PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

CIGANEREY

CIGANEREY

                   

  

           

 

  Nome Completo: Paulo Roberto da Silva

 

 

 

 

  Ano de nascimento: 1965 

'

  Foto: Carnavalesco

           

                                                                     

   
A Acadêmicos do Engenho da Rainha quando passou a desfilar no Grupo A, na década de 80, surpreendeu ao apresentar sempre belíssimos sambas enredo. Entre 1984 e 1990, ganhou três Estandartes de Ouro de melhor samba do Grupo de Acesso (85, 86 e 90), concedidos pelo júri do jornal O Globo. Não é pouca coisa para uma agremiação de comunidade não conhecida do grande público.

Uma das vozes que conduziram estes sambas estava a de Paulinho Poesia. Além de intérprete, era também compositor. Em 1990, foi agraciado com o Estandarte de melhor samba. A Engenho da Rainha nunca teve grandes pretensões para subir ao Especial, mas permanecia sempre nas posições intermediárias do Grupo A.

Na virada para a década de 90, ao mesmo tempo em que a Engenho da Rainha trocava suas tradicionais cores verde e rosa para vermelha e branca, o intérprete Paulinho Poesia adotava o nome artístico de Ciganerey. O cantor possui um belo timbre vocal e é muito requisitado para participar das disputas de samba em diversas escolas. Em 1994, teve uma rápida passagem pela Unidos do Cabuçu. No ano seguinte, retornou ao Engenho da Rainha.

Em 1998, ao mesmo tempo em que sua Engenho despencava para grupos inferiores, Ciganerey recebeu um convite da Paraíso do Tuiuti para se tornar o intérprete oficial da escola. A azul e amarelo de São Cristóvão passava por um processo de reestruturação interna e passou a investir pesado em carnaval. Os resultados começaram a aparecer e uma escola que não metia medo e transitava entre os grupos B e C começou a disputar títulos e objetivar o Grupo Especial, o que aconteceu em 2001. Naquele ano, a escola abriu o desfile e ainda brindou o público carnavalesco com um dos mais belos sambas deste início de século 21: "Um mouro no quilombo. Isto a História registra".
'
Ciganerey ainda defenderia a Tuiuti nos carnavais de 2002 e de 2004. Em 2005, além de desfilar com a Tuiuti, o cantor também foi apoio de Neguinho da Beija-Flor. Após passar pela Alegria da Zona Sul em 2006 e pelo Arranco em 2007, Ciganerey retornou ao Paraíso do Tuiuti em 2008. Na Intendente, integrou o carro de som do Arrastão de Cascadura. Em 2010, o intérprete retornou ao Arranco e também integrou o carro de som da Mangueira, além de compor a equipe de cantores da Praiana no carnaval de Porto Alegre e da Deu Chucha na Zebra em Uruguaiana. É compositor tricampeão na Bambas da Orgia de Porto Alegre.

No carnaval de 2011, Ciganerey passou a ser intérprete oficial da Estação Primeira de Mangueira, formando o trio de cantores da maior escola de samba do planeta ao lado de Luizito e Zé Paulo. O cantor defendeu a Inocentes de Belford Roxo em 2014 pelo Acesso, permanecendo na verde-e-rosa como apoio de Luizito. Em 2015, defendeu a Em Cima da Hora. E com a morte de Luizito, foi confirmado como o intérprete principal da Mangueira em 2016 e puxou a escola no consagrador desfile sobre Maria Bethânia, que encerrou 14 anos de jejum da verde-e-rosa.
No Acesso, fez uma participação na gravação da faixa da Paraíso do Tuiuti, que também venceria o Carnaval. Para encerrar uma folia consagradora, ainda participou com destaque do comercial de uma industrializadora de carnes patrocinadora do Carnaval Globeleza, o que expandiu bem sua imagem.

Ciganerey possui dois prêmios Sambanet de melhor intérprete do Grupo A nos anos 2000 e 2005, defendendo a Tuiuti. Em 2010, ganhou o Sambanet de melhor intérprete do Grupo B, defendendo o Arranco. É ganhador ainda do Troféu Jorge Lafond de melhor interprete e recebeu prêmio comemorativo dos 70 anos da Associação das Escolas de Samba.

Ao longo da carreira, recebeu prêmio revelação da avenida do grupo Encontro de Sambistas e Cidadão do Samba em 1990. Outra curiosidade interessante, antes de ser intérprete, Ciganerey começou no carnaval como mestre-sala.

Início: Acadêmicos do Engenho da Rainha 

1984 a 1993 - Engenho

1994 - Unidos do Cabuçu

1995 a 1998 - Engenho

1999 a 2002 - Paraíso do Tuiuti

2003 - Engenho

2004 e 2005 - Paraíso do Tuiuti

2005 - Beija-Flor (apoio de Neguinho)

2006 - Alegria da Zona Sul

2007 - Arranco

2008 e 2009 - Paraíso do Tuiuti

2008 - Arrastão de Cascadura (apoio de Marquinhos Silva)

2010 - Arranco

2011 a 2013 - Mangueira (oficial ao lado de Luizito, Zé Paulo e Agnaldo Amaral)

2010 - Academia de Samba Praiana (Porto Alegre, apoio de Zinho Melodia)

2013 e 2014 - Deu Chucha na Zebra (Uruguaiana-RS)

2014 - Inocentes de Belford Roxo

2014 e 2015 - Mangueira (apoio de Luizito)

2015 - Em Cima da Hora 

2016 - Paraíso do Tuiuti (fez participação no CD)

Desde 2016 - Mangueira

GRITO DE GUERRA: Caaanta... canta (nome da escola)! Vamos lá! 

CACOS DE EMPOLGAÇÃO: "simbora"; "e aí?"; "tá bonito, tá bonito"; "vamos lá"; "machuca"; "vai-vai"; "eh-eh-eh"; "dá um show"; "na ginga, na ginga"; "sacooode"; "alegria... alegria, meu povo"; "alô, harmonia"; "haaaay"; "alô, meu pavilhão... vamos girar, vamos girar". 

SAMBAS DE SUA AUTORIA: "Dan, a serpente encantada do arco-íris" (Engenho da Rainha/90, com Da Silva, Evaldo, Luiz Bady, Marcos e Peneirinha); "Espelho meu! Reflete na avenida a magia de quem sou eu" (Renascer de Jacarepaguá/2005, com Ivani Ramos, Jayme César, Jefinho do Amaral, Julinho Cá, Marcelo Silva e Nilson Castro); "Faculdade da Vida, Trajetória de Bamba, Instituto de Artes 100 Anos: a Universidade é do Samba" (Bambas da Orgia - Porto Alegre/2008, com Arilson Trindade, Claudinho e Julinho Centeno); "Brilha no céu a estrela que nos faz sonhar. Clara Guerreira! Bambas vem te homenagear" (Bambas da Orgia - Porto Alegre/2009, com Arilson Trindade, Claudinho e Julinho Centeno); "Bambas Passa na Avenida da Ilusão, Convidando para Bailar no Jogo da Sedução" (Bambas da Orgia - Porto Alegre/2010, com Arilson Trindade, Claudinho e Julinho Centeno), "Dos Cerros do Solo Gaúcho à Rainha da Fronteira. Bagé, Tradição… Um Salto Para o Futuro!" (Bambas da Orgia - Porto Alegre/2012, com Arilson Trindade, Claudinho, Sandrinho Gessé e Julinho Centeno), "Deu Chucha na Zebra pelas Bandas da Vida" (Deu Chucha na Zebra - Uruguaiana/2013, com Jorginho Moreira). 

ESTANDARTE DE OURO: Melhor samba do Grupo de Acesso (1990). Possui dois prêmios Sambanet de melhor intérprete do Grupo A nos anos 2000 e 2005, quando defendeu a Tuiuti. Em 2010, ganhou o Sambanet de melhor intérprete do Grupo B, defendendo o Arranco.

MAIS FOTOS DE CIGANEREY


Com o saudoso Luizito


Em 2004, pela Tuiuti





Em ação na Tuiuti em 2008

Defendendo o Engenho da Rainha em 1990