PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

MAURÍCIO MAIA

MAURÍCIO MAIA

      

     

       

 

 

        Ano de nascimento: 1971

           

                                                                     

   
         O cantor, compositor e músico Maurício Maia é oriundo da comunidade da Ilha do Governador. Começou a cantar muito cedo, com 14, 15 anos de idade, no bloco carnavalesco Boi da Freguesia, que mais tarde se transformou na Escola de Samba Boi da Ilha do Governador. Naquela época e até bem pouco tempo, era conhecido como Maurício 100.

Aliás, Maurício foi o primeiro puxador oficial da história do Boi – permaneceu neste posto por mais de dez anos – e foi autor de seis sambas na escola, todos em parceria com dois compositores bem populares na Ilha: Carlinhos Fuzil (seu cunhado) e Marquinhos do Banjo. A partir de 1990, começou a compor também para a União da Ilha, onde venceu sua primeira disputa em 1992, no enredo “Sou mais minha Ilha”. 

Entre os anos de 1988 e 1992, na escola de cores azul, vermelha e branca, foi apoio de Quinho e de Aroldo Melodia. Com a saída de Aroldo, após o carnaval de 92, Maurício Maia foi convidado pela direção da escola a assumir o microfone no ano seguinte. Com “Os maiores espetáculos da Terra”, conduziu, pela primeira vez, um samba enredo no Grupo Especial. No ano seguinte, o cantor defendeu na disputa da Beija-Flor de Nilópolis o samba vencedor para o enredo “Margareth Mee, a dama das bromélias”, mas na avenida, foi apoio de Preto Jóia quando a Imperatriz Leopoldinense foi campeã com o enredo “Catarina de Médicis na corte dos Tupinambós e Tabajeres”. Em 96, além de cantar no Boi e ser apoio na União da Ilha, o cantor também puxou samba no carnaval de São Paulo, pela Pérola Negra, que havia subido para o Grupo Especial paulistano. O samba “Navegar é preciso” também foi de sua autoria, com seus parceiros Carlinhos e Marquinhos. 

Um momento importante na carreira de Maurício Maia foi em 1999, quando soube que iria conduzir a União da Ilha semanas antes do carnaval, após a saída de Rixxa. O cantor não estava freqüentando a quadra por causa de problemas de saúde de seu filho. Mesmo assim, o presidente da escola, Jorge Tauffie Gazelle, o Peixinho, lhe convocou para assumir o microfone no desfile, junto com Roger Linhares. A experiência, segundo Maurício Maia, foi boa, mas também complicada, mas ele e Roger se superaram na condução do samba “Barbosa Lima, 101 anos do Sobrinho do Brasil”.

Maurício Maia confessa que suas maiores influências musicais foram Neguinho da Beija-Flor e Aroldo Melodia. A convivência com Quinho também lhe foi importante, pois aprendeu também a se soltar e a vencer a timidez. Recentemente, Maurício Maia lançou seu primeiro CD solo, intitulado “Que saudade amor”, que traz um repertório em que mistura sambas românticos com pagodes de raiz. O cantor se apresenta em bares e casas noturnas no Rio de Janeiro acompanhado pelo grupo Maurício Maia & Cia.

 
Início: Bloco Boi da Freguesia (atual Escola de Samba Boi da Ilha do Governador), na década de 80)

Primeiro ano como intérprete oficial: 1989 (Boi da Ilha)

1989 a 2000 – cantor oficial do Boi da Ilha

1988 a 1990 – apoio de Quinho, na União da Ilha

1993 – União da Ilha

1994 – apoio de Preto Jóia, na Imperatriz Leopoldinense

1995 a 1998 – apoio de Aroldo Melodia, Ito Melodia e Rixxa, na União da Ilha

1996 – Pérola Negra (SP)

1999 – União da Ilha, com Roger Linhares

Desde 2000 – apoio de Serginho do Porto, Wander Pires e Ito Melodia, na União da Ilha 

GRITO DE GUERRA: Alô, minha Ilha! Faz a festa... faz a festa, meu povo! 

CACOS DE EMPOLGAÇÃO:alô, vocês”; “se liga, se liga”; “tá bonito demais”, “vamos sacodir, bateria”; “gira, baiana”, “canta, minha escola”. 

SAMBAS DE SUA AUTORIA: “Diz no pé, Brasil” (Boi da Ilha/91, com Carlinhos Fuzil e Marquinhos do Banjo); “Sou mais minha Ilha” (União da Ilha/92, com Carlinhos Fuzil e Marquinhos do Banjo); Rio de Janeiro, Paraíba sim senhor” (Boi da Ilha/96, com Carlinhos Fuzil e Marquinhos do Banjo);Navegar é preciso” (Pérola Negra/96, com Carlinhos Fuzil e Marquinhos do Banjo); “Fatumbi, a Ilha de todos os santos” (União da Ilha/98, com Almir da Ilha e Márcio André);A saga de Kananciuê na aurora do mundo Carajá” (Boi da Ilha/99, com Carlinhos Fuzil, Grilo e Marquinhos do Banjo);Folias de Caxias – De João a João... É o carnaval da União!” (União da Ilha/2002, com Carlinhos Fuzil, Muca, Régis, Ronaldo Maiato e Ronald, Niva); "As Minas Del Rei São João" (União da llha/2006, com Alberto Varjão, Carlinhos Danoninho, Muca, Adilson Cobra Criada, Bebeto do Arrastão, Pinto, Carlinhos Fuzil, Ricardo Grassano e Niva) e "Ripa na Tulipa, Ilha" (União da Ilha/2007, com Alberto Varjão, Carlinhos Fuzil, Jorginho e Niva). 

Discografia:

- Que saudade amor (2004)

MAIS FOTOS DE MAURÍCIO MAIA

Voltar à seção Intérpretes