PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

LEÃO DE NOVA IGUAÇU

LEÃO DE NOVA IGUAÇU

FUNDAÇÃO  15/11/68
CORES  Vermelho, Branco e Ouro
QUADRA  Rua Mário José da Fraga, 41
St. Eugênia
Nova Iguaçu
Telefone: 2767-4602
Fax: 2767-1845
BARRACÃO Rua Prof. Pereira Reis, 42
Santo Cristo
SÍMBOLO  Leão

 

RESULTADOS - SAMBAS-ENREDO

 

HISTÓRICO

O G.R.E.S. Leão de Nova Iguaçu foi fundado em 15 de Novembro de 1968 por um grupo de jovens que pretendia promover o carnaval de Nova Iguaçu. Surgiu como bloco de embalo, e logo a seguir passava a concorrer como bloco de enredo em 1970. Nesta categoria conquistou 8 títulos de campeão e vice-campeão até que no ano de 1986 passou a desfilar como escola de samba. Em 1987 consegue o seu primeiro título como escola.

Até que, no ano de 1992, atinge seu grande objetivo: o Grupo Especial, tendo o direito de desfilar entre as maiores escolas do carnaval carioca com uma grande homenagem a Janete Clair. Com um contingente de cerca de 3.200 componentes, realiza um grande carnaval. Mas, infelizmente, desce de grupo, apesar de toda e estranheza da imprensa especializada em relação à colocação da Leão. 

O G.R.E.S. Leão de Nova Iguaçu sempre teve em sua ala de compositores seu ponto alto. Dentre seus componentes destacam-se nomes como Neguinho da Beija Flor, Dedé da Portela, Darcy da Mangueira, Romildo, Bira Quininho, Pingo, Menilson, Jairo Braulio, Miltinho, Anizio do Cavaco, Adilson Magrinho, Miro Barbosa, Cabana, Tio Chico... Todos com excelente participação no Leão e na Musica Popular Brasileira. Sua sede é própria e fica no bairro de Sta. Eugênia, em Nova Iguaçu. Foi bicampeã do carnaval de 1999 e 2000. 

De 2001 a 2004, permaneceu por quatro anos seguidos no Grupo A. Desde 2004, vem amargando uma trajetória descendente, pois neste ano desceu do Grupo A para o B e, em 2005, acabou por sofrer seu segundo rebaixamento consecutivo. Após dois anos no Grupo C, a Leão amargou mais um descenso em 2008. Em 2009, desfilou no Grupo D, onde mais uma vez terminou rebaixada. Em 2010, a agremiação, que já chegou a fazer parte do Grupo Especial em 1992, desfilou pelo Grupo E, o último grupo. Campeão, voltou para o Grupo D em 2011, mas novamente amargou o descenso. Ascendeu de divisão em 2013, integrando o Grupo C, do qual foi campeão em 2015. Em 2016, reforçado com Nêgo e Cid Carvalho, realizou um belo desfile no Grupo B, obtendo a terceira posição. No entanto, caiu para o Grupo C no ano seguinte.

RESULTADOS DA ESCOLA

1987 - 3ª no Grupo 4 
Oba, Oba, Ziriguidum Skindô 

1988 - 1ª no Grupo 4 
O Coração de Ganga Zumba 

1989 - 3ª no Grupo 3 
Alafim-Yo-Yó 

1990 - 1ª no Grupo B 
O Leão Falou, Abre o Jogo, Doutor 

1991 - 2ª no Grupo A 
Quem te Viu, quem TV 
Lílian Rabello

1992 - 13ª no Grupo Especial 
O Leão na selva de ilusões de Janete Clair 
Fábio Borges, Adalmir Braga e Paulo Sottero

1993 - 5ª no Grupo A 
O Que é Que a Baixada Tem 
Fábio Borges

1994 - 6ª no Grupo A 
Da França Tropical a Orfeu do Carnaval 
Fábio Borges

1995 - 13ª no Grupo A 
Arautos do Brasil Mulato 

1996 - 9ª no Grupo B 
Tudo Isto quer Dizer Brasil 

1997 - 5ª no Grupo C 
O Som Nosso de Cada Dia 

1998 - 8ª no Grupo C 
A Força da Fé

1999 - 1ª no Grupo C 
O Leão Ruge Forte em Nova Iguaçu 
Jaime Cezário

2000 - 1ª no Grupo B 
O Leão no Caminho do Ouro 
Jaime Cezário

2001 - 8ª no Grupo A 
Allah-la-ô, um Carnaval das Arábias 
Alex de Souza

2002 - 5ª no Grupo A 
Do Esplendor Diamantino aos Sonhos Dourados de Juscelino 
Alex de Souza

2003 - 8ª no Grupo A 
Beleza: a Eterna Busca do Ser 
Alex de Souza

2004 - 11ª no Grupo A 
Insone Planeta Insano 
Mauro Quintaes e Gilberto Muniz

2005 - 11ª no Grupo B 
Na Magia do Palco da Vida. Emilinha Borba, a Rainha do Brasil!
Flávio Alberto e Nelson Ferreira

2006 - 9ª no Grupo C
Quem Acredita Sempre Alcança

Flávio Alberto

2007 - 10ª no Grupo C
Bairro Escola, a luz da esperança para uma Nova Iguaçu
Soller Viana

2008 - 13ª no Grupo C
Do Luxo ao Lixo
Lane Santana e Jorge Gomes

2009 - 12ª no Grupo D
Da pré-história ao Carnaval, o Leão conta a sua história
Marco Aramha e Marcyo de Olliveira

2010 - 1ª no Grupo E
De Neguinho da Vala, a Neguinho da Beija-Flor. Um príncipe negro na corte do Leão
Comissão de Carnaval

2011 - 6ª no Grupo D
Nas garras do Leão? Os sentidos da emoção
Comissão de Carnaval

2012 - 9ª no Grupo D
Do Maxabomba, um caminho de glórias rumo ao futuro
Amauri Santos e Léo Mídia

2013 - 2ª no Grupo D
Filho de mestre... Mestre Andrezinho é a eterna estrela do samba
Robson Goulart

2014 - 8ª no Grupo C
Quero ver quem não vai se embalar... Babi Cruz, a verdadeira majestade da passarela!
Robson Goulart

2015 - 1ª no Grupo C
Da força de Zumbi à raça de Mandela!
Ivan Carneiro 

2016 - 3ª no Grupo B
Pas de Dance. Hoje tem festa no arraia!
Cid Carvalho

2017 - 10ª no Grupo B
Ilê Axé Opô Afonjá – O Rei está na terra
Cid Carvalho

SAMBAS-ENREDO

1989

Enredo: O Alafim de Oyó

Compositores: Paulinho Manahu, Zé Ferreira, Marcos, Cabeça Branca e Bené

 

A estória que hoje vamos exaltar

Fala de Xangô, guerreiro-rei

Da força de um grande orixá

Nascido filho de Oranian

Vitorioso, ele parte para Oyó

Onde seu irmão é destronado

O novo rei é aclamado

E ele torna-se alafim

De reis vencidos, o guerreiro fez ministros

Mas as vitórias o fizeram esquecer

Do sofrimento infringido ao seu povo

Pelo seu modo irreverente de viver

 

Num desafio feito por sua nação (bis)

É tragado por um raio, ao clamar pelo trovão

 

(E assim)

Torna-se assim um orixá

Possuindo três esposas

Conta a lenda yorubá (yorubá, yorubá)

A ingênua Obá, a dengosa Oxum

E a poderosa Oiá

Oiá balé, Egun Nitá

 

Aieieu fidérioman, arerê obá (bis)

 

E no Brasil, onde Xangô é cultuado

Seu oxê é respeitado em demonstração de fé

O analá e o carneiro bem calçado

Sob o toque de Alujá, fazem parte do axê

 

Axé, axé meu povo (bis)

E o Leão trazendo axé de novo

 

1991

Enredo: Quem te viu quem TV

Compositores: Jairo Braulio, Mario Carabina, Adilson, Magrinho e Claudinho

 

Quem me viu

Não pode reclamar agora

Transmitindo alegria

Entre a paz e a violência

Quero de você toda audiência

Sou o retrato do mundo

Que chora, se agita

Seguindo a transformação

No seu coração vou fundo

Sou companheira da sua solidão

 

Viajando, viajando

Através da Embratel (bis)

Informando a todo mundo

Esse é o meu papel

 

Hoje sou Leão estou no ar

Virei "Manchete" para o "Globo" apreciar

Se liga no canal da alegria

Do sonho, da fantasia, da ilusão

Meu programa é festa e simpatia

Trilha sonora vem na juba do Leão

 

Televizinho já não vejo mais (bis)

A evolução deixou pra trás

 

Ensinei o que é bom

E mostrei o que não presta

Do preto e branco o homem coloriu

A TV evoluiu

Pintou uma aquarela nessa tela

 

Qual será o fim dessa novela (bis)

 

1992

Enredo: O Leão na selva de ilusões de Janete Clair

Compositores: Carlinhos Pretinho, Tavinho Dafé e José Jorge

 

Brilhou

Sob o clarão da lua

Ao som de um cantar

Oh musa inspiradora

 

Oh divina flor, mulher, mulher

No universo de sonho e fantasias (bis)

Nasceu o mundo de Janete Clair

 

Hoje és "O Astro" da folia

Nesse palco de desejos e emoções

Quero reviver seu dia-a-dia

Na "Selva de Pedra" de ilusões

Coragem, irmãos

A terra arde pelo avanço

E a natureza perde o encanto

Na sede louca da ambição

 

Amor, amor, amor (ô, ô, ô, ô)

Só você é quem constrói (bis)

A razão da minha vida

É a paixão, meu "Pai Herói"

 

Lá vou eu

No reino das emoções

Das esfinges sou o rei

De uma imaginação

 

"Eu Prometo"

Sua arte vai continuar (bis)

E na Selva de Ilusões

Uma estrela vem brilhar

 

1993

Enredo: O que é que a Baixada tem

Compositores: Jairo Braulio, Claudinho, Joel do Cavaco e Mario Carabina

 

Já em tempo rudimentar

Entre as serras

Já resistia o nosso chão

Castigado pela natureza

 

Marcado pela fúria de um vulcão (bis)

 

E quando veio o descobrimento

Ocupada por tupinambás

A Baixada em desenvolvimento

Com seus engenhos, olarias e canaviais

Fazenda São Bernardino

Recanto da nobreza imperial

Era pelo caminho do Pilar

Que a Baixada assistia o ouro passar

 

Não tem mais pilão

Pra socar café (bis)

Nem gemido na senzala

Do nego Pai Tomé

 

Os laranjais

Foram relíquias da região

Hoje há refinaria, importantes rodovias

Sofre violência e discriminação

Mesmo assim não se mascara

Rindo mostra sua cara

No cenário cultural

O Leão se manifesta

Samba e mostra sua festa

Deslumbrando no carnaval

 

Balança a "Ponte"

No sacolejar do trem (bis)

Olha a Beija-Flor aí

Grande Rio e Leão também

 

1994

Enredo: Da França Tropical a Orfeu do Carnaval

Compositores: Hugo Bispo, Paulinho Madrugada e Paulinho Careca

 

É mon amour pra lá

É um tal de mon petit (bis)

Leão traz França à Sapucaí

 

Vindos

De uma terra tão distante

Para conquistar nosso torrão

Nas armas não valeu

Na vida se aprendeu

Com a força não se ganha um coração

Vieram em busca da nossa riqueza

Se encantaram com a beleza

Do nosso imenso país

Trouxeram toda arte a cultura

E o moda fina de Paris

 

Essa onda pega

No país do Patropi (bis)

Francesinha vem sambar

Começou o Frenesi

 

A bandeira a girar

No minueto mais feliz

Traz o carnaval que o mundo vê

Quero no reveillón que vai chegar

Tomar champanhe pra brindar

Até o dia nascer

 

1995

Enredo: Arautos do Brasil mulato

Compositores: Guilherme, Menilson, Juares e Feijão

 

Oh, sublime luz da inspiração

Vem lampejando poesia

Hoje tem arte barroca

Pra me encandecer de alegria

Como é linda essa cultura, estou feliz

É a mistura, emoldurando o meu país

 

Querubins e Serafins

Os anjos da liberdade (bis)

Com a missão de semear a sedução

Criaram o tom na miscigenação

 

Assim nasceram

Pintores, escultores e poetas

Abrindo portas para uma nova geração

Construindo um mundo novo e genial

Herança da riqueza nacional

São arautos do Brasil mulato

Charmoso, resistente e triunfante

Orgulho desta raça, que na raça

Enobrece esse gigante

Com força, esperança e fé

 

Mão divina e criadora

De ouro fez o meu sonhar (bis)

O pé deu um toque de magia

Em forma de beleza singular

 

1996

Enredo: Tudo isto quer dizer Brasil

Compositores: ???

 

Vem ouvir

A voz do meu cantar

Sou Leão de Nova Iguaçu

Maravilhas vou contar

(Mas vindos...)

Vindos do além mar

Aqui chegaram os navegantes

Para esta terra desbravar

Os índios filhos desse chão

Sem vacilação

Não aceitaram a escravidão

Mesmo assim

Os portugueses se envolveram

Dando início a miscigenação

Terra boa, tudo que se planta dá

Faltou força pro gigante despertar

E então, foram buscar na África

Os negros já na colonização

No trabalho pesado

Eles foram castigados

Era só lamentação

Os imigrantes

Vieram em busca de riquezas

Aumentando a miscigenação

Surgindo esse povo alegre e varonil

Mulatos, pardos e morenos

Negros e mamelucos

Tudo isso quer dizer Brasil

Caras pintadas

Somos tetracampeões

Hoje o samba é nossa arte

Batem forte corações

 

2000

Enredo: O Leão no caminho do ouro

Compositores: Jadir Mendes, Mauro Naval, Belinha, Emerson Mattos e Sérginho do Porto

 

Vieram do lado de lá

Daqui para lá levaram o ouro

Aconteceu em época distante

Portugueses bandeirantes

Dominavam o nosso tesouro

As serras guardam marcas da história

Leão hoje é memória

Foi no maciço do Tinguá

Construiu novos caminhos e seguiu

Com o progresso o comércio expandiu

Nessa terra, os barões botaram fé

Uma das riquezas foi o café

Teve cana-de-açúcar e laranjais

No caminho onde passou

O ouro das Minas Gerais

Cachoeiras e cascatas

Nosso rio nosso chão

Tem a fauna e flora

Ótimo clima e tradição

Tão bela, orgulhosa ela está feliz

Nova Iguaçu preserva e tem raiz

Cravada na cultura do país

Nosso povo está em festa, meu Brasil

Viva os quinhentos anos, é 2000

Se o caminho é reluzente, vou passar

Vou sacudir e fazer a galera balançar

 

2001

Enredo: Allah-la ô um carnaval das Arábias

Compositores: Tavinho Dafé, José Jorge e Paulinho T.J

 

Sob a proteção de Allah

Vou balançar essa avenida

E com o Leão eu vou

Cumprindo a lei, que Maomé profetizou

Com bravura, novas terras conquistei

E a minha arte a Europa encantei

Nas cruzadas lutei, defendi meu ideal

E na memória de um povo aqui cheguei

 

Amor, me leva

Guerreiro Mouro eu sou (bis)

Vem pra Congada, Moçambique, Marujada

Fazer a festa no esplendor da cavalhada

 

As riquezas, da Moura-Encantada consegui

E nos autos-religiosos

Já fui retratado como o mal

Fui bom mascate no comércio ambulante

Com muita garra nessa terra eu venci

E no carnaval, sou um sheik de arak

O meu Saara é hoje a Sapucaí

 

Allah-la-ô é alegria

É Sahm-ba amor, é alto astral (bis)

Vem da Arábia essa magia

O delírio do meu carnaval

 

2002

Enredo: Do esplendor Diamantino aos sonhos dourados de Juscelino

Compositores: Jadir Mendes, Mauro Naval, Emerson Mattos e Belinha

 

Leão traz sedução

Paixão, brilho e amor

Diamantina, berço do ouro

Cidade onde tudo começou

Vento vem soprando de outrora

Eis o mito que entrou para a história

Juscelino Kubitschek de Oliveira

Seu sonho reluziu

Refletindo o futuro do Brasil

 

A energia está no ar

A esperança está nas urnas

50 anos em 5 (bis)

É industria e transporte

O progresso continua

 

Canções, lindas poesias

Arte, cultura e futebol

Cinema, teatro e comunicação

Anos dourados é o Brasil das emoções

JK é presidente

Quantas obras que esplendor ôô

Faz de Brasília a capital

Uma idéia genial

Que Niemeyer arquitetou

 

Chora viola, que saudade

Desperta o povo brasileiro (bis)

É centenário, Nonô está aí

É festa na Sapucaí

 

2003

Enredo: Beleza: a eterna busca do ser

Compositores: Kim da Velha-Guarda, Marcinho, Cléber e Tide

 

Explode a passarela de encanto

Com o despertar da natureza

Eterna fonte de beleza

Obra do nosso criador

Ela está na arte, na cultura e até na filosofia

Com os olhos da sapiência

Se enxerga a beleza interior

Dádiva dos deuses da mitologia

Antigos povos buscavam a juventude

No mundo das especiarias

 

Brancos, amarelos, negros e índios

Tem o seu poder de sedução (bis)

A beleza está presente nessas raças

Que fascinação

 

Pecado, cobiça e perdição

O que era belo não podia se mostrar

O velho mundo renasceu

Da França, o perfume veio pra ficar

Circo, teatro e cinema

A maquiagem predomina

Venceu o preconceito, agora é popular

Comércio e indústria vem negociar

No sacrifício, muita força e malhação

O ser humano se exercita pra buscar a perfeição

Mas beleza de verdade vem do coração

 

Vem brincar comigo, amor

E desfilar com emoção (bis)

Que o tema é a beleza

No desfile do Leão

 

2004

Enredo: Insone Planeta Insano

Compositores: Jadir Mendes, Ratinho, Belinha e Manga

 

Venham ver

A festa já vai começar

A Babel virou planeta

Os anjos vêm comemorar

Decifra-me ou te devoro

Sedução e fantasia

Onde o luxo e a nobreza

Se misturam à pobreza

Num delírio da magia

 

Gira o dia e gira a noite, loucura

Essa selva gira em profusão (bis)

São as tribos que embalam as ruas

Comprando e vendendo ilusão

 

Uma miscigenação de povos

Num cenário que encanta

De vida independente

Um eterno despertar se agiganta

Vejam só no reveillón

A procissão que vem do mar

São seres marinhos num divino ritual

Cortejando Iemanjá

 

Nova Iguaçu chegou

Vem mergulhar nessa folia

Na Sapucaí tem show

Com o swing da bateria (bis)

Meu Rio é festa

Leão, o astral

Copacabana é nosso carnaval

 

2005

Enredo: Na magia do palco da vida. Emilinha Borba, a Rainha do Brasil
Autores: Luis Carlos D'Avenida, Don Mosquito, Carlinhos Ousadia e Tanir da Ponte

Surgiu com o soprar dos anjos, ressoou
No apito do trem e do samba
Na proteção do Deus maior
Virginiana no zodiacal
E na benção de Orfeu
O pássaro dourado assim nasceu
Lá em Mangueira de alma e coração
Brilha forte em seu peito
A estrela solitária que reluz
Buscando seu destino, ainda menina fez realizar
Nos programas de auditório e de calouros
Cantando e encantando despontou
Uma estrela, Emilinha Borba se tornou

Das rádios pro mundo, surgiu
Da Marinha do Brasil, és permanente (bis)
Na sétima arte seduziu
És rainha do Brasil

Era de ouro, Night and Day
Cassino da Urca
Na corte da rainha
Tem pierrôs e colombinas
Consagração
É festa, é nosso carnaval

Na magia do palco da vida
Meu Leão chegou, vai mostrar
Nova Iguaçu traz alegria (bis)
No rufar da bateria
Emilinha, como é lindo o teu cantar

2006
Enredo: Quem Acredita Sempre Alcança
Compositores: Indio, Heitor Du Boné, Junior e Zé do Pagode

Clareou
Iluminando o infinito
Vem nesse sonho mais bonito
É carnaval, a alegria é geral
Sambando
E viajando nessa mensageira paz
Vamos sonhar e desejar cada vez mais
Que tudo pode, é só mentalizar
A força do pensamento
Energia se manifestar
Não quero mais sofrimento
Me dê a mão, vamos realizar

Água, terra, fogo e ar (está no ar)
Equilibra e gera a vida (bis)
Energia que faz o mundo girar
Hoje brilha na avenida

Crer é poder
Acreditamos em um mundo bem melhor
Chega de indiferença
Chega de discórdia e tanta ambição
Vamos juntos lado a lado
No sonho dourado, é hora de união

Mas é só acreditar e sonhar
Se entregar como criança (bis)
O Leão rugindo vem anunciar
Quem acredita sempre alcança

2007
Enredo: Bairro-Escola, a Luz da Esperança para uma Nova Iguaçu
Compositores: Jadir Mendes, Emerson Mattos, Belinha, Ratinho e Jobel do Caiçara

Adorei
O Leão em alto astral
Bairro-escola, a luz da esperança
Clareia o meu carnaval
Viajei na poesia, pintei, bordei
Fiz da minha fantasia
Uma Nova Iguaçu decantei
Relembrar os laranjais
É ver a história
Enraizada a tradição
Senhor, ilumine a mente
Que move essa gente
Em busca da evolução

A criança quer amor, ôôô
Quer brincar e estudar, lalaiá
Cultura, esporte e lazer (bis)
Paulo Freire fez valer
No amanhã acreditar

Brilha
A integração popular
Cada expressão é um exemplo
A cada descuido um olhar
Política na vida é fundamental
É o despertar pro social
Abrir o coração é bom demais
Educação é sinônimo de paz

De "A" a "Z" desenvolver
Saber faz bem, traz harmonia (bis)
Eu sou espelho, eu sou luz
Exemplo de cidadania

2011
Enredo: Nas garras do Leão? Os sentidos da emoção
Compositores: Roxinho, Adilson Dr, Checa, Boca e Cacau

Um olhar...
Faz transbordar essa emoção em mim
Uma paixão que não cabe fim
Me leva em sonhos e fantasias

Ao ouvir...
Rugir mais forte o meu Leão
(bis)
O palpitar do coração
Em êxtase de felicidade

Essa paixão se irradia
Na noite e no dia
É um doce prazer
Sentir o gosto da vitória
Ter a nossa escola
Um novo amanhecer
Que traz, um bom cheiro esse ume
Tem nosso ar um perfume
Que nos faz levitar
Na avenida, nosso povo se encanta
Mostra garra e canta
É de arrepiar!
Sentimos na pele e na alma
Esse toque que embala
Hoje é nosso carnaval

Quem é Leão
Bate no peito e não bambeia (bis)
Vai na fé, pede axé que clareia

2012

Enredo: Do Maxabomba, um caminho de glórias rumo ao futuro
Compositores: Roxinho, Adilson Dr, Everaldo, Cacau, Marcos Lauriano e Vadinho BPP

Neste santuário de beleza
Moldado pelo criador
Onde floresce a vida
O índio Jacutinga habitou
Piratas europeus chegaram
Macularam e levaram o pau-brasil
De Maxabomba a Nova Iguaçu, a evolução
Um elo forte no progresso da nação

És o paraíso, patrimônio cultural
Sua história lhe engrandece (bis)
É inspiração de poema e canção
E faz pulsar o coração

Nova Iguaçu revela seus encantos
Na fauna e flora... preservação
Na arte, no esporte e na cultura
Emociona quando ruge o meu Leão
Mostrando que o samba é tradição
Berço de artistas, grandes esportistas
No cenário mundial
Via light, um sonho se realizou
Veio a globalização, um futuro promissor
E hoje em forma de oração
Pedimos proteção para o planeta, minha gente
Um novo sol vai raiar, vamos lembrar que Tinguá
É o pulmão da Baixada Fluminense

Eu sou Leão... eu sou guerreiro
Nosso clamor vai ecoar no mundo inteiro
(bis)
É energia no ar, um turbilhão de emoção
Iguaçuano traz no peito esta paixão

2016

Enredo: Pas de Dance - Hoje tem festa no arraiá
Autores: André Jr, Mangá, George Wagner, Josué Anastácio, Serginho Castro, Demilson Petisco, Juninho Copa, Crispim Lourenço, Jonas Diretor, Márcio Oliveira, Pedro Poeta, Jadir Mendes, Walter Bonfim, Tom Tom, Marcelo Marrom, Nino do Cabuís, Junior Capixaba, Vadinho, Alemão e Laureano

Bailando a quadrilha no convés
No balanço das marés, a corte portuguesa
Atravessou o mar
Com requinte e leveza a herança francesa
Desembarca nos salões da realeza
A Pas de Dance risca o chão de poesia
E ao som da melodia
A fidalguia noite e dia a bailar
Passos marcados descem pela escadaria
E contagiam o matuto do lugar
Caminho da roça, é tempo de festa junina
Pega a menina e bota ela pra dançar

Arrasta o pé, tem forró do bom
Tem milho assado, bombocado e quentão
Pula fogueira, faz o balancê (bis)
No compasso da zabumba
Requebra que eu quero ver

O tempo passou, se modernizou, deixou saudade
Das comidas típicas, do anarriê
Da poeira do fuzuê
A dança saiu do tom
Foi para o concurso dentro do salão
Mas Pas de Dance, taí o lance
Festejando ao som do baião

Acende a fogueira do seu coração
Se avexe não, oh meu Leão (bis)
Festa na roça, pegue seu par
Vem brincar meu arraiá

2017

Enredo: Ilê Axé Opô Afonjá – O Rei está na terra
Autores: Mauro Naval, Myngal, Murilo Rayol, Mingauzinho, Douglas Oliveira, Rodrigo Marreco, Rael, Renan Pereira, Valdecir Moreno, Dedé, Pingo Sargento e Marquinhos Valério

Baiana descendente africana
Com pulso forte construiu a sua história
Na Pedra do Sal para a Baixada semeou
A casa da força sustentada por Xangô
Oba nisé kao
Oba biyi, oba déyí, airá tôlá
As pioneiras do asé òpó àfonjá
Deixaram um legado que fascina
Pra mãe Regina se emocionar

Um alujá pras yabás
Ilu batá, o dia chegou
(bis)
Oxum, Oyá, Obá, mãe Yemanjá, ôô
Kaô kabecilê é Xangô

Clareira, hoje tem festa no terreiro
Todo povo vem saldar
Sobre a luz da lua cheia
Alaáfin de Oyó
O fogo da justiça é você
É hora de celebrar no xirê
Um trovão na madrugada
Tambores a ressoar
Minha casa enfeitada
Para o rei eu vou dançar
E o cortejo, já vai partir (eu vou)
E deixo a paz, igualdade e amor (relampeou)

Relampeou, a terra tremeu
Tocou atabaque, chegou o Leão
(bis)
Oh mãe, quanta emoção
São 130 anos de paixão