PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

AMIGOS DO SAMBA

AMIGOS DO SAMBA

PRESIDENTE Leandro Rangel (Kfé)
CARNAVALESCO  Leandro Kfé
INTÉRPRETE Leandro Kfé
CORES  Azul Marinho, Branco e Amarelo
FUNDAÇÃO 25/08/2005
CIDADE-SEDE São João de Meriti-RJ

No dia 25 de agosto de 2005 foi fundada a G. R. E. S. V. AMIGOS DO SAMBA. A idéia de fundar essa agremiação surgiu a partir de dois amigos Leandro Rangel (Presidente) e Júnior Santana (vice-presidente) que se conheceram no mundo do samba. O destino fez com que esses amigos trabalhassem juntos e a partir daí, aumentaram seu elo de amizade e, desta amizade, descobriram algo em comum - a paixão pelo samba.

Quando conheceram a LIESV ficaram admirados com a idéia proposta pelo carnaval virtual e decidiram fundar uma agremiação com a intenção de valorizar o samba, mantendo ativa essa paixão pelo carnaval. Outros amigos se juntaram, formando um grande elo de amizade para fortalecer ainda mais essa escola. A AMIGOS DO SAMBA busca agregar todas as pessoas que tenham em comum este sentimento de amor ao samba.

Com a idéia da criação da escola, faltava um nome e um símbolo. Surge a idéia do nome AMIGOS DO SAMBA, que representa a amizade gerada a partir do samba. Logo depois, veio a idéia do símbolo - três sambistas. Dois sambistas representam os dois amigos. Vem a pergunta - e o terceiro? Bem, o terceiro é a representação de todas as pessoas que se integram nessa agremiação, num elo de amizade que pretende se estender por todo o mundo virtual. Uma pessoa que goste de samba e está conectada ao mundo virtual é nosso amigo do samba, e com certeza é recebido de braços abertos na agremiação.

A escola conseguiu a vaga na LIESV depois de conquistar o terceiro lugar do Grupo de Avaliação, em 2006. Acabou convidada a integrar o Grupo Especial de 2007, quando conseguiu uma honrosa quinta colocação falando sobre a amizade. Desde então, se manteve na elite do carnaval virtual até 2012, quando teve problemas em seu desfile e enrolou a bandeira temporariamente. Retornou em grande estilo em 2016, homenageando Dicró e conquistando o título do CAESV, se classificando para o Acesso em 2017.

Ano

Enredo

Colocação

2018
Reféns da Liberdade – Em busca do romantismo de viver!

-º (A)
2017
A Amigos é Sinistra!

6º (A)
2016
Memórias Póstumas de C.R.O.

1º (CAESV)
2012 A Pérola Negra vai passar por aqui 20º (Especial)
2011 Pelas Veredas da Inspiração 12º (Especial)
2010 Quá Quá Quá você caiu... E Hoje nem é 1º de Abril 9º (Especial)
2009 Ode à Alegria

3º (Especial)

2008 A Amigos Fantasia a Vida, Intepreta Histórias e Deixa a Imaginação Criar Trajetórias

8º (Especial)

2007 Amigos - Do Samba ou de qualquer lugar, no seu coração hão de estar

5º (Especial)

2006 Unimos a essência de cada cor, em busca do caminho que leva ao tesouro!

3º (CAESV)


SINOPSE ENREDO 2018


Reféns da Liberdade – Em busca do romantismo de viver!

Justificativa:

“Se tornou aparentemente óbvio que nossa tecnologia excedeu nossa humanidade”.
Albert Einstein

Minha avó sempre foi de conversar e contar boas histórias, mas uma dessas conversas fiquei muito reflexivo. Falava ela sobre as diferenças que enxergava entre as gerações de hoje em dia e a de sua época, e o quanto as coisas pareciam estar diferentes.

Muitas coisa boas surgiram, ela dizia, mas a sensação real era de que antigamente, o tempo corria de forma mais lenta, as relações humanas tinham mais valor e nós não éramos substituídos pela modernidade oferecida pela tecnologia da internet. Ah… A Internet! Algo que chegou sorrateiramente facilitando a vida de todos com suas páginas, sites e aplicativos que invadiram pouco a pouco o nosso cotidiano sem percebermos.

Hoje em dia, ela complementava, essa geração que chamam de Z não consegue i-ma-gi-nar a hipótese de levarem a vida de forma desconectada, fora de um ambiente virtual, afinal, é fácil fazer de tudo através da grande rede onde poupa-se muito o tempo que não possuem, ou que dizem não possuir. Tempo esse que passam conectados, grande parte do dia, seja através de PCs, celulares ou tablets, até parecem verdadeiros zumbis virtuais, reféns de uma tecnologia que nos faz aos poucos esquecer o prazer do que é viver, como era no tempo dela, da geração “Zen”.

Sinopse:

Setor 01 – A Conexão

Em uma Manhã qualquer…

Procurando Rede…
Rede LIESV – Carnaval Virtual 2018 encontrada.
Conectado em LIESV – Carnaval Virtual 2018.

Conectada lá vai a criança,
Pronta para mais um dia de diversão
Seu vasto “mundo virtual” já está preparado
Com uma liberdade atrativa que prende a sua mente.
E assim, seja entretida nas ondas da ilusão
Viajando entre um clique e outro,
Plugada no aplicativo da moda
Ou louca para passar de fase em mais um game.
Torna-se desinteressadas pelas coisas reais.
Não respira o ar puro quando as pipas bailam no ar
Nem se suja de lama, quando a bola começa a rolar
Uma geração diferente…
Mais narcisista e menos participativa
Que cresce optando, por uma vida “plugada”
E não consegue ver que, do “lado de fora”
Existe um vasto mundo
Que precisa ser explorado, vivido e conquistado.
Um mundo de Artes, esportes e Danças
Da “amarelinha”, “esconde-esconde”,
da ladeira descida através do carrinho de rolimã
Do xadrez ou do violão
Do livro e a bela história que desperta a imaginação

Setor 02 – A Hipnose

É assim, que hipnotizadas, chegam a adolescência
Perdendo a vontade de estudar e aprender
Livros, bibliotecas… Não querem mais
É só clicar e pesquisar, a resposta logo vem
“Isso é muito fácil meu bem”
A geração é silenciosa, afinal
Vive ao som dos fones de ouvido
Escutam pouco e falam menos ainda
Nesse egocentrismo
Que os fazem pensar… “Somente em si, na maioria das vezes”
Com isso, muita coisa vai ficando para trás
E a conversa entre amigos e familiares,
sem intermediação das telas hoje quase não existe mais
O que era diversão virou vício, uma dependência.
“Só mais cinco minutinhos”
Que fazem a fase ser conquistada e o sono ser perdido
Nas redes sociais, onde se “faz tudo por uma curtida”
Surgem as novas amizades
Um milhão de amigos e ninguém para sair, socializar
Diversos seguidores, mas ninguém pra escutar
O retrato de uma vida que se torna mais feliz através de filtros
É on-line que se buscam as afinidades e gostos
Até mesmo o amor…
Satisfação aos pais, não mais
Os atalhos para uma conquista o aplicativo faz
Na maior “curtição” em busca do amor

Setor 03 – A Dependência

E quanto mais velhos ficamos
Parece que mais prisioneiros nos tornamos.
o relógio parece correr, tudo precisa ser feito com agilidade
O toque que ouço deve ser o celular
Ele tem o dom de nos libertar e também nos privar
Desligado, nos preocupa. Afinal como posso te monitorar
A emoção da vida vem de cada vibração
Zap.. mensagem que vai daqui
Zap… Outra mensagem já chega de lá
Será do chefe, do trabalho, do amor ou do “contato”?
Ah… É só mais um Bom dia no grupo da família
Que a muito tempo não se vê no dia-a-dia
Ah, chegou também um vídeo engraçado
Novamente compartilhado, no grupos dos amigos
Onde estará aquele momento de jogar conversa fora
Dentro de um bar, com a rapaziada ou entre a mulherada
Tomando aquela gelada.
Em casa é assim:
A fome bateu, chama que a comida vem até você
Sair pra quê? Nem um cineminha curto mais
A pipoca já saiu do microondas,
e já me conectei ao provedor
Senta aqui na poltrona, ao meu lado
Que é mais confortável, meu amor!

Setor 04 – Entrando na moda

Postar virou febre
E muita gente tenta entrar na moda
Uma frase de efeito e pronto… A Fama
Em segundos muita coisa pode mudar
A demonstração de tristeza
ganha uma “carinha feliz” e a felicidade volta a reinar
O sentimento real, fica até difícil de imaginar
A quem viva mais na sua e só fica espiando
Outros tornam o debate na rede mais quente
E vivem provocando
Ah, essa grande rede
Onde de tudo se vê e fala
Grandes e pequenos motivos
Alimentam protestos ou reclamações
Neste mundo, tanta coisa é publicada
Se é verdade ou não, parece não importar
O importante é: “Quantas curtidas irá retornar”
E Graças a falsa sensação de segurança no anonimato
Muitos acreditam que tudo pode e é permitido
E seguindo a lei de que: “se está na internet é verdade”
Muitos Julgam, discriminam, ofendem
Sem olhar o porquê e a quem
Guiados por aqueles que
No mundo virtual são considerados reis
Se eu digo, não tão nem aí, mas se eles falam é Lei
Tubos de informação em cima da população

Setor 05 – A Libertação

Chegou a hora de mudar e desconectar
Viver a vida e não apenas visualizar
Vamos para o lado de fora dessa caixinha virtual
Andar pelas ruas e ver o sol nascer
Mesmo sabendo que as rosas não falam
Sentiremos seu aroma no ar
Quero dar bom dia a vizinhança
E perder a hora ao prosear
Checar as cartas e os postais, ficar antenado pelas páginas do jornais
Se a chuva cair eu danço e dela me banho
Hoje, nesse desfile virtual
Peço licença para desvirtualizar a folia
E ir para rua, atrás dos blocos e cortejos
Do samba, da batucada
Daquele belo requebrado da linda mulata
Quero perder a noção do tempo e curtir
Sem tecnolgia para me controlar
Parar na praça e com meus AMIGOS
Papear, jogar, brincar
Deixar o sol cair e ver o mais belo brilho do Luar
A vida é pra ser vivida e temos que aprender
A tecnologia está aí para nos ajudar
Mas jamais poderemos esquecer
O lado puro e mais belo
O tão singelo romantismo do que é viver

Autores: Felipe Batista e Leandro Kfé