PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

ALEGRIA DA ZONA SUL

ALEGRIA DA ZONA SUL

FUNDAÇÃO 28/06/92
CORES Vermelho e Branco
QUADRA Rua Saint Roman, 176
Copacabana
Telefone: 2294-1747
BARRACÃO Rua Equador, 250
Santo Cristo
Telefone: 2267-9719

 

RESULTADOS - SAMBAS-ENREDO

 

HISTÓRICO

 

O Alegria da Zona Sul é resultado da fusão dos blocos - Unidos do Cantagalo e Alegria de Copacabana - e sua comunidade vem dos Morros do Cantagalo e do Pavão-Pavãozinho. O Unidos do Cantagalo e o Alegria de Copacabana eram blocos vendedores, ganharam disputas de bloco nos anos 80.


O Unidos do Cantagalo era uma mistura da antiga escola de samba Recreio de Copacabana com vários outros blocos, entre eles, os Afilhados de Ipanema e o Império de Ipanema. O bloco foi batizado pela Portela em 1974.


Já o Alegria de Copacabana representava os Morros do Pavão e Pavãozinho, e surgiu da fusão dos blocos Independentes do Pavãozinho e Império do Pavão.


Como todos os compositores se conheciam do samba e do futebol, resolveram acabar com a competição, unir os blocos e criar uma Escola de Samba. Assim, nasceu a Alegria da Zona Sul, que representa, acima de tudo, a união das três comunidades (Cantagalo, Pavão e Pavãozinho). As cores oficiais da escola são o verde, azul e branco até 2004, quando resolve alterar suas cores para vermelho e branco.


Falar em samba de raiz é, de fato, lembrar daqueles cuja história se confunde com a própria história do samba: o pessoal da velha guarda. As comunidades do Cantagalo, Pavão e Pavãozinho, para quem não sabe, também são redutos desse samba de resistência. No passado, seus compositores foram campeões em diversos concursos de blocos e hoje estão todos reunidos na ala dos compositores da escola de samba Alegria da Zona Sul, que vinha se mantendo no Grupo de Acesso A até 2006. Em 2004, terminou em sexto. A escola melhorou sua colocação no ano seguinte, obtendo a quinta posição. Porém, em 2006, nada deu certo para o Alegria e, com o último lugar, foi rebaixada para o Grupo B. A redenção veio no carnaval 2010, quando um desfile rico plasticamente deu à escola o título do Terceiro Grupo e o acesso ao Grupo A. Porém, o estouro no tempo estabelecido na conclusão do desfile de 2011 atrapalhou os planos do Alegria, que ficou em último lugar e retornou ao Grupo B. Beneficada com a criação da LIERJ e a união dos grupos de acesso, desde 2013 faz parte da Série A.


A força da agremiação estava no patrono, falecido em 2004 vítima de atentado: Waldomiro Paes Garcia, o Maninho, que dividia suas atenções entre o Salgueiro e a Alegria. A afinidade com o Salgueiro é tanta que, durante alguns anos, as alegorias da Alegria da Zona Sul foram feitas no barracão da vermelho-e-branco, no Santo Cristo.

 

RESULTADOS DA ESCOLA

 

1993 - 5ª no Grupo SS 
Sou Mais Carioca 
Oswaldo Luis Correa de Araújo (Deco)


1994 - 1ª no Grupo SS 
Na Dança das Cores, Preto não é Cor, mas Negro é Raça 

1996 - 1ª no Grupo E 
Olha que Coisa mais Linda mais Cheia de Graça 

1997 - 2ª no Grupo D 
Capoeira, um Balé à Brasileira 

1998 - 7ª no Grupo C 
Mulher Negra é Cultura Mundial 
Oswaldo Luis Correa de Araújo (Deco)


1999 - 11ª no Grupo C 
Alegria de seu Signo no Zodíaco 
Oswaldo Luiz e Carlos André

2000 - 1ª no Grupo D 
Negro, quem És 
Oswaldo Luiz e Carlos André


2001 - 1ª no Grupo C 
Um País de Todas as Raças 
Oswaldo Luiz Corrêa de Araújo

2002 - 6ª no Grupo B 
O Sonho Dourado de Percy 
Oswaldo Luís e André Wendos

 

2003 - 2ª no Grupo B 
Festa no Quilombo na coroação de um Rei Negro 
Oswaldo Luiz

2004 - 6ª no Grupo A 
Copacabana, o Mar e o Tempo com Dorival Caymmi 
Oswaldo Luís e Carlos André

 

2005 - 5ª no Grupo A
Teatro Rival - 70 anos de Resistência Cultural
Oswaldo Luiz (Deco), Carlos André e Marco Antônio

 

2006 - 10ª no Grupo A
A Alegria é Show de Bola!
Comissão de Carnaval

 

2007 - 7ª no Grupo B
Negro não humilha e nem se humilha a ninguém, todas as raças já foram escravas também
Marco Antônio e Guilherme Alexandre


2008 - 5ª no Grupo B
Chegou o General da Banda! Albino Pinheiro, Alegria do Rio
Marco Antônio e Rodrigo Sampaio


2009 - 11ª no Grupo B
Heitor dos Prazeres, carioca da gema, sambista de coração
Marco Antônio, Rodrigo Sampaio e Flavio Campello

.

2010 - 1ª no Grupo B
No Mundo da Fantasia... Vejo as Cores da Alegria
Lane Santana

.

2011 - 11ª no Grupo B
Os Doze Obás de Xangô
Lane Santana

.

2012 - 2ª no Grupo B
Os Saltimbancos
Eduardo Gonçalves

.

2013 - 14ª na Série A
Quem não chora, não mama...
Eduardo Gonçalves

.

2014 - 14ª na Série A
Sacopenapã
André Tabuquine e Eduardo Minucci

.

2015 - 13ª na Série A
Kari’Oka
Eduardo Minucci

.

2016 - 10ª na Série A
Ogum
Marco Antônio Falleiros

.

2017 - 13ª na Série A
Vou festejar com Beth Carvalho, a Madrinha do Samba
Marco Antônio Falleiros

 

SAMBAS-ENREDO

 

1998 
Enredo: A mulher negra na cultura mundial 
Compositores: Marquinhos, Serginho, Mano, Bebeto e Sérgio 

A luz a me guiar
Vem clarear minha emoção
A força feminina que me fascina
Invadiu meu coração
Diz a lenda Yorubana que Olurum, deus da criação
Deixou o céu e a terra pra reinar
Para Odudua e Obatalá

Na força de Aganju (ôôô). salve a Rainha do mar (Iemanjá) (bis)
E do seu ventre infinito nasceram assim os nossos orixás

Axé, mãe Àfrica
Berço que ao mundo acalentou
Suas filhas semearam este chão
Resistiram no Quilombo à sofrida escravidão
Trouxe a crença nos seus rituais
Pro meu Brasil miscigenação
Na favela a miséria na senzala o temor
Será que a liberdade já raiou
Sorri para não mais chorar
Lutando pelos seus direitos
Ainda resta a dor dos preconceitos
Com dignidade é um exemplo de coragem
Conquistando o seu lugar
És negra na cor, mulher de valor
Estrela que ao mundo encantou

Hoje a mulher negra brasileira é cultura mundial
Vem erguer sua bandeira (bis)
De verde, azul e branco colorindo o carnaval 

2001 
Enredo: Brasil, um país de todas as raças 
Compositores: Edu do Cavaco, Kléber e Sérgio 

Vou navegar
E viajar na Pré-História brasileira
No horizonte então "Luzia"
Essa estrela que nos guia
As sete ilhas, paraíso de riquezas
Os fenícios no passado, adentraram o rio-mar
Quando o vento soprou
Terra à vista um grito forte ecoou

Maré que vai me levar
Pelos mistérios do mar (bis)
Um novo mundo quero conquistar

E na terra prometida por Tupã
Vi guerreiras Amazonas
Surgem os Tupiniquins, cantam os Tupinambás
Suas tribos pedem paz
Cavalaria dos mares em grandes navegações
Veio a cobiça e a escravidão
Semeando este nosso chão
Brasil (meu Brasil), berço de todas as raças
Que acolhe os imigrantes
És mãe gentil com amor
Seja africano ou de Portugal
Enlace de cultura, é carnaval

É nesse embalo que eu vou, vou navegar
Com Alegria desfilar (bis)
Pátria Mãe Gentil desse gigante meu Brasil 

2002 
Enredo: O sonho dourado de Percy 
Compositores: Valter, Marinho e Bedeu 

Percy em sua odisséia
Se aventurou pelas matas do Brasil
Desejava o Eldorado
Tesouro, riquezas mil
Vice-rei da Índia
Seu sonho não sucumbiu

Pelo Sertão Brasileiro, viajou
Procurando o eldorado (bis)
Mas por Candido Rondon
Esse solo foi negado

Assim, com a proteção da realeza
Consentiu à corte inglesa
O paraíso encontrar
Seguia a sua expedição
Conhecendo os mistérios e belezas desse chão
Aventureiro, guerreiro, bravo e sonhador
Partiu de Cuiabá
Um lindo show de visual
Buscava o rio da serra do roncador
A contramão da história
Não sabe dizer se ele um dia voltou

Será que o sonho se realizou (bis)

O Alegria vem contar
A façanha de Percy (bis)
Mostrando ao mundo
Que o Eldorado é aqui 

2003 
Enredo: Festa no Quilombo, na Coroação de um Rei Negro 
Compositores: Fio, Moura e Expedito 

Desperta, o show vai começar
O Alegria vem mostrar
A festa da coroação
Os mocambos vão dançar
Para um rei negro, com emoção
É arte, é cultura
Foi no Quilombo a consagração
Liberdade, um grito forte ecoou
De um povo guerreiro
Que seus costumes neste solo semeou

 

Tem maracatu, maculelê e candomblé (bis)
Negro joga capoeira, com seu canto de fé

 

Axé, afoxé, oferenda aos orixás
Tambor de crioula, é feitiço é ritual
Bailam jongo e a congada 
O semba virou samba em nosso carnaval
Hoje a Zona Sul em festa
Vamos aplaudir
A dança da raça
Encanta a massa na Sapucaí

 

O meu tambor vai ressoar
A noite inteira (bis)
Saudando Ganga Zumba
Com danças afro-brasileiras

2004 
Enredo: Dorival Caymmi, o mar e o tempo nas areias de Copacabana 
Compositores: Gilmar Nogueira, Jorge Madrugada e Pedrinho Cassa 

O céu da Bahia está em festa
Dança ioiô, canta sinhá, ô sinhá
O som dos atabaques anuncia
Caymmi vem nos braços de Iemanjá (rainha do mar)
No Ita naveguei
E vim pro Rio morar
Bateu forte o coração
Copacabana é minha paixão

Amor cadê meu violão, amor
Meu canto é de emoção (bis)
A sua obra está gravada na história
90 anos do poeta da canção

Filho de Mãe Menininha do Gantois
Caô meu Pai Xangô
Vem no batuque dos ogãs meus orixás
Carmem Miranda dos balangandãs
Sucesso, Bossa Nova, Malandragem
Boemia na cidade
Zé Carioca vem brilhar no Carnaval

(Eu quero...)
Quero adormecer na praia
Deitar na rede de um pescador (bis)
Caymmi é alegria
Nesse mar de fantasia
Zona Sul é paz e amor

 

2005

Enredo: Teatro Rival - 70 Anos de Resistência Cultural
Compositores: Adilson Silva, Bittar e Marcelinho Santos

A arte entra em cena
O show vai começar
Em cartaz, neste carnaval
Esse teatro genial
Exemplo maior
Da resistência cultural
Declamando o "Amor"
Começou a trajetória
Que o próprio tempo guardou
Ilustrando a memória

Fez o povo aplaudir
Delirar, sonhar, sorrir
Revelando artistas (bis)
Caminhou sem desistir

Segue o "Rival", sempre "leal"
Orgulho do meu Rio
Na essência da cultura
Vai vencendo desafios
Enriquecendo a arte
Se tornou tão popular
Ele é um espaço de primeira
Pra música popular brasileira
Hoje tem show musical
E a Cinelândia é o palco principal

Parabéns, são 70 anos de glória
A Zona Sul, com alegria enaltece (bis)
O Rival e sua história

2006
Enredo: A Alegria é Show de Bola
Autores: Henrique Balanshow, Valtinho BV, Augustinho Santos, Mará, Dário Lima, André do Cavaco, Xande, J.Júnior, Doum, Gago, Glorioso e Tadeu.

Explodiu
É o Big-Bang da criação
Surge o sol que aquece a Terra
A lua de Ogum e do dragão
Girando, se tornou realidade
Sobre rodas assim caminha a humanidade
Hoje eu sou criança
Olha o nariz do palhaço
A bolinha de sabão
O rei mandou, é carnaval tá decretado
No Bola Preta, mostre o seu rebolado
Mas se pisar na bola, tô bolado

Minha Alegria vai rolar
Sou a redonda paixão (bis)
O homem vive um sonho tão bonito
Segue rumo ao infinito cria asas num balão

Em forma de bola é o ventre da mãe
Anunciando a vida que já vai chegar
Menina do jeito que você me olha
Me dando bola hoje eu vou te namorar
No bingo, no bicho é sorte ou azar
Deixa roleta girar
Roda baiana
Tem culinária neste tabuleiro
Nesta folia eu zoar
De bate-bola o meu Rio de Janeiro

É show de bola, iá, iá
Deixa a tristeza prá lá, vem sambar (bis)
O meu destino eu vi, numa bola de cristal
A Alegria campeã do carnaval

2007

Enredo: Negro não Humilha e nem se Humilha a Ninguém, Todas as Raças já foram Escravas Também
Autores: Adilson, Badá, Gago, Glorioso, Tadeu do Cavaco e Pixulé

Liberdade
Há mais de mil anos atrás
O homem já implorava aos deuses
Através das civilizações
O fim dessa cruel escravidão
O índio dono da mata
Não se deixou escravizar

No vento que vem do mar
Chegaram navios negreiros (bis)
Na fazenda do &ldquoSinhô&rdquo
O negro chorou no cativeiro

Hoje o Quilombo
Pintado em aquarela
Na tela reflete a favela
Cor da miscigenação
Mostra Candeia nessa Passarela
Culturas e artes tão belas
Faz o seu dia de graça
A luta de Zumbi não foi em vão
Negro não humilhe
Nem se humilhe a ninguém
Todas as raças
Já foram escravas também

Hoje o negro é rei, negro é raiz
Estrelas na sociedade (bis)
Orgulho da nossa dignidade
Exemplo para toda humanidade

2008

Enredo: Chegou o general da banda! Albino Pinheiro, alegria do Rio
Compositores: Fio, Moura, Expedito, Ivo do Galo e Luiz Chaveiro

Confetes e serpentinas
O show vai começar
Nasci no Rio de Janeiro
Cidade emoldurada pelas montanhas e o mar
Em direito me formei
À cultura me dediquei
Fiz eternas amizades, a boemia desfrutei
E "só pra lembrar", a MPB divulguei

Vou brincar o carnaval no bloco de sujo
Com muito orgulho sou tricolor (bis)
Minha Portela querida
De tantos carnavais ao mundo encantou

Foram tantas paixões
Rose, jamais te esquecerei
Fiz teatro, curti bossa nova
Na rádio e no cinema trabalhei
Como era lindo ver
O banho de mar à fantasia
Olha o charme da mulata carioca
O "seis e meia" revelando artistas
Hoje abra um sorriso
Que a banda vai passar
Meu nome é Albino Pinheiro
A minha história vim contar

Vamos sambar e cantar
O general da banda chegou (bis)
Esbanjando alegria nessa folia
Com muito amor

2009

Enredo: Heitor dos Prazeres! Carioca da Gema - Um Artista de Corpo e Alma
Compositores: Rodney Cheto, Marcinho Keleque, Douglas PN, Bogalho, Guinho, Léo, Júnior e Vagner Britto

É carnaval, abrem-se as portas pra folia
Apaixonado som, um pierrot
No Rio Antigo, fui da boemia
Abram alas que vamos passar
Com Tia Ciata vou cantar
O morro é a raiz, Axé meu povo diz
O samba no terreiro é mais feliz
Na cultura popular, de sambista a pintor
Das glórias, me fiz imortal
Nas lutas, fui o vencedor
Artista que o mundo consagrou

Época de Ouro, surge a Rádio Nacional
Cassino da Urca, meu cenário musical (bis)
Um show de cores numa tela tão real

Samba, razão da minha vida, Mangueira querida
Ouço tamborins à repicar
Portela, teu manto é um encanto, esse azul e branco
Porta Bandeira, faz meu pavilhão girar
Se a "Vizinha" falou, então "Deixa Falar"
A Tijuca tem seu lugar
Muito prazer, eu sou Heitor nessa avenida
Pra sempre eu vou sambar

Sou Carioca da Gema... eu sou
Vem transbordar de Alegria... amor (bis)
Sacode povão... na palma da mão
A bateria vai tocar seu coração

2010

Enredo: No Mundo da Fantasia... vejo as cores da Alegria
Compositores: Wanderlei, Cleber, Armandinho, Silvão e F. Pinto
 
É fantasia
Seres alados a procurar
Para o seu reino a magia
E um sentimento encontrar
O rei e a rainha enviaram
Um pássaro em busca de um ideal
Em longa jornada, numa revoada
Uma viagem surreal
 
Passou por lugares exuberantes
Mas nada podia retirar (bis)
Sobrevoando reinos fascinantes  
Então decide retornar
 
Cansado pousa num jardim
O mensageiro suga a flor
Assim o botão desabrocha
Com as cores que jamais sonhou
Ao lado da felicidade
Não conseguia enxergar
No bater das asas de uma borboleta
Um arco-íris qualquer do planeta
Me dá vontade de brindar
A cada dia um despertar!
 
O rei da folia convidou
Tem baile na corte, também vou (bis)
Juntei sete letras, hoje a Zona Sul contagia:
"Alegria"

2011

Enredo: Os Doze Obás de Xangô
Autores: Alexandre Alegria, Telmo, Adelson, Vagner Silva e Serginho Gama

Ô... ô... ô...
A voz que ecoa na pedreira
Kaô! É de Xangô o rei de Oyó
Pai da justiça e da igualdade
É fogo, é trovão da liberdade
Sou eu! Escrevi minha história
Louvando aos deuses em rituais
Sou eu! O sangue Brasil!
Por ti derramado
Predestinada a te amar
O vento que me trouxe é o perdão
A fé que propago veio de além mar
Sou sacerdotisa, África batiza
Minha devoção
Eu sou a Yobá Biyí, filha dessa nação

Os alabês vão tocar
Para os doze Obás no Xirê
Agô meu povo da gira (bis)
Rei Xangô na Cangira
Kaô Kabecilê

Ilê Axé Opô Afonjá
A luz do divino irá conduzir
O legado dos meus sucessores
Zeladores da suprema missão
O vento que sopra a vida
Eleva a alma e o sentimento
E toda força do okê... okê
É o bendizer do firmamento

Meu manto tem axé!
O branco é paz! Vermelho é guerreiro! (bis)
Sou alegria nesse Alujá
Fé e proteção de Obatalá... (ôôô)

2012

Enredo: Os Saltimbancos
Autores: Daniel Katar, Rodney Chêto, Vinícius Amaral, Pixulé, Rodrigo Bola, Xuxa do Cavaco, Celson Mody e Al Big Dan

Lutar...
A liberdade tão sonhada conquistar
Com força e coragem
A felicidade, eu hei de encontrar
Tirei do peito toda mágoa e sofrimento
Aventureiro meu caminho vou seguir
Fiéis companheiros, valentes guerreiros e seus ideais
Em acordes musicais, vou ganhar o mundo
E se a maldade outra vez aparecer
Unidos somos fortes pra vencer

Atrás do sucesso eu vou
O caos na cidade me assustou (bis)
Essa loucura, não é meu lugar
Vou continuar

A esperança, prevaleceu
Quando avistei, um céu colorido
No meio da estrada, o fim da jornada
O picadeiro, um novo amanhecer
O circo a “alegria” de viver
Vista a fantasia, caia na folia, é carnaval
Meu universo é arte e emoção
Sou saltimbanco nessa multidão
Sempre a sonhar, não me canso de cantar

Bendita é a força da nossa união
A diversidade ajuda a crescer
(bis)
Juntos somos um em harmonia
Na estrada do sucesso: a Alegria

2013

Enredo: Quem não chora, não mama...
Compositores: Pixulé, Daniel Katar, Victor Alves, Kathiola, Vinícus Amaral e Edmilton Di Bem

Feliz da vida, nessa folia eu vou!
Viajar, com essa história multicor
Um olhar apaixonado
De um vestido nasce a minha inspiração
Vem pro Bola meu bem!
Hoje não tem pra ninguém...
Vista a sua fantasia é dia de alto astral!
Sou resistência, patrimônio cultural

Alah-lá-ô, mas que calor
No meu Cordão eu vou brincar (bis)
Se a canoa não virar...
Eu chego lá, eu chego lá

Cidade Maravilhosa da boêmia das tradições!
Reis e rainhas espalham alegria
Nas ruas, belas decorações
Segura a chupeta não quero chorar
Mas quem não chora não mama...
Do céu, chuva de confete e serpentina
Na Cinelândia se anuncia um desfile triunfal!
Eu sou o Bola Preta eterno folião do carnaval!

É dia de festa, eu vou me acabar
Cantar um rio de amor... (bis)
É preto e branco a minha Alegria
Hoje eu tô, que tô!

2014

Enredo: Sacopenapã
Compositores: Márcio André Filho, Gabriel Fraga, Adelson, Virgínia, Edvander e Telmo Augusto

O céu abençoou
A expedição que aqui chegou
E a tribo do império Inca
Por Sacopenapã se encantou
Nas ondas da ambição
Veio a santa padroeira
Kopakawana és das águas soberana
De um milagre veio a devoção de um povo
Por tanta fé o bispo te emancipou
E lá do alto sua igreja ganhou fama
Que batizou esse lugar Copacabana

Eu vou na arte de Debret
No bonde com você
(bis)
Atravessar o tunel da evolução
No Palace… o luxo e o requinte à francesa
Do forte contemplar a natureza

Estrelas, brilham nas telas a iluminar
Poeta, a lua sempre vai te acompanhar
Chão de poesias, canções, bohemias
Um drink, um banquinho e um violão
Princesa, eterna paixão
É praia, é sol, curtição
No teu centenário nasce a alegria
Canta Galo, Pavãozinho e Pavão
Um mar de fantasia, um banho de emoção
Para este sonho ser real
Nossa escola campeã do carnaval

Odoyá, karoque, Orunmilá
(bis)
Trago oferendas a rainha Iemanjá

2015

Enredo: Kari'Oka
Compositores: Márcio André Filho, Vaguinho, Adelson, Telmo Augusto, Wagnão e Hebert Rocha

Olha, olha só
O meu batuque não tem pra ninguém
Sou carioca da gema
Do lindo poema que a gente tem
Eu sou o cara que paquera na Lapa
E vou pro "Maraca" ser campeão
Moro nos braços do Redentor
Tenho na "Alegria" meu primeiro amor
Sempre dou meu jeitinho, se chego atrasado
O culpado é o sinal que fechou
Na fé do bicho, tentei a sorte
Acendi vela pra Oxalá e outra para São Jorge

Curto um funk, sou bamba no samba
Bom malandro e piadista (bis)
"Mermão" se liga no papo, sou do balacobaco 
Tiro onda com paulista

Sou carinhoso com meu lugar
Amante do sol, mas adoro beijar o luar
Digo muito prazer a todo turista
Tenho ginga no corpo e pinta de artista
Feliz por natureza
E a "cerva" suada na mesa
Pago uma, devo três, vai chegando o fim do mês
Vou dar um porre na tristeza outra vez

A Alegria chegou por toda cidade
Um Rio de amor e felicidade (bis)
É praia, é verão, lindo céu azul
Canta Zona Sul

2016

Enredo: Ogum
Compositores: Pixulé, Thiago Meiners, Rafael Tubino, James Bernardes, Alex Bagé, André Kaballa, Gilson Souza, Shazam, LC Vasques, José Mario, Junior Santana e Victor Alves

Vamos bater os tambores
Exú vai guardar os caminhos
Seguindo a missão de Odudua
Floresce a vida no Ayê
Reluz na espada o seu poder
Descobre os minerais, a forja de metais
Do sopro de iansã, vem a essência
E segue a lutar ao lado de Oxaguiã
Coragem, valentia e resistência

Ele é, ele é... Soberano Onirê
Do reino de Irê, senhor (bis)
Com o seu Alakorô vai conquistar
E seu nome correu terra, céu e mar

Baixando as armas voltou ao Orun
Mas sua mensagem se perpetuou
Vem de Aruanda trazer seu axé
A liberdade, nos terreiros, ecoou
E então vai começar o ritual
Folhas para enfeitar, devoção em cada olhar
Abre o xirê... Vou evocar a tua proteção
Ogum é Jorge, é religião
E a Alegria canta em sua fé
O cavaleiro forte e destemido
Conduz a Zona Sul ao infinito

Quando toca o adarrum
É batuque pra Ogum... Axé (axé, axé)
Patakori guerreiro, nos abençoai
(bis)
Ogunhê, meu pai

2017

Enredo: Vou Festejar com Beth Carvalho, a Madrinha do Samba
Compositores: Pixulé, Rafael Tubino, James Bernardes, André Kaballa, Marcelão, Marco Moreno, José Mário, Pedro Miranda e Victor Alves

Ê lindo luar
Ilumine as "andanças" dessa gente
É semba, tambores a contagiar
É samba... malandro, vadio, valente
Então, a pequena bailarina
Viu a "alvorada" menina
Lá no morro, que beleza
Seguiu a melodia da canção
As "folhas secas" e as "rosas" de Mangueira
E descobriu seu dom, amor pra vida inteira

"Esquece a dor"... Entra na roda
"Doce refúgio" onde a arte foi morar
(bis)
Caciqueando à sombra da tamarineira
O subúrbio te chama pra cantar

Sambista de corpo e alma
"Você vale ouro", é inspiração
No sonho da democracia
Lutando pela liberdade de expressão
Um coração que espelha a grandeza
Tão "gloriosa" que "nem cabe explicação"
Bonito é falar de você
Ouvir tua voz encantando o infinito
Madrinha, "divina" dama
O povo te aclama, "não é pecado sambar"
"O show tem que continuar"

Bate na palma da mão, levanta poeira
De vermelho e branco, vou festejar (bis)
Na Alegria, o batuque é de arerê
Beth Carvalho, o meu samba é pra você