PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

J. LEÃO

J. LEÃO

      

     

       Nome Completo: José Leão Gonçalves

     

       Ano de nascimento: 1944

           

                                                                     

   
J. Leão é natural de Ponte Nova (MG), onde viveu até os seus cinco anos de idade. Depois, sua família mudou-se para o Rio de Janeiro, no bairro de Lins de Vasconcelos.

Ainda jovem começou a cantar na noite carioca em bares e até mesmo apresentando em pequenos shows, levando consigo musicas da Jovem Guarda e MPB (Música Popular Brasileira) finalizando sempre com uma boa seresta. Logo em seguida, passou a ser nome constante nas rodas de samba. Começou sua caminhada em 1977, no ainda bloco carnavalesco Unidos do Cabral, na mesma época, passou a freqüentar a quadra da SERES Unidos do Cabuçu, passando a fazer parte do grupo de puxadores da escola em 1979. A partir daí, passou a cantar com Beto do Cabuçu, Celsinho, Di Miguel e Zé Maria D'Angola. Gravou pela primeira vez o samba enredo da azul e branco de Cabuçu em 1981, "De Daomé a São Luis, a Pureza Mina Jêje", participando também do carro de som na avenida. A partir daí, passou a cantar no grupo de intérpretes. Sua voz passou a ter mais destaque em 1984, quando, no primeiro ano do Sambódromo, a escola homenageou Beth Carvalho. Na ocasião, a Cabuçu sagrou-se campeã do Grupo 1-B tendo o direito, depois de sete anos, a novamente desfilar na elite do carnaval carioca. A escola também é considerada a primeira campeã da nova Passarela do Samba, pois desfilou no sábado de carnaval. Portela e Mangueira, campeãs do Grupo Especial, se apresentaram respectivamente no domingo e na segunda-feira, com o Supercampeonato sendo obtido pela verde-e-rosa. Ainda em 1984, J. Leão desfilava junto com outra paixão, a Caprichosos de Pilares, saindo no apoio de Carlinhos de Pilares e Luizito.

Continuou fazendo parte do grupo de cantores da Cabuçu até que, em 1988, finalmente estreou sozinho no microfone número um, quando gravou &ldquoO mundo mágico dos Trapalhões&rdquo. Retornou à Caprichosos no ano seguinte, conduzindo a escola no samba-enredo "O que é bom todo mundo gosta". Em 1990, convidado pelo patrono da Vila Isabel, Capitão Guimarães, foi para a escola do bairro de Noel. Lá, junto com Jorge Tropical, foi apoio de Gera, além de participar dos projetos Roda de Samba e Casa Bamba, organizados pelo apresentador Jorge Perlingeiro.

Afastou-se dos desfiles de avenida por três anos, voltando a cantar no carnaval em 1994, como segundo intérprete da São Clemente. No ano seguinte, novo estágio na Vila. A paixão pela Caprichosos falou mais forte e o cantor retorna em 1996 para reforçar o carro de som da escola. A partir daí, J. Leão passa apenas a desfilar na agremiação de Pilares.

Durante todo esse período, J. Leão trabalhou no setor bancário, exercendo diversas funções, começando como auxiliar administrativo, supervisor administrativo, supervisor do Departamento Pessoal, supervisor de recursos humanos e tesoureiro. Aposentou-se como bancário em 1994. No entanto, o incansável carnavalesco recusou-se ao ócio, e aos 56 anos de idade, prestou concurso público para a prefeitura de Araruama, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Tomou posse em 2001 e segue trabalhando junto ao poder público municipal até os dias de hoje.
Início: Unidos do Cabuçu (final dos anos 1970).
1981 a 1986 - Unidos do Cabuçu (integrava o grupo de cantores com Beto do Cabuçu, Celsinho, Di Miguel e Zé Maria D'Angola)
1984 e 1986 - Caprichosos de Pilares (apoio de Carlinhos de Pilares)
1988 - Unidos do Cabuçu (cantor principal)
1989 - Caprichosos de Pilares (cantor principal)
1990 e 1995 - Vila Isabel (apoio de Gera)
1994 - São Clemente (apoio de Waguinho)
1996 e 1997 - Caprichosos de Pilares (apoio de Carlinhos de Pilares, Luizito e Jackson Martins)

GRITO DE GUERRA: Alô (diz o nome da escola). Chegou a hora! Durante o grito de guerra, geralmente falava alguma frase referindo-se ao enredo.

GRITOS DE EMPOLGAÇÃO: A maioria dos cacos formada pela repetição de palavras de empolgação por três vezes, de maneira ritmada (diz aí, diz aí, diz aí; beleza, beleza, beleza; o quê, o quê, o quê). Também apareciam vaaai, ha-hay, se liga harmonia!, vamos lá! Simboooora (diz o nome da escola)!

SAMBA DE SUA AUTORIA: "A festa é nossa, ninguém tasca ou quem ri por último, ri melhor" (Cabuçu/1985, com João do Cabuçu, Celsinho, João do Cavaco e Jorginho Harmonia).

MAIS FOTOS DE J. LEÃO

 
J. Leão na concentração, momentos antes do desfile Caprichosos 1989, sendo entrevistado TV Globo

 
J. Leão à frente da bateria da Caprichosos na concentração desfile 1989


 
Di Miguel (C) e J.Leão - desfile Cabuçu 1988


Foto recente de J. Leão