PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

ARLINDO CRUZ

ARLINDO CRUZ

      

     

       Nome Completo: Arlindo Domingos da Cruz Filho

     

       Ano de nascimento: 1958

           

                                                                     

Considerado uma das figuras contemporâneas mais importantes do samba, Arlindo Cruz está na seção Intérpretes não por puxar samba enredo na avenida, mas é inegável a sua contribuição para o gênero, tanto compondo quanto gravando. Em meados da década de 80, Arlindinho já era um compositor consagrado, com diversas músicas gravadas pelos principais nomes do samba e da MPB e vivia o auge em sua trajetória no Grupo Fundo de Quintal, no qual integrou durante 12 anos, sempre com muito sucesso, sendo um dos principais compositores. Nessa época, passou a concorrer nas disputadas eliminatórias de samba enredo de sua escola de samba do coração: o Império Serrano.

A primeira vitória foi com o enredo "Jorge Amado, Axé Brasil", em 1989, com uma super parceria, formada pelos bambas imperianos Aluísio Machado, Beto Sem Braço e Bicalho, todos freqüentadores das rodas de samba do bloco Cacique de Ramos. Voltou a vencer novamente em 1996, no enredo "E verás que um filho teu não foge à luta". Arlindo emplacaria o hino imperiano também no ano seguinte, mas a escola acabou caindo para o Grupo de Acesso A. Arlindo ainda venceria na Serrinha em 1997, 1999, 2001, 2003, 2006, 2007 e 2012. Em 2008, Arlindo concorreu pela primeira vez em outra escola, vencendo na Grande Rio no enredo "Do verde de Coarí vem meu gás, Sapucaí!". Em 2012, aventurou-se em Vila Isabel, com o elogiadíssimo samba para o enredo sobre Angola. No Grupo de Acesso A, compôs o samba da Império Serrano sobre "Dona Ivone Lara, enredo do meu samba" (com seu filho Arlindo Neto e Tico do Império) e ainda participou da gravação do CD oficial. No ano seguinte, a Vila foi campeã do Grupo Especial com um samba seu e de uma megaparceria que incluía ainda nomes como Martinho da Vila e o compositor André Diniz. A obra foi aclamada como o melhor samba do carnaval de 2013 e conquistou o Estandarte de Ouro oferecido pelo júri do jornal O Globo. Para 2014, a super parceria (desta vez, sem a presença de Martinho) faturou novamente a disputa em Vila Isabel, com o fato se repetindo em 2016. Desde que começou a disputar nas eliminatórias, Arlindo Cruz já venceu 17 vezes (onze no Império Serrano, quatro na Vila e duas na Grande Rio) e conquistou seis prêmios Estandarte de Ouro.

O primeiro registro de Arlindo Cruz cantando um samba enredo foi no CD Sambas de Quadra, no qual regravou "Estrela de Madureira", da dupla Acyr Pimentel e Cardoso, samba derrotado no Império Serrano na disputa para o carnaval de 1975. A música foi sucesso originalmente na voz de Roberto Ribeiro. Depois, passou a gravar sambas enredo em seus discos e DVD" ao vivo. Pertence ao elenco fixo do programa Esquenta! da Rede Globo desde a primeira temporada, em 2011. É o autor, junto com Gilberto Gil, do tema de abertura do programa: "Regina de janeiro, fevereiro e março". Também participa como comentarista das transmissões de desfiles das escolas de samba do carnaval do Rio de Janeiro pela mesma emissora.

INÍCIO: Ingressou na ala de compositores do Império Serrano em meados dos anos 1980. Depois, passou a concorrer na Acadêmicos do Grande Rio e na Unidos de Vila Isabel
2012 - Império Serrano (gravou o samba, dividindo a interpretação com Tiãozinho Cruz)
2013 - Vila Isabel (participou da gravação do samba) 
2016 - Vila Isabel (participou da gravação do samba) 

Discografia oficial:
Com o Grupo Fundo de Quintal:
Samba é no Fundo de Quintal Vol.2 (1981)
Nos pagodes da vida (1983)
Seja sambista também (1984)
Divina luz (1985)
O mapa da mina (1986)
Do fundo do nosso quintal (1987)
O show tem que continuar (1988)
Ciranda do povo (1989)
Ao vivo (1990)
É aí que quebra a rocha (1991) 

Dupla Arlindo Cruz & Sombrinha:
Da música (1996)
Samba é nossa cara (1997)
Pra ser feliz (1998)
Ao vivo (2000)
Hoje tem samba (2002)
Sem limites (coletânea, 2008)

Carreira solo:
Arlindinho (1993)
Pagode do Arlindo ao vivo (2003)
Sambista perfeito (2007)
MTV ao vivo Arlindo Cruz (2009)
Batuques e romances (2011)
Batuques do meu lugar (2012)

GRITOS DE EMPOLGAÇÃO: Em suas apresentações ao vivo, costuma pedir aplausos para a platéia com as frases "Quem gostou faz barulho aí" ou "Faz barulho pro (diz o nome do artista)" (quando divide a cena com algum convidado especial).

SAMBAS DE SUA AUTORIA: "Jorge Amado, Axé Brasil" (Império Serrano/1989, com Aluísio Machado, Beto Sem Braço e Bicalho); “Império Serrano, um ato de amor” (Império Serrano/1993, com Aluisio Machado, Acyr Marques e Bicalho); "E verás que um filho teu não foge à luta" (Império Serrano/1996, com Aluísio Machado, Beto Pernada, Índio do Império e Lula); "O mundo dos sonhos de Beto Carreiro" (Império Serrano/1997, com Carlos Sena, Índio do Império e Maurição); "Uma rua chamada Brasil" (Império Serrano/1999, com Carlos Sena, Elmo Caetano e Maurição); "O Rio corre pro mar" (Império Serrano/2001, com Carlos Sena, Elmo Caetano e Maurição); "E onde houver trevas... que se faça a luz!" (Império Serrano/2003, com Aluísio Machado, Carlos Sena, Elmo Caetano e Maurição); "O Império do Divino" (Império Serrano/2006, com Aluísio Machado, Carlos Sena, João Bosco e Maurição); "Ser diferente é normal - O Império Serrano faz a diferença no carnaval" (Império Serrano/2007, com Aluísio Machado, Carlos Sena, João Bosco e Maurição); "Do verde de Coarí vem meu gás, Sapucaí!" (Grande Rio/2008, com Carlos Sena, Edu da Penha, Emerson Dias, Maurição e Mingau); "Das arquibancadas ao camarote número 1, uma Grande Rio de emoção, na Apoteose do seu coração" (Grande Rio/2010, com Barbeirinho, Carlos Sena, Chico da Vila, Da Lua, Emerson Dias, G. Martins, Isaac, Juarez Pantoja, Levi Dutra, Mingau e Rafael Ribeiro); "Dona Ivone Lara: o enredo do meu samba" (Império Serrano/2012, com Arlindo Neto e Tico do Império); "Você semba lá...que eu sambo cá! O canto livre de Angola" (Vila Isabel/2012, com André Diniz, Artur das Ferragens, Evandro Bocão e Leonel); "A Vila canta o Brasil celeiro do mundo - 'Água no feijão que chegou mais um'" (Vila Isabel/2013, com Martinho da Vila, André Diniz, Tunico da Vila e Leonel); "Retratos de um Brasil plural" (Vila Isabel/2014, com André Diniz, Evandro Bocão, Professor Wladimir e Artur das Ferragens), "Poema aos Peregrinos da Fé" (Império Serrano/2015, com Arlindo Neto, Lucas Donato, Alex Ribeiro, Rogê, Carlos Senna, Beto BR, Andinho Samara, Zé Glória, Wagner Rogério, Chico Matos, Ronaldo Nunes e Léo Guimarães), "Silas canta Serrinha" (Império Serrano/2016, com Aloísio Machado, Arlindo Neto, Ze Gloria, Andinho Samara e Lucas Donato) e "Memórias do 'Pai Arraia' - um sonho pernambucano, um legado brasileiro" (Vila/2016, com Martinho da Vila, André Diniz, Mart'nália e Leonel).

ESTANDARTES DE OURO: 6 (Império Serrano 1993 [Grupo A], 1999, 2001, 2006 e 2012 [Grupo A] e Vila Isabel 2013, todas como autor do melhor samba). 

SAMBAS ENREDOS GRAVADOS POR ARLINDO:
- "Estrela de Madureira", no CD Sambas de quadra
- "O Império do Divino" e "Aquarela brasileira" (Silas de Oliveira), em MTV ao vivo Arlindo Cruz
- "Dona Ivone Lara, o enredo do meu samba" e "Bum Bum Particumbum Prugurundum" (Aluísio Machado e Beto Sem Braço), em Batuques do meu lugar.

MAIS FOTOS DE ARLINDO CRUZ

 
Arlindo, Tico do Império e Arlindo Neto na disputa de samba do Império em 2011

 
Arlindo Cruz, no desfile do Império em 2012

 
Arlindo (de verde) no carro de som do Império em 2012


Arlindo com a bandeira do Império Serrano


Leonel, Arlindo, Tunico e André Diniz na final do samba enredo da Vila Isabel para 2013


Arlindo e Martinho: estreando como parceiros, dois gênios da MPB e do samba enredo durante a gravação do CD dos sambas de 2013


Arlindo Cruz (centro) com Tinga (esq), Gera (ao fundo, de óculos) e Leandro Santos (à dir) levando o consagrado "Festa no arraiá" na Sapucaí em 2013

Voltar à seção Intérpretes