PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

FLOR DA MINA DO ANDARAÍ

FLOR DA MINA DO ANDARAÍ

FUNDAÇÃO  12/12/62
CORES  Vermelho, Verde, Rosa e Branco
QUADRA  Rua Leopoldo, 938
Andaraí
Telefone: 3684-7925
Fax: 2258-7192
BARRACÃO  Rua Equador, 310

RESULTADOS - SAMBAS-ENREDO

HISTÓRICO

O C.C.E.S. Flor da Mina do Andaraí, inicialmente fundado como bloco, passou a desfilar como escola de samba em 29/07/1992. Foi reintegrada a Associação das Escolas de Samba, em 2003, depois de seis anos sem desfilar. Desde então, teve rápida ascensão, obtendo três acessos consecutivos e chegando ao Grupo B na Marquês de Sapucaí, onde desfilou por dois anos seguidos em 2006 e 2007, quando caiu tirando a última colocação. Em 2010, a Flor da Mina voltou ao Grupo B, graças ao vice-campeonato do C obtido em 2009. Mas a escola acabou novamente rebaixada e desfilará na Intendente em 2011. Um novo rebaixamento fez a Flor despencar para o Grupo D. Em 2012, a fase de queda livre persistiu. O último lugar acarretou o descenso para o Grupo E, o último grupo, onde também fez uma péssima apresentação, caindo para a Federação de Blocos. Chegou a obter um ganho judicial pra permanecer no grupo, porém não desfilou em 2014. Em 2015, retomou as atividades no Grupo D, obtendo o título no ano seguinte e subindo para o C em 2017. Entretanto, o último lugar fez a escola regressar ao Quinto Grupo para 2018.

Quando a escola ainda era bloco, destacou-se de sua ala de compositores Pedrinho da Flor, atual presidente da agremiação.

RESULTADOS DA ESCOLA

1993 - 1ª no Grupo SS
Alô, alô Seu Garcia, de Conversa em Conversa, Desce Outra, Garçom

1994 - 6ª no Grupo C
Parabéns pra Você

1995 - 1ª no Grupo C
Verde e Rosa, por que Não ?

1996 - 7ª no Grupo C
De Baco para os Homens, o Vinho Nosso de Cada Dia

1997 - 11ª no Grupo C
Escola não Desfilou

2003 - 1ª no Grupo E
São Gonçalo visita São Sebastião e Conta sua História
Comissão de Carnaval

2004 - 1ª no Grupo D
O Carnaval ganhou mais Vida com a Influência Africana através do Salgueiro
Clóvis Sant'Ana

2005 - 2ª no Grupo C
Andira-Y - Uma celebridade adocicada com 440 anos de história
Clóvis Costha

2006 - 8ª no Grupo B
O direito de ir e vir. Da aldeia do Andira-Y, da cadeirinha ao metrô, eu também vou...
Clóvis Costha

2007 - 14ª no Grupo B
O grande estadista do Brasil - João Maria José Francisco Xavier de Paula Luis Antônio Domingos Rafael de Bragança
Clóvis Costha e Marcello Portella

2008 - 4ª no Grupo C
O Sonho não vai Sucumbir, sou Costa do Sol, Herança de Zumbi!
Comissão de Carnaval

2009 - 2ª no Grupo C
Eu era Feliz e não Sabia
Rodrigo Sampaio e Diangelo Fernandes

2010 - 12ª no Grupo B
Vela
Rodrigo Sampaio

2011 - 15ª no Grupo C
Brasil coração de todos. Viva o povo brasileiro!
Jerônimo Guimarães

2012 - 13ª no Grupo D
Eternamente, Tia Zica da Mangueira
Rodrigo Sampaio

2013 - 13ª no Grupo D
Flor da Mina, cinco décadas de histórias numa trajetória cheia de glórias...
Rodrigo Sampaio

2015 - 10ª no Grupo D
Os Bandeirantes e as pedras verdes
Rodrigo Sampaio

2016 - 1ª no Grupo D
Se veste nas sete cores do arco íris para Oxumarê passar...
Clóvis Costha

2017 - 14ª no Grupo C
Mães do Brasil... histórias de luta, esperança e amor ...Na passarela do carnaval a vocês... uma Flor!
Clóvis Costha

SAMBAS-ENREDO

2005

Enredo: Andira-Y - Uma Celebridade Adocicada com 440 Anos de História
Autores: Totonho, David, Silvão e Carlos Aniceto

Era uma aldeia florada
Onde a paz fez morada, em meu interior
O índio plantava e caçava
Vivia feliz como sempre sonhou
Com a chegada da cultura e a colonização
Veio o sofrimento e a dor, com a disseminação
Fui lavoura da cana e do café
Fui pioneira da arte, com a bola no pé  

Bola a bola pro Don Don
É gol, é seleção (bis)
Com Santana abriu as portas
Deste esporte pra nação  

Quando vila operária
Lenha aqueceu a fornalha, da indústria têxtil
O progresso foi chegando, Valmar pavimentando
O transporte evoluiu, mais alegria pra massa
O Rena, orgulho da raça
A negritude resistência popular
Na telinha eu fui, celebridade amor
E hoje quero é festejar
Vem comigo amor, vem pra folia
Andara-y em harmonia, a festa é nossa
E não é brincadeira
Tem Tijuca, Grajaú, tem a Vila e Mangueira  

Tem zueira amor
E vamos sacudir (bis)
Com a Flor da Mina do Andaraí

2006

Enredo: O Direito de Ir e Vir. Da Aldeia do Andira-Y, da Cadeirinha ao Metrô, eu também vou
Autores: Totonho, David, Carlinhos Aniceto, Evaristo e Márcio Silva

Tupã abençoou este destino
Jaci vagueia na tribo dos Carajás
Bons ventos que sopraram as caravelas
Pra esta terra amor e paz
Os bravos bandeirantes desbravaram os sertões
A tropa na trilha, fundaram as vilas
Abrindo as portas pras Missões
Como um sopro divino no pé do menino
Brasil, pátria mãe gentil
No ventre da fêmea, progresso florindo
Vejam nas pinturas de Debret
Concessões assinadas, transporte fluindo
Para o mundo ver

Negro construiu com amor
Sua riqueza guardada na dor (bis)
Tanta dor, tanta sabedoria
Naqueles que foram nobreza um dia

Brasil, o transporte te uniu
Do Oiapoque ao Chuí, que alegria
Foi palco de glória e dor
E também de amor em tantas folias
O bonde, o lotação, saudade à emoção
Dos carnavais de outrora
Dona Leopoldina nos braços do Barão
Vejam nosso trem tem tanta história
Hoje o metrô fazendo a integração
Do transporte na nação

Olha a Flor da Mina cheia de euforia
No transporte da folia (bis)
A festa é do Andaraí na Sapucaí

2007

Enredo: O Grande Estadista do Brasil - João Maria José Francisco Xavier de Paula Luis Antônio Domingos Rafael de Bragança

Autores: Joel Simpatia, Jorge Macumba, Paulinho do Táxi, Pierrot e Paulinho da Área

Um corre-corre, um alvoroço em Lisboa
Anunciada a temida invasão
Dona Maria, conhecida como a Louca
Vem pro Brasil com o regente Dom João
Deixou a ver navios Napoleão
Que queria o domínio de toda a Europa por ambição
Abrindo os portos, nosso grande estadista
Chega no Rio, faz Brasil crescer nação
Cria banco pra guardar nossas riquezas
Com o império, a cultura, a impressão
Um santuário ele fez pra aclimatar
Especiarias de além-mar, academia militar
Circula o primeiro jornal brasileiro
É a Gazeta do Rio de Janeiro

Oh, meu Brasil de encantos mil
Foi retratado por Debret (bis)
Com a missão, iniciou-se a história
De belas artes que hoje o mundo vê

Comércio a crescer, nobres a comprar
Negras de fazer, senhor de engenho se apaixonar
O teatro e a capela musical
O reino unido, esperança geral
E como herança, o café imperial
Quando foi obrigado, governar sua terra natal
O nosso rei chorou, ao ver no fim o seu ideal
Fez no Brasil o que não fez em Portugal

Meu coração hoje é a sua passarela
Minha Flor da Mina vem sacudir (bis)
Com Dom João a Sapucaí

2010

Enredo: Vela
Compositores: Sarito da Mallet, Lalai, Charlinho, Zezinho, Madalena, Pedro Miranda, Beléu e Danilo Maciel

A vela me fez navegar
Conhecer os continentes
As belezas desse imenso mar
Aonde o sol vem se banhar
A vela como luz da vida
Está presente na religião
É chama pra alma
Pro corpo é paixão
É romaria é procissão
 
Um beijo molhado
Num jantar apaixonado
A luz de vela é a cara do amor (bis)     
Eu acendi, ela quis apagar
Onde é que eu fui parar
 
Tem a aura colorida
Acende o fogo ardente da paixão
É a lembrança da dindinha
O seu perfume tem feitiço, sedução...
Inspirou a arte... a canção... a poesia
Bons ventos conduz... Num sopro feliz
O velejar do meu país
O ouro reluz num sonho real...
No peito e na alma nacional
 
A Flor da Mina vem balançar
Nas ondas da Sapucaí
(bis)
Nessa regata de gente bamba        
O meu Andaraí tem samba

2011

Enredo:
Brasil coração de todos. Viva o povo brasileiro!
Compositores: Totonho, Julio Alves, Cláudio Russo, David de Souza e Pedrinho da Mina

Viva o povo brasileiro, um povo guerreiro
Que fez da luta sua formação 
Conheceu a monarquia, bendita carta de abolição
Com a República chega o progresso
A agricultura toma posse do sertão
A cultura se espalha em toda parte 
O brilho das artes virando paixão 

Meu Brasil, brasileiro eu sou
É doce relembrar, do indio, do branco (bis)
Do negro sofrido de tanto lutar 
 
O povo vai chegando em toda parte 
Misturou-se as classes as raças e a côr
Nasce um novo sonho de esperança 
Que ganha vida a magia é o amor 
Mistura tempero, sacode terreiro
Se vem de alem mar, tem canto, tem dança 
Um folclore que encanta em qualquer lugar
Vão desbravando este manto amor
Aumentando seus encantos 

Sagrado profano, gigante, criança
Da pele morena na cor da esperança
(bis)
Yara vagueira no nosso torrão
É verde e amarelo o meu coração

2012

Enredo: Eternamente, Tia Zica da Mangueira
Compositores: Brasil, Sarito da Malet, Totonho, Camila Borges, Dudu, Zezinho da Malet, Julio Alves, Joadil Junior e Evaristo

Brilhou no surdo de primeira, marcou Mangueira
Nasceu no samba e no samba se criou
Abençoada com a nobre missão
De caminhar com a primeira estação
A força do amor extrapola
Faz a mente viajar, Zica resgata um poeta
E novas canções fez criar
Dos acordes do seu violão
Estão eternizados um legado de canções

No Zicartola só não fez chover
Cavaco e viola faziam o couro comer
A culinária formava Opinião (bis)
Ela é de comunidade e força
É raça e pé no chão

Se as rosas não falam
Nos vamos mostrar
Seu perfume exala
Em poesias no ar
A sua história
Faz meu samba respirar
Lição de vida
Que aprendeu pra ensinar

Mensageira do amor, eterna paixão
Vem na Flor da Mina do meu coração
(bis)
Alô Tia Zica eternamente
A bateria dá um show na Intendente

2017

Enredo: Mães do Brasil... histórias de luta, esperança e amor ...Na passarela do carnaval a vocês... uma Flor!
Compositores: Fábio de Deus, Erivelto Silva e Edu Casa Leme

E verde o ventre, que semeou o amor oooo… 
A natureza lhe bordou em flores
Nutriu o teu solo com tanto esplendor
Então nasce um menino, que nossa senhora abençoou 
Embalado pelas mãos da terra
Índia te fez caçador 
As brancas ensinaram a importância familiar
A negra amamentou 
Todo o axé da ancestralidade das Yabás herdou

Do candomblé mãe menininha o legado da religião 
Das mãos da princesa a libertação
(bis)
Dançando o maxixe Chiquinha Gonzaga 
Rebento do samba de Tia Ciata

Em poesia Raquel de Queiróz te descreveu 
Na academia tantos versos lhe deu
Os seus primeiros passos 
Mercedes Batista foi quem guiou
Tarsilla do Amaral o retratou 
Bibi Ferreira nos palcos emocionou
Mães de Maio mães do Brasil 
Exemplo de força e coragem
Que nessa festa acalenta a dor… nos braços do povo
Histórias de luta, esperança e amor…
Na passarela do carnaval a vocês, uma flor!

Eu sou fiel ao meu pavilhão 
Pra sempre vou te amar
(bis)
A flor da mina hoje é você mulher 
E essa voz ninguém vai calar