PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

ÉMERSON DIAS

EMERSON DIAS

       

    

        Nome completo: Emerson Luiz de Castro Souza

'

        Ano de nascimento: 1972

 

 

       

                                                                   

   
            Carnaval de 2008. O crônometro é acionado. A sirene toca pela terceira vez. A Grande Rio começa a adentrar a avenida. E o samba a ser cantado. Mas falta um pequeno detalhe: o intérprete principal. Wander Pires está inacreditavelmente atrasado. Com sangue frio e pego de surpresa, um cantor de apoio, um dos compositores do samba-enredo, assume emergencialmente o microfone principal e, mesmo com toda a tensão que o inusitado cenário proporciona, segura aqueles dramáticos primeiros minutos do desfile até a constrangida chegada de Wander.

             Sem dúvida, este é o mais célebre e marcante momento de Emerson Dias no Carnaval Carioca, que o tornaria definitivamente conhecido no mundo do samba. Sobrinho do intérprete Celino Dias, adotou no nome artístico o sobrenome do tio para homenageá-lo. Também é sobrinho de João Banana (compositor e presidente da Lins Imperial) e do compositor Tiãozinho do Salgueiro. Ambos sempre o escalavam para defender seus sambas. Após ajudar, junto com seu tio Celino, a Tiãozinho e parceiros conquistarem a vitória com o samba "O Negro que Virou Ouro nas Terras do Salgueiro", Emerson foi convidado por Quinho para integrar o carro de som salgueirense no Carnaval 1992. Permaneceu na Academia até 1999. Com a transferência de Quinho para a Grande Rio em 2001, estreou na agremiação de Duque de Caxias naquele ano e de imediato conquistou o diretor de carnaval Milton Perácio, estreitando definitivamente suas raízes com a escola da Baixada.
           
            Sua carreira de compositor de samba-enredo seria consagrada na Grande Rio. Após chegar a duas finais, na terceira conquistaria a primeira vitória, ao lado de parceiros renomados como Arlindo Cruz e Mingau, exatamente no já referido ano de 2008. Emerson triunfaria nos dois carnavais seguintes, emplacando um tricampeonato particular do concurso de samba. Ao mesmo tempo em que seguia como apoio na Grande Rio, estreava como intérprete principal em outras praças, como em Uruguaiana (pela Acadêmicos de São Miguel em 2011) e Porto Alegre (Imperatriz Dona Leopoldina em 2012).

            Cinco anos depois do drama vivido com o atraso de Wander, Emerson tomaria posse novamente do microfone oficial da Grande Rio. Foi a principal voz da escola no desfile de 2013, ao lado de Nêgo. Desde 2014, é o intérprete principal da escola de Duque de Caxias, tendo sido agraciado com o Estandarte de Ouro.
 
INÍCIO: Salgueiro, em 1992
1992 a 1999
- Salgueiro (apoio de Quinho e Quinzinho)
2001 a 2012 - Grande Rio (apoio de Quinho, Wander Pires, Bruno Ribas e Wantuir)
2011 - Acadêmicos de São Miguel (Uruguaiana)
2012 - Imperatriz Dona Leopoldina (Porto Alegre, junto com Cesinha)
2013 - Grande Rio (junto com Nêgo)
Desde 2014 - Grande Rio
Desde 2014 - Imperadores do Sol (Uruguaiana-RS)

GRITO DE GUERRA: De todos os amores que eu tenho! Grande Rio, a minha maior paixão!

GRITOS DE EMPOLGAÇÃO: "Se é pra sacudir!", "Alô, Invocada!", "É de arrepiar!", "taí a surpresa!".

SAMBAS DE SUA AUTORIA: "Do Verde de Coarí vem meu Gás, Sapucaí!" (Grande Rio/2008, com Mingau, Edu da Penha, Maurição e Arlindo Cruz), "Voilá, Caxias! Para sempre liberte, egalité, fraternité. Merci beaucoup, Brésil! Não tem de quê!" (Grande Rio/2009, com Deré, Rafael Ribeiro e Mingau), "Das Arquibancadas ao Camarote Nº 1... Um Grande Rio de Emoção na Apoteose do seu Coração" (Grande Rio/2010, com Barbeirinho, Mingau, G. Marins, Arlindo Cruz, Levi Dutra, Carlos Sena, Chico da Vila, Da Lua, Isaac, Rafael Ribeiro e Juarez Pantoja), "Sou Justiceiro e Grito por Liberdade" (Acadêmicos de São Miguel/2011, com Mingau e Da Lua), "75 Anos de Cara Pintada de Brasil" (Imperatriz Dona Leopoldina/2012, com Mingau e Andy Lee) e "Opará - O Velho Chico! Crenças, Mitos e Lendas" (Imperatriz Dona Leopoldina/2013, com Andy Lee), "A Magia dos Opostos" (Imperadores do Samba/2015, com Victor Nascimento, Andy Lee e Roberto Nascimento).

Prêmios: Estandarte de Ouro de melhor intérprete do Especial (2014)

MAIS FOTOS DE EMERSON DIAS




Voltar à seção Intérpretes