PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

LEOZINHO NUNES

LEOZINHO NUNES

           

        

 

 

        

 

 

 

        Ano de nascimento: 1988 

     

                                                                     

Apesar de já ter passado por outras escolas, Leozinho Nunes considera que foi na São Clemente onde deu seus primeiros passos no samba. Antes de parar na amarelo e preto de Botafogo, o cantor já passou pelas escolas mirins Petizes da Penha, onde foi puxador oficial de 2005 a 2007 (inclusive ganhando o prêmio Olhômetro em 2006), Estrelinha da Mocidade, Mocidade de Vicente de Carvalho, Mocidade de Inhaúma, Tradição, Unidos de Padre Miguel, Unidos de Tamandaré (Guaratinguetá/SP), Renascer de Jacarepaguá e na Império da Praça Seca – escola que já enrolou a bandeira – onde foi cantor principal durante três anos.

A relação com a São Clemente iniciou em 2012. O amigo Igor Sorriso o convidou para fazer uma participação e logo após surgiu o convite para integrar o carro de som da escola no carnaval de 2012 para conduzir o samba “Uma aventura musical na Sapucaí”.

No entanto, a maior alegria em sua recente carreira, segundo o próprio intérprete, foi ter emplacado o samba na São Clemente para o carnaval de 2015, cujo enredo foi uma homenagem a Fernando Pamplona idealizada pela carnavalesca Rosa Magalhães, considerado um dos maiores desfiles da nação clementiana. “Foi um samba muito bem cantado na avenida, isso não há dinheiro que pague. A escola entrou com muita garra, força e amor. A escola veio muita linda, me emocionou”, afirmou. Para Leozinho, este se tornou seu samba inesquecível e uma espécie de volta por cima, já que a parceria do sambista havia sido derrotada na final de 2014 no enredo sobre as favelas.

Após a ida de Igor Sorriso para a Vila Isabel, logo depois do carnaval de 2015, Leozinho foi promovido no carro de som para o cargo de intérprete oficial, em uma iniciativa do presidente Renato Almeida de valorizar a “prata da casa” e dar chance aos jovens talentos, tal qual fez com Igor.

Embora ainda jovem, Leozinho Nunes já possui sua marca registrada, tal qual os grandes intérpretes. O cantor já se tornou famoso em disputas de samba pelo seu grito de guerra, “É o som do bem!”, criado quando ele anda era cantor de uma escola mirim. Ele afirma que o jargão tem como ideia levantar a bandeira de que o samba é composto de pessoas boas e de caráter. “Eu gosto de falar que é ‘o som do bem’ porque no samba tem muitas pessoas de bem”.

Leozinho tem um estilo de interpretar alegre e festivo, com um timbre de voz lembrando um pouco Émerson Dias, e um corte de cabelo sempre estiloso. Um detalhe que passa despercebido no jovem intérprete é o fato dele ser gago desde os cinco anos de idade, o que é imperceptível enquanto canta.
 
INÍCIO: escola de samba mirim Petizes da Penha (de 2005 a 2007). 
2012 a 2015 – Império da Praça Seca (cantor principal)
2012 a 2015 – São Clemente (apoio de Igor Sorriso)
Desde 2016 – São Clemente (cantor principal)

GRITO DE GUERRA: Meu orgulho é a São Clemente! É o som do bem! Beleeeeezaaa...

GRITO DE EMPOLGAÇÃO: “Alô zona sul”; “Outra vez, outra vez”; “É isso aí, família São Clemente”. Geralmente faz a chamada com as primeiras palavras do versos do samba.

SAMBA DE SUA AUTORIA: “A incrível história do homem que só tinha medo da Matinta Pereira, da Tocandira e da Onça Pé de Boi” (São Clemente/2015, com W. Machado, Hugo Bruno, Diego Estrela, Ronni Costa e Victor Alves).

PREMIAÇÕES: Olhômetro (2006).

MAIS FOTOS DE LEOZINHO NUNES


Em 2015 na final da São Clemente com Arlindinho, Victor Alves no violão, Tinga e Ito Melodia


Em sua estreia como intérprete oficial da São Clemente, em 2016


Leozinho no Carnaval 2017 - Foto: Rafael Arantes


Com seu ídolo Dominguinhos do Estácio



Leozinho de amarelo no ensaio técnico da São Clemente em 2017 - Foto: Samba e Paixão


Nos bastidores para a gravação do CD de 2017, Leozinho e Alceu Maia (um dos compositores do samba clementiano de 1990) - Foto: Rafael Arantes



Voltar à seção Intérpretes