PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

ARMANDO DA MANGUEIRA

ARMANDO DA MANGUEIRA

       

    

        Nome completo: Armando José Daguer

'

        Ano de nascimento: 1937

       

        Ano de falecimento: 2000

                                                                   

   
Descendente de libaneses, Armando é natural do Rio de Janeiro, oriundo da Barra da Tijuca. Na infância, se mudou para a região central da então capital federal devido às condições financeiras da família, agravadas com a morte de seu pai. Com 10 anos de idade, já possuía grande habilidade com o apito e a frigideira, instrumento que mais tarde viria consagrá-lo como o "maior frigideirista do mundo". Desde então, era apitador do tradicional "Bloco Senhor dos Passos", onde sua irmã era porta-estandarte. Tornou-se assíduo frequentador dos ensaios da Mangueira.  
 
Se transferiu para São Paulo em 1950, quando sua mãe montou uma padaria especializada em produtos árabes nas proximidades da Rua 25 de Março. Naquela época, começou a cantar e divulgar os sambas mangueirenses, além de tocar sua frigideira nas esquinas paulistanas, dando início a um novo hábito na região do mercado central. Armando da Mangueira passou a fazer shows em clubes com sua frigideira. Trouxe do Rio uma seleção de músicos e mulatas, formando o grupo "Armando da Mangueira e os Acadêmicos da Guanabara", que se apresentou nos locais mais requintados da cidade. Durante mais de 35 anos, animou carnavais de salão, bailes de gala, reveillón, shows turísticos, além de marcar presença em diversos programas de TV e se apresentar na Europa. Em 1974, foi condecorado na quadra da verde-e-rosa como "Comendador e Embaixador da Mangueira em São Paulo". 

Armando, no final dos anos 50, descobriu na Zona Leste de São Paulo a Nenê de Vila Matilde. Armando passou a ser ritmista da agremiação, até que, em 1975, foi convidado por Alberto Alves, o Seu Nenê, para ser o intérprete da escola na avenida, função que desempenhou até 1993 (se ausentando por apenas dois anos), se consagrando como uma das maiores vozes da história do Carnaval de São Paulo. Puxou a Nenê no célebre desfile da escola na Sapucaí em 1985, quando a azul-e-branco da Zona Leste participou da noite das Campeãs como a vencedora daquela ano (quebrando um jejum de 15 anos), na única oportunidade em que uma agremiação paulistana se apresentou na Passarela do Samba carioca. Compôs oito sambas-enredos e vários sambas exaltação da Nenê. Em 1976, à convite de Oswaldinho da Cuíca, grava o primeiro samba do então bloco Gaviões da Fiel, que teria seis obras de sua autoria. Em 1988, depois de anos a fio na Nenê, desfilou no Peruche, junto com seu amigo Jamelão e Eliana de Lima. No ano seguinte, foi campeão no Camisa Verde e Branco. Em 1990, voltou à Nenê, para cantar com Dom Marcos e, no seu último ano (1993), teve Márcia Ynaiá ao seu lado. Ainda venceria 11 sambas na Primeira da Aclimação.

Armando da Mangueira faleceu em 27 de dezembro de 2000. A Primeira da Aclimação homenageou o intérprete em 2002 com o enredo "Um Canário que deixou Saudade - Armando da Mangueira".
 
INÍCIO: Nenê de Vila Matilde, no fim da década de 50, como ritmista
1975 a 1987 - Nenê de Vila Matilde
1980 a 1982 - Gaviões da Fiel (desfile de blocos carnavalescos)
1988 - Unidos do Peruche (ao lado de Jamelão e Eliana de Lima)
1989 - Camisa Verde e Branco
1990 a 1993 - Nenê de Vila Matilde (em 90 com Dom Marcos e em 93 com Márcia Ynaiá)

GRITO DE GUERRA: Não tinha um grito específico

SAMBAS DE SUA AUTORIA: Exaltação às Raças de um Brasil Gigante (Nenê de Vila Matilde/1975); Treze Rei Patuá (Nenê de Vila Matilde/1979, com Jangada); Um Sonho de Candeia (Nenê de Vila Matilde/1981, com Jangada); Folias de Momo (Gaviões da Fiel/1981, com Jangada); Palmares - Raízes da Liberdade (Nenê de Vila Matilde/1982, com Jangada); Folias de Zé Pereira (Gaviões da Fiel/1982, com Jangada); Meu Gosto Abraçado à Ilusão (Nenê de Vila Matilde/1983, com Osvaldo Arouche e Biquinho); Fique bem Comportado e será Lembrado (Gaviões da Fiel/1983, com Osvaldo Arouche); Sagração dos Deuses (Nenê de Vila Matilde/1984); Não temos tema para não criar problema (Gaviões da Fiel/1984, com Osvaldo Arouche); Jubileu de Diamantes (Gaviões da Fiel/1985, com Osvaldo Arouche); Rabo de Foguete (Nenê de Vila Matilde/1986); Pernambuco Leão do Norte (Nenê de Vila Matilde/1987, com Miguelzinho da Vila, Pilica, Milton, Filé e Ricardo), Um Voo para a Liberdade (Gaviões da Fiel/2000, com José Rifai, Alemão do Cavaco e Ernesto Teixeira), "Geraldo, um Filme de Glórias" (Primeira da Aclimação/2001, com Mazinho Xerife e Serginho Madureira).

DISCOGRAFIA: Tonelada de Samba (Brasidisc)
MAIS FOTOS DE ARMANDO DA MANGUEIRA


Capa do LP "Tonelada de Samba"


Voltar à seção Intérpretes