PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

GERALDÃO

GERALDÃO

      

     

 

       

        Nome Completo: ????

 

 

 

        Ano de nascimento: ????

       

                                                                     

   
         Geraldão é uma genuína cria do samba feito na zona sul do Rio de Janeiro, mais precisamente em Botafogo. Dono de uma inconfundível voz rouca, começou a compor e cantar na Foliões de Botafogo, no final da década de 70. Acompanhou também a ascensão e o auge da São Clemente com seus temas satíricos e irreverentes de forte crítica social entre meados da década de 80 até o início dos anos 90.

Após se afastar da São Clemente, em 92, Geraldão ainda figurou na efêmera existência da Unidos do Campinho. A escola, oriunda da fusão de blocos do Morro do Campinho, em Madureira, teve uma ascensão meteórica até o Grupo A, em 1992, com o enredo “Passa, passa tempo”, quando fez um desfile desastroso e desde então não mais conseguiu nenhuma vitória e, em 1997, desfilou pela última vez. Em 93, Geraldão cantou um dos mais belos sambas-enredo da década de 90, “A Face do disfarce”, pela Unidos da Ponte.

A partir daí, Geraldão se afasta do posto de intérprete principal e passa a se dedicar mais à Foliões de Botafogo e ao seu trabalho como compositor. Teve sambas gravados por Arlindo Cruz, Dominguinhos do Estácio, Grupo Raça (“Seja mais você”, “Eu dancei, ela sambou”), Bezerra da Silva (“Malandro Consciente”) e Alcione (“Te amo”). Geraldão também é músico e desenvolve trabalhos em bandas de samba-rock e funk.

 
Estréia como intérprete oficial (1981, na Foliões do Botafogo)

1984, 1986 e 1989 – São Clemente

1985, 1987, 1988, 1990 a 1992 – São Clemente (apoio de Izaías de Paula e Sidney Moreno)

1992 – Unidos do Campinho

1993 – Unidos da Ponte

 

GRITO DE GUERRA: Vamos nessa (diz o nome da escola)! É aí que mora o perigo! Bota pra cima!

 

CACOS DE EMPOLGAÇÃO:vamos lá, turma”; “vai-vai”; “muito obrigado, meu presidente”; “roooooda”; “atenção, harmonia”; “roda, baiana”, além de cacos temporais, conforme a letra do samba.

 

SAMBAS DE SUA AUTORIA:Não corra, não mate, não morra – o diabo está solto no asfalto” (São Clemente/84, com Rodrigo); “Elza Soares – zumbi do morro e do samba” (Foliões de Botafogo/2003, com George GV, Ricardo Góes, Ronaldo e Thiago Fernandes); “Um conto Tapajó-Madeira, foliões enfeitando a fauna brasileira” (Foliões de Botafogo/2004, com Betinho do Cavaco, George GV, Erick Souza e Thiago Fernandes).

MAIS FOTOS DE GERALDÃO

Puxando o samba da Unidos da Ponte de 1993

Fotos: Rixxa Jr (com câmera digital focando a TV)

Voltar à seção Intérpretes