Vem a mistura das religiões
Miscigenando toda raça
Festa Cristã
Desperta a cultura do povo
Riqueza para um mundo novo
Viver, ser mais feliz
Oh! Luar bendito seja o nosso protetor
Que tantas glórias já nos ofertou
Fazendo a gente estar aqui, na Sapucaí
Hoje a minha escola, te clama em oração
Proteja o nosso pavilhão

Na luta com garra contigo estou (Ogum Guerreiro)
O samba é o meu terreiro (bis)
Divina luz, sem fé não somos ninguém
Iluminado sou Vila Vintém

2008

Enredo: No Reino das Águas de Olokum
Compositores: Toninho do Trayller, Diego Rodrigues, Cabeça do Ajax, Amendoim do Samba e Cicinho

Mergulhei...
Unidos foi além da imaginação
O reino das águas de Olokum
Que me levou em forte correnteza
Vi no lendário a nobreza
De Olofin a tristeza
Que fez a princesa chorar
Mistérios que se escondiam
Segredos serão revelados
Sob a luz de Obatalá

Ouço o canto da sereia no ar
Essa onda que me leva a Iemanjá (bis)
É Nanã quem purifica todo mal
Traz águas claras pro meu carnaval

Chorei oh lua
Ao ver que dos teus olhos nasce o rio-mar
Pudera essa noite o sol vir a brilhar
Selando esse amor em ouro e prata
Com seu cantar me seduziu
Me apaixonei por ti, oh doce Iara
Vem refletir...
Vintém canta em massa a preservação
Sem consciência o amanhã não mais virá
A fonte é o pavilhão da minha história
Sem desperdício, é carnaval
Ouça meu alerta ambiental

Olokum, lava minh'alma, clareia
Obatalá derrama benção lá do céu (bis)
Banhando a Unidos de Padre Miguel

2009

Enredo: Vinho, néctar dos deuses - A celebração da vida
Compositores: Serginho Aguiar, Andrezinho, Sandro Avelar, Luiz Fernando e Thiago

Unidos de Padre Miguel
Conclama a celebração
Ergam as taças, um brinde à beleza
Nossa carta está na mesa
Foi deus Baco, mensageiro da alegria e da ilusão
Enlouquecido, pelo mundo vagou
E pelos povos, o cultivo espalhou
Em tom de branco, rosado e tinto
Pela antigüidade viajou
Na Pérsia, Babilônia e no Egito encantou
Na Grécia, simpósios inspirou

Romanos ampliaram sua produção
Cristãos e mouros em duelos nas cruzadas (bis)
No renascimento, a esperança
Borbulhas na corte de França

Foi preciso navegar, novo mundo conquistar
Com a tecnologia... Modernizar
Imigrantes, pioneiros no plantio do Brasil
Que do sul para o nordeste se expandiu
O consumo moderado faz bem ao coração
Se beber, não assuma a direção
Em casamento, reveillón, no dia-a-dia
Trago o néctar dos deuses pra folia

Sou vermelho e branco... e vou cantar
Com vinho, a vitória celebrar (bis)
Sou Vila Vintém, comunidade
Hoje tem Festa da Uva, que felicidade

2010

Enredo: Aço - Universo presente na riqueza da Terra - O futuro a ti pertence!
Autores: Andrezinho, Carlos Junior, Eli Penteado e Marquinho Sorriso

Estrelas cadentes, pássaros de fogo
Pedra que veio do céu
Rolando nos ares
Enfim, atingindo a terra
De uma sublime fusão, o aço nasceu
Na era medieval, um passo para evolução
Do Oriente ao Ocidente tantas produções
Na China surgiu...
A mais importante invenção
Que deu sentido pro destino
Apontando a direção

A magia está no ar... é fogo
Tem poder de conquistar... um mundo novo (bis)
Fez o homem viajar, deu coragem pra tentar
Transformar o ferro em ouro

Ligando o mundo a revolução
Presente no dia a dia
Construindo em toda parte
Transportando nossa arte
Conduzindo energia
Aço riqueza da terra
A nave me leva ao espaço sideral
E faz a festa do meu carnaval

Ogunhê...
Na força da fé, vou mais além
Sou aço da lança (bis)
Trazendo a bonança
Pra comunidade da Vila Vintém

2011

Enredo: Hilária Batista de Almeida
Autores: Beto Felício, Marcelo Maninho e Washingtom Maninho

Ò Mãe África 
Iluminada pela luz de Órum
Celebra no ventre a vida 
Ecoa na terra o som dos Ílus
Nasce um novo tempo
De gente guerreira 
Pureza da raça 
Herança dos Yorubás
Histórias que o mar
Não esquece jamais
O negro traz à Bahia 
A velha magia dos Reis e axé

Tem batuque no tumbeiro... é candomblé
Nas ladeiras o folclore... arrasta pé (bis)
Samba se chamava semba... a grande festa
A expressão da raça negra manifesta

Rio de Janeiro
Quilombo terreiro redentor
Toda nação se encontra
Na pequena África de Omulú 
Yakekere, Ketu, Nagô
Mãos de cura que também guardam
O segredo do sabor
A malandragem agradece
A mãe de santo, mãe do samba com amor

Unidos de Padre Miguel 
Olhai do céu senhor do Ifá (bis)
Hilária Batista de Almeida 
É Tia Ciata que vem nos guiar

2012

Enredo: Arte - Um universo fascinante
Autores: Jorginho Medeiros, Marcelo Maninho, Walace Harmonia, Wilton Reis e Flavinho Bento

A arte de imaginar, sentir, criar
Faz o homem evoluir
Primitiva criação, naturalismo dom
Da Pré-História até aqui
A Escrita desperta o artista milenar
Herança dos povos, cultura
O mundo vai se iluminar

Chegou a Unidos
Valente guerreira
Inspirando o artesão
(bis)
Do barro a prata
Da lata ao ouro
Pisando forte nesse chão

Arte...
Arquitetura, inspiração
Literatura na canção
Regendo a sinfonia popular
Meu barracão, oficina da alegria
Bordando a mão alegorias
Eu sou a arte que a vida ensinou
Aquarela, o teatro o cinema
Tecnologia em cena
Um carnaval pra seduzir o seu olhar

Pode aplaudir!
O show vai começar
Está na tela a arte de sambar
(bis)
Vermelho e branco, eterna paixão
Eu sou fruto dessa criação

2013

Enredo: O Reencontro do Céu e a Terra no Reino de Alá Áfin Oyó
Autores: Fernando Piá, Jefinho Rodrigues, Jorginho Medeiros, Pedrinho da Flor, Tuninho do Trailer, Marcelo do Rap e Andrezinho

Num sopro Olorum separou
A terra e o céu... o homem pecou
Lamento dos meus Orixás
Os doze Obás do meu Pai Xangô
Óxumaré baixou a ponte do arco-íris
Unindo novamente Orum e Aye
Pros deuses festejarem com a gente
Mamãe Oxum já preparou
Meu corpo pra essa missão
Tô cheio de amor pra nesta noite
Ver brilhar meu pavilhão

Vai ter Amalá, Inã clareou
Já fiz a cabeça, bati meu tambor (bis)
Kawó, kawó, kawó kabecilê, kawó

Exú é o mensageiro
No mundo inteiro
Vem abrir os caminhos da paz
No chão da minha escola
O baile de Sangó
A corte da justiça de Alá Àfin Oiyó
Unidos por essa magia
A nossa alegria faz o bem reluzir
Trazendo muito axé e esperança
Pros olhos da Sapucaí

Batuque Odara, girei no terreiro
Sou pedra, sou fogo, guerreiro fiel (bis)
Um ponto de fé, amor verdadeiro
A energia de Padre Miguel

2014

Enredo: Decifra-me ou te Devoro: Enigmas - Chaves da Vida
Autores: Arlindo Neto, Pedrinho da Flor, Jefinho Rodrigues, Jorginho Medeiros, Lauro Silva e Fernando Piá

É hoje que a minha alegria, vai contagiar
Em busca da explicação
Eu vou além pra desvendar
Enigmas-chaves da vida
Que abrem as portas da nossa verdade
Esfinges, escritas antigas, história da humanidade
Mistérios do Egito, um mar de respostas procuro
Lá no passado a luz do meu futuro
 
Quem sou eu? De onde vim? Pra onde vou?
Se eu morrer vai ser de amor (bis)
O tempo devora meu corpo, amar é a minha missão
Guerreiro é o meu coração
 
Vem brincar, adivinhar
O personagem no jogo da vida
Tá na mente é só resolver
Curtindo o prazer de aprender
Cigana... Meu destino já leu no tarô
Ifá... Revelou o caminho que eu vou
O amanhã o que será?
Não vou tão longe procurar
A felicidade em meu peito eu vou encontrar
 
O que é, O que é? tem samba no pé?
Vermelho e branco de um povo fiel?
(bis)
A voz que sacode a cidade?
É a Unidos de Padre Miguel

2015

Enredo: O Cavaleiro Armorial Mandacariza o Carnaval
Compositores: Jr. Beija-Flor, Ribeirinho, Toninho do Trailler, Carlinho do Mercadinho, W. Correa, Lauro Silva, Diego Rodrigues e Cabeça do Ajax

Chora a poesia
Pra cotovia que não voa mais
Depois que o Calango se escondeu
Quando apareceu o Ferrabrás
Ao lado de Caetana a mais de uma semana
Plantando o medo nos palmos de chão
Nasce o cavaleiro Suassuna
Ariano traz o canto da graúna
A carruagem chegou à cidade
Gregório dá asas à imaginação
No circo um palhaço, o verbo afiado, na fé redenção

No Cariri a imagem do cão
O cramulhão que maltrata o destino (bis)
Mas há também a criança do bem (amor, amém)
A bandeira do divino

É no Nordeste que a "bataia acuntece"
Sai pra lá cabra da peste, vai de retro assombração
Mandacaru há uma flor na caminhada
Há no cabo da enxada
O suor do meu sertão
Mas João Grilo desembesta a gritaria
De que vale a romaria
Se essa noite está no fim?
Compadecida dia de graça altaneiro
Chicó responde sorrateiro
Não sei, só sei que foi assim!

Olhai por nós, oh! Virgem do céu
Mandacariza o meu Carnaval (bis)
Eu sou Unidos de Padre Miguel
Bendito seja o cavaleiro armorial

2016

Enredo: O Quinto dos Infernos
Compositores: Toninho do Trailler, Jr Beija Flor, Marcelo do Rap, Thiago Alves, Alair Perobelli, Diego Alan, Alex Santos, Pebo Pinheiro, Wallace Harmonia, Diego Rodrigues e Samir Trindade

Chegou a hora!
Preste atenção no que eu vou falar
Desde os tempos de Cabral
Meu Brasil cara-de-pau
Virou galhofa colonial
Lá vem João, seu banquete a frente
Comeu o frango restou osso pra gente
Somos a terra dos esfarrapados
Igual ao índio nos deixaram pelados
Negão veio de lá, da África pra cá
Se ele soubesse pulava no mar
Com a sinhá se misturou
Mas o doce o rei levou

Brotou na Ribeira, o Ouro
Mamaram nas tetas das Minas Gerais
(bis)
A farra do quinto tirou nosso couro
Quem tem muito, sempre quer ter mais

Lá vai o rei
Com a mesma frouxidão que aqui chegou
E hoje eu sei
O jeitinho que o país herdou
Vamos proclamar felicidade pra geral
Mandar pros infernos, varrer todo mal
Unidos é hora de kizombar amor
Vermelho e branco a minha fantasia
A nossa alma ninguém levou
Liberdade ainda que folia

Ei você aí
Avisa na corte a zorra é aqui (bis)
A festa é do povo, guerreiro, fiel
Que ama a Unidos de Padre Miguel

2017

Enredo: Ossain - o Poder da Cura
Compositores: W. Corrêa, Samir Trindade, Claudio Russo, Marquinhos, Alan Santos, Jr Beija-Flor, Ribeirinho, Dilson Marimba, Carlinhos do Mercadinho e Cabeça do Ajax

Os tambores na floresta
São clamores pela cura
A raiz se manifesta
Onde a seiva se mistura
Cai a tarde vai cruzar o céu eye
O olhar sagrado vai resplandecer
A quem foi um dia escravo, senhor do axé (axé)
Ossain massera nas folhas a fé
Ossanha prepare o pilão
A sua missão é legado de Olodumaré

Êh katendê, lá na mata da Jurema
Kosi ewe kosi orixá
(bis)
Abô, abô
Preto véio ensinou, hoje eu quero me banhar

A lua de prata clareia
Babalossain na aldeia
Xangô tentou se apoderar
Clamou aos ventos de Iansã
Mas o mistério sempre estará
Nas mãos do filho de Nanã
Oxalá ao seu herdeiro, minha devoção
Orunmilá, traga em seus olhos nossa proteção
O samba é o remédio da alma
O sassayn que vai além
Chegou o dia, na tribo da Vila Vintém

Vai ter xirê, ogans e alabês
Ossain motumbá (bis)
Hoje a Unidos de Padre Miguel
Tem o poder de curar