PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

JORGE TROPICAL

JORGE TROPICAL

      

     

        Nome Completo: ????

 

 

        Ano de nascimento: 1956     

                                                                   

   
          Ao lado de Gera, o carioca Jorge Tropical formou na Vila Isabel uma das mais afinadas duplas de puxadores de samba-enredo, ao longo de quase uma década. Com a separação – devido à ida de Gera para a Portela, em 2000 – Jorge Tropical permaneceu na Vila e pôde comprovar que, sozinho, desempenha bem a função.

Ex-servidor público e professor de literatura, Jorge Tropical chegou à escola de Martinho da Vila, Paulo Brazão e outros bambas do bairro de Noel no final da década de 70. Em 1990, compôs o samba para o polêmico enredo "Se esta terra, se esta terra fosse minha", que falava sobre reforma agrária. Neste mesmo ano, passou a integrar o grupo de cantores de apoio no carro de som. Tornou-se intérprete oficial da escola em 1994, ao lado de Gera.

Em 2003, compôs sozinho, e sem qualquer patrocínio, o samba escolhido para defender o enredo "Oscar Niemeyer – o arquiteto do recanto da princesa". Os versos do samba caíram no gosto da comunidade e do júri do jornal O Globo, o que lhe valeu o Estandarte de Ouro de melhor samba do Grupo A. No entanto, com a derrota na disputa do samba para o carnaval de 2004, Tropical resolveu se afastar de Vila Isabel. Em 2005, foi apoio de Neguinho no carro de som da Beija-Flor. Em 2007, compôs o carro de som da União da Ilha com Ito Melodia. Em 2010, fez parte da equipe de Dominguinhos do Estácio na Imperatriz.

Fã de Jamelão em tempo integral, Jorge Tropical é professor voluntário nas horas vagas. Dono de uma voz grave e potente, Jorge não é chegado a gargarejos nem receitas mirabolantes: seu único segredo para os momentos que antecedem o desfile é muito repouso.

 
INÍCIO: chegou à Unidos de Vila Isabel em 1979

Primeiro ano como intérprete oficial: 1994

1994 a 1999 – Vila Isabel, sempre em dupla com Gera

2000 a 2003 – Vila Isabel  

2005 - Beija-Flor (apoio de Neguinho)

2007 - União da Ilha (apoio de Ito Melodia)

2010 - Imperatriz (apoio de Dominguinhos do Estácio)

GRITO DE GUERRA: Alô, Vila Isabel! Canta, minha escola!

SAMBAS DE SUA AUTORIA – "Se esta terra, se esta terra fosse minha" (90, com Aninha Guedes, Antonio Grande e Vilani Silva Bombril); "Oscar Niemeyer – o arquiteto do recanto da princesa" (2003).

Estandarte de Ouro: 2003 (melhor samba do Grupo A).

Voltar à seção Intérpretes