PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

LEANDRO DA MANGUEIRA

LEANDRO SANTOS

              

    Nome completo: Leandro Santos

'

   Ano de nascimento: 1983

                                                                      

   
Prata da casa, este jovem puxador começou aos três anos de idade na Mangueira do Amanhã, tocando tamborim na bateria. Os anos foram passando e Leandro sempre ficava observando os cantores no carro de som da escola, até que em 2000, Leandro escreveu um samba para a escola mirim mangueirense e defendeu sozinho. Seu samba foi vice-campeão, o que lhe proporcionou a vaga de segundo interprete naquele ano. No ano seguinte, com 16 anos estreou como cantor oficial da Mangueira do Amanhã. No começo da carreira, era conhecido como Leandro da Mangueira.

Aos 18 anos, Leandro estava no grupo de apoio do mestre Jamelão, na Estação Primeira. E no ano de sua estréia na verde e rosa, Leandro foi campeão com o samba em homenagem ao Nordeste. O jovem é uma das promessas da escola e defende sambas nas eliminatórias da Mangueira e compõe o grupo de apoio em carros de som de outras agremiações, além de cantar sambas em outras cidades durante o carnaval. Foi apoio de Serginho do Porto na Estácio de Sá em 2009. Também faz parte do carnaval virtual, onde defendeu, nos anos de 2005, 2007, 2008 e 2011, as escolas Império do Vale, Altaneiros do Samba, Águia do Estácio e Estrela do Amanhã respectivamente. Fez parte da Dragões Lendários de 2012 a 2014. Em 2010, foi intérprete oficial da Império da Praça Seca no Grupo E. De 2011 a 2015, foi o microfone oficial da Estácio de Sá. Em 2014 e 2015, dividiu a função com Dominguinhos do Estácio. O convite ao veterano intérprete partiu do próprio Leandro. Em 2014, retornou à Mangueira como apoio de Luizito. Gravou a faixa do CD da Estácio para 2016, mas deixou a agremiação na sequência. Foi apoio de Ciganerey na Mangueira e oficial da Tuiuti junto com Daniel Silva, conquistando dois títulos de uma vez só. Em 2017, esteve na Acadêmicos do Sossego, que abriu os desfiles da Série A. Em 2018 iniciará mais uma vez os trabalhos na Sapucaí na sexta-feira, defendendo a Unidos de Bangu ao lado de Thiago Brito.


Site pessoal:
http://leandrosantos7.wix.com/leandrosantos?ref=nf

 

Início: Mangueira do Amanhã, aos três anos de idade, como integrante da bateria. Aos 16, estreou como intérprete oficial da escola mirim da Mangueira. Sempre foi mangueirense.

2000 a 2004 - Mangueira do Amanhã (cantor principal)
2002 a 2006 - Mangueira (apoio de Jamelão)
2003 - Paraíso do Tuiuti (apoio de Clóvis Pê)
2004 - Inocentes da Baixada (apoio de Bruno Ribas)
2005 e 2006 - São Clemente (apoio de Clóvis Pê e Leonardo Bessa)
2005 - Império do Vale (carnaval virtual)
2007 - Altaneiros do Samba (carnaval virtual)
2008 - Águia do Estácio (carnaval virtual)

2009 - Estácio (apoio de Serginho do Porto)
2010 - Império da Praça Seca
2011 a 2015 - Estácio de Sá (em 2014 e 2015, ao lado de Dominguinhos do Estácio - para 2016, gravou o samba pro CD, mas deixou a escola logo depois)
2012 - Império do Morro (Corumbá-MS)
2011 - Estrela do Amanhã (LIESV)
2012 a 2014 - Dragões Lendários (LIESV)
2014 - Mangueira (apoio de Luizito)
2016 - Mangueira (apoio de Ciganerey)
2016 - Paraíso do Tuiuti (ao lado de Daniel Silva)
2017 - Acadêmicos do Sossego (cantor principal)
2018 - Unidos de Bangu (ao lado de Thiago Brito)

GRITO DE GUERRA: É muito samba no pé. Vem também, vem também sambar com a gente. Isso é (nome da escola)!!

CACOS CARACTERÍSTICOS: "vamos lá minha comunidade!"; "vem, vem, vem minha escola de samba querida"; "minha harmonia"; "isso é (nome da escola), meu povo"; que balanço gostoso"; "chega junto, chega junto".

SAMBAS DE SUA AUTORIA: "
Ora, pois… Hoje o Banquete é Real" (Arame de Ricardo/2017, com Alan Miranda, Diego Kashima, Barone e Otaviano).

Foi eleito o melhor intérprete do Grupo A em 2011 pelo site SAMBARIO.

MAIS FOTOS DE LEANDRO SANTOS




Leandro está à direita de Clóvis Pê e Jamelão, na frente de Lequinho



Em dueto com Clóvis Pê, com Leonardo Bessa ao fundo



Ao fundo, entre Chico Buarque e Jamelão

Voltar à seção Intérpretes