PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

LUIZITO

LUIZITO

      

     

 

       

        Nome Completo: José Luís Couto Pereira da Silva

 

 

        Ano de nascimento: 1954

'

      Ano de falecimento: 2015

     

                                                                     

   
         
Luizito é um puxador de samba com a voz forte, boa dicção e o timbre marcante. Por mais de 10 anos, foi apoio de Carlinhos de Pilares na Caprichosos. Função que desempenhava disciplinadamente, como um reserva que aguarda o momento adequado para entrar em campo. Depois de acompanhar Carlinhos, Luizito foi apoio de outros puxadores que passaram pela escola de Pilares, como J. Leão, Aroldo Melodia e Márcio Souto.

          Em 1993, Luizito foi um dos autores do samba “Não existe pecado do lado de cá do Túnel Rebouças”. O enredo foi movido pela polêmica devido a apresentação durante o desfile de um carro alegórico que mostrava o assalto de um pivete a um turista no Rio de Janeiro. O caso gerou críticas à escola por apologia à violência.

          Em 1994, finalmente, Luizito foi alçado à condição de intérprete principal da azul e branco de Pilares. Durante três anos foi a voz oficial da escola. Logo após gravar o samba de 97, “Do tambor ao computador”, o cantor foi demitido da escola e substituído por Jackson Martins.

Em 1998, Luizito foi convidado a participar da disputa na Estação Primeira de Mangueira, defendendo a parceria de Carlinhos das Camisas, Nélson Csispal, Nelson Dalla Rosa e Villas Boas, para o samba “Chico Buarque da Mangueira”. A obra saiu vencedora na finalíssima. O ótimo desempenho de Luizito na interpretação garantiu a ele um lugar no carro de som da verde-e-rosa ao lado do legendário Jamelão. Em 2001, teve uma rápida passagem na Unidos de Villa Rica de Copacabana, para puxar o samba “Da vila olímpica à Villa Rica – Chiquinho da Mangueira”.

Após não ter participado do desfile em 2006 devido à morte de sua esposa, Luizito retorna à Estação Primeira com uma responsabilidade fora do comum: devido a um AVC sofrido por Jamelão, foi promovido a intérprete oficial da Mangueira em 2007 em substituição ao mestre. Tanto que o samba da Mangueira tem a sua voz no CD do Grupo Especial de 2007.

Faltando pouco tempo para o desfile, sofreu um princípio de enfarte durante um ensaio técnico da escola e foi vetado pelos médicos para participar do desfile. Mas Luizito - que também trabalha como taxista - desobedeceu a ordem médica e puxou a Mangueira não só no desfile oficial como também no Sábado das Campeãs. Desde então, foi efetivado como intérprete oficial da Estação Primeira. Em 2010, integrou o projeto "três tenores", idealizado pelo presidente mangueirense Ivo Meirelles, em companhia com Zé Paulo Sierra. Em 2010, Rixxa compôs o trio. Em 2011, foi a vez de Ciganerey. No final de 2010, durante uma festa na quadra que celebrou o título brasileiro do Fluminense, o flamenguista Luizito chegou a se afastar da Mangueira, após um desentendimento com um tricolor. Poucos dias depois, acertou seu retorno. Dividiu o posto com outros cantores até 2013. Com a saída de Ivo Meirelles da presidência, voltou a ser o único cantor oficial da Verde-e-Rosa a partir de 2014, faturando o Estandarte de Ouro no ano seguinte.

Às vésperas do Carnaval de 2008, seu segundo como titular no carro de som da verde-e-rosa, exclamou numa entrevista à Super Rádio Brasil-LBV (acessível aqui) que encerraria a carreira caso saísse da Mangueira: "Hoje eu estou na escola que eu amo, na escola que eu torço. Se amanhã ou depois, por um motivo qualquer, não estiver mais na Mangueira, não estarei em lugar algum". Luizito cantou na sua escola de coração até o fim da vida. O intérprete faleceu de infarto fulminante na madrugada de 6 de setembro de 2015, assim que chegou na casa da namorada depois de participar normalmente de um ensaio no Palácio do Samba, deixando mais uma vez o torcedor mangueirense órfão de uma voz do samba identificada com a agremiação.

 
Início: Caprichosos de Pilares, no final da década de 70. 

Primeiro ano como intérprete oficial: 1994 

1984 a 1993 – Caprichosos (apoio de Carlinhos de Pilares, J. Leão, Aroldo Melodia e Márcio Souto). 

1994 a 1996 – Caprichosos 

1997 – Caprichosos (apenas gravou o CD de sambas, não desfilou) 

1998 a 2005 – Mangueira (apoio de Jamelão) 

2001 – Unidos de Villa Rica

2007 a 2015 - Mangueira (intérprete oficial - posto dividido com Zé Paulo e Rixxa em 2010; Zé Paulo e Ciganerey de 2011 e 2013 e Agnaldo Amaral em 2013)

 

GRITO DE GUERRA: Na Caprichosos, não tinha um grito de guerra específico. Usava: Amor, voltei... vamos que vamos, minha Caprichosos de Pilares! Ou ainda: Alô, povão da Caprichosos! Vem comigo! Na Mangueira, consagrou o: Chegou a garra, chegou a emoção, chegou a escola de samba mais querida do Planeta. Chegou a Estação Primeira de Mangueira.

 

CACOS DE EMPOLGAÇÃO:coisa linda”; “vem comigo”; “que maravilha”; “bate no peito e diz”; “sacode, bateria”; “brilha... brilha... brilha”; “graças a Deus”; “vamos lá, minha Velha Guarda”.

 

SAMBA DE SUA AUTORIA:Não existe pecado do lado de cá do Túnel Rebouças” (Caprichosos/93, com Carlos Ortiz, Karlinhos de Madureira, Marco Lessa e Tico do Gato).

'

ESTANDARTE DE OURO: 2015. Possui um Tamborim de Ouro de Voz da Avenida em 2007.

MAIS FOTOS DE LUIZITO


Com Carlinhos de Pilares, em 1996.


 Durante sua participação no programa Sem Censura, da TV Educativa-RJ, uma semana antes dos desfiles de carnaval 2005. Foto tiradas por Marco Maciel. 



Puxando o samba da Mangueira em 2002 com Jamelão (as duas últimas fotos cedidas por Rixxa Jr.)