PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

JORGINHO DO IMPÉRIO

JORGINHO DO IMPÉRIO

           

       

 

       Nome Completo: Jorge Antônio Carlos

 

 

       Ano de nascimento: 1945

     

                                                                     

   
          Jorginho do Império é de estirpe nobre. Nascido em Madureira e filho do saudoso compositor Mano Décio da Viola, começou a carreira fazendo abertura de shows de Martinho da Vila, no final dos anos 60. Tem cerca de 20 discos gravados em mais de 35 anos de trajetória artística. Jorginho já era um artista consagrado quando recebeu o convite da diretoria do Império Serrano para ser puxador oficial da escola, logo após o carnaval de 95.

Estreou defendendo um dos mais bonitos sambas da década de 90, “Verás que um filho teu não foge à luta”, em homenagem ao sociólogo Herbert de Souza, o Betinho. O belo desfile deu à verde-e-branco da Serrinha a sexta colocação no carnaval de 1996. No ano seguinte, Jorginho voltou novamente ao carro de som a escola. Porém, a escola não foi bem sucedida com o discutido “O mundo dos sonhos de Beto Carrero” e amargou o rebaixamento para o Grupo A. Jorginho do Império se afastou durante um ano e retornou em 1999, para puxar o samba “Uma rua chamada Brasil”.

Até hoje, estas foram as três experiências de Jorginho do Império como puxador de samba de fato. Até então, só cantava samba-enredo em shows ou em disco, geralmente os sambas de seu pai, Mano Décio da Viola, ou de Silas de Oliveira. Jorginho freqüentava a quadra do Império Serrano desde adolescente. Passou a desfilar na escola com regularidade e participava das rodas de samba na Serrinha. Em 1971, Jorginho foi eleito "Cidadão Samba do Estado da Guanabara". Por essa época, participava como ritmista do grupo que acompanhava Martinho da Vila. No ano de 1973 lançou o primeiro LP: "Pedra noventa". Em 1975, lançou o disco "Viagem encantada" e alcançou sucesso com as músicas "Na beira do mar" e "Dinheiro vai, dinheiro vem".

Sua carreira internacional inclui shows em vários países, como Hong Kong, Argentina, França e Japão. Gravou 21 LPs e três CDs durante a sua carreira. Na década de 80, Jorginho afastou-se do Império alegando divergências e se integrou à diretoria da União da Ilha do Governador. Nos anos 90, foi diretor da Unidos do Porto da Pedra, escola que ajudou a organizar e foi um dos responsáveis em transformar um pequeno bloco carnavalesco de São Gonçalo numa escola de samba em condições de competir no Grupo Especial do Rio de Janeiro. Em 2003, voltou à diretoria da Império Serrano, onde permanece até hoje.

 
INÍCIO: Império Serrano, desde a adolescência. 

Primeiro ano como intérprete oficial: 1996 

1996, 1997 e 1999 – Império Serrano 

 

GRITO DE GUERRA: Alô, familia imperiana! Verás que um filho teu não foge à luta! 

 

Discografia: 

·  Pedra noventa (1973)

·  Quem quiser pode vir (1974)

·  Viagem encantada (1975)

·  Jorginho do Império (1977)

·  Agora sim... (1978)

·  Festa do preto forro (1980)

·  Jorginho do Império (1981)

·  Alma imperiana (1984)

·  Festa do samba (1985)

·  Pra quem gosta de samba (2002)

MAIS FOTOS DE JORGINHO DO IMPÉRIO


Jorginho com o pai, Mano Décio da Viola, durante o desfile do Império Serrano de 1980




Com o sambista Jairo Bráulio, durante o programa "Carnaval de Primeira", que apresentou na CNT em 1996


Em 1992, como diretor de harmonia da Rocinha