PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Resenha Sambas de Porto Alegre

Comentários dos Sambas - Porto Alegre 2011 (por Samuel Santos)

É Preconceito! Eu Protesto!

Eu protesto contra isto que estão fazendo pelo nosso carnaval! Protesto contra a venda de CDs só por jornal local e pela Associação carnavalesca, além das quadras. Ué? Foi na Multisom? Loja de classe média em Porto Alegre, perguntei. A resposta? “Nós não trabalhamos com isso.” Ou ainda: “É uma produção independente.” Não entendi! Lá estavam os CDs do Rio de Janeiro Grupo Especial sendo colocados à venda. E o nosso carnaval? Aí, pensei: “Já sei! Deve ter nas Americanas!”. Não tem lá não, meu caro. Ué? Loja de povão, também não vende? É. Adivinha quem estavam nas Americanas sendo vendidos? Os CDs do carnaval do Rio de Janeiro Grupo Especial! Que maravilha! O Rio de Janeiro é Porto Alegre, então. Aqui deve ter Zé Carioca, uma praia de Copacabana. Deve ter até um Cristo Redentor! Se bem que poderiam destruir o conhecido Laçador e erguer em seu lugar um mini Cristo Redentor. Fazer igual à Santa Catarina, pelo litoral, colocar um Cristo Redentor falseta em cada cidade desconhecida. Depois, sorrir, sambar, dançar...

É. Esqueceram de nós nesse mundo globalizado. Tanto é, que para avaliar os sambas do Grupo Especial de Porto Alegre, tive que contar com umas ajudas mais que especiais. Da minha madrinha para conseguir de forma antecipada o CD em relação à comercialização do jornal Diário Gaúcho (o tal jornal local escrito antes), era para conseguir só no dia 14 de Janeiro, ocorreu uma correria atrás de alguém vinculado a mídia do Diário Gaúcho para adquirir antecipadamente. Sim, mas não dá para “matar” a curiosidade antes disso? O site Só Carnaval de Porto Alegre (pode googlear) permitiu aos sambistas essa oportunidade. Foi bom, pois já deu uma ideia de cada samba no CD 2011. Vamos analisar ele agora:

CD: Falta de cuidado com a confecção continua solta, depois de um CD de 2010 ser uma feiúra, dessa vez melhoraram uma pouco. No entanto, para retirar o CD parece uma dificuldade extrema, fora que arranha ou suja com certa facilidade a mídia. Fora isso, destaco a homenagem a Delmar Pavão, quando completar um ano de sua morte, pretendo voltar a escrever sobre o compositor ilustre da Bambas da Orgia. Realmente, a safra está um pouco melhor que a de 2010. Destaque positivo único é a Leopoldina. O negativo para o geral do carnaval de Porto Alegre querendo ser um mini Rio de Janeiro. Impressionante, sambas funcionais e sambas de escritórios do RJ fazendo grana em Porto Alegre. A produção é a melhor do Brasil. Supera até o CD da Liga de São Paulo. Observação a ser feita: que diferente das avaliações anteriores sobre Porto Alegre, avalio samba com o jeito e o estilo do carnaval de Porto Alegre, assim como as identidades das agremiações. Gravar nesses moldes obriga a participação da comunidade dando uma força maior nas faixas. Nota: 9   

1.  Imperatriz Dona Leopoldina: A escola do bairro Rubem Berta vai levar pro Porto Seco todo o fascínio da cidade de Foz Iguaçu. O samba é mais maravilhoso ainda, com direito a estribilho. Deveriam construir uma estátua para o Vinicius Britto por tudo como compositor da Leopoldina. Além disso, tem a cara de Porto Alegre. Com versos valentes e uma melodia muito interessante, a cadência magistral da bateria na faixa mostra uma exceção em 2011 no CD. Enquanto temos sambas “cariocados” ou “misturebas” (Rio em uns momentos, RS em outros), a Leopoldina merece ganhar o carnaval pelo que está fazendo em Porto Alegre. A letra é de fácil entendimento, porém o patrocinador obrigou, provavelmente, a colocar um verso sobre a culinária local, “Tempera o paladar”, deixando vago na letra. Talvez os carnavalescos (quem curte carnaval) tenham se perguntado: o Renan Ludwig vai conseguir um bom desempenho na Imperatriz Dona Leopoldina? A resposta é um sim. Ele arrebentou na gravação oficial ao seu modo de cantar. No entanto, não gosto da forçada de barra pelo tom menor agudando a voz do intérprete, parece pagode. É bom ressaltar: não ouvi nenhum samba nota 10 em 2011. Império Serrano, no Acesso do RJ, tem um erro de letra: despertar perto do segundo verso inicial com desperta. Vai-Vai, escola do Grupo Especial de SP, peca na falta de explosão no refrão do meio. São erros normais, dá para justificar em uma obra. Enfim, o CD abre com chave de ouro. Nota: 9,8

2.  Estado Maior da Restinga: O samba da Tinga, disparadamente, considero o pior do CD para contar a história da África do Sul. Um dos piores da escola da Zona Sul de Porto Alegre. A começar pelo jeito e estilo “cariocado” proposto tanto na bela melodia como na letra muito ruim com trechos bizarros. Caro leitor, escolha a melhor pérola da obra, tenho 3 muito boas: (1) “É ruim de aturar chegou a Tinga”, deve ser difícil aturar mesmo é o samba; (2) “Branca cruel tirania resistia”,  quem resistiram foram os negros, jamais os brancos, verso confuso, mas bizarro também; (3) “Tormentas se fez esperança que ele plantou” , ele refere-se a Nelson Mandela, no entanto, tormentas transformando em esperança, muito estranho, fora o outro erro de que Nelson PLANTOU as tormentas ou a esperança, alguém responda-me! Cada verso tem sua bizarrice, algo inédito vindo de um nome renomado do porte de André Diniz. Merece ir pro Guiness Book! Agora, vamos brincar de descobrir quantas vezes aparecem a mesma palavra repetida na letra? “Povo” consta 3 vezes, “Deslumbrante(s)” duas vezes, “Guerreiro” duas vezes, “Mundo” duas vezes ainda em versos seguidos. Quer por proximidade?   “Opressão e opressor” , “Faz, fez e desfaz”, “Samba e sambar”. Além disso, Mandela em todos os seus nomes ou apelidos possíveis de ser chamado são escritos no samba-enredo. Isso demonstra um enredo curto pro compositor que teve a exaustão de repetir igualmente um setor inteiro para fechar com a melodia. A gravação, ao contrário, permite uma avaliação equivocada, porque foi a melhor produção de 2011. Enfim, Wander Pires cantou bem. A nota teve desconto extra de um décimo por “cariocar”, por isso vai ficar bem baixa. Nota: 6,5

3.    União da Vila IAPI: “Vem ser Vila por amor!”, o verso do sucesso para ganhar o direito de samba oficial do Expresso da Zona Norte. Se a obra não tiver o tal verso, não será aceito. Desde 2009, a tradicional rima do verso “eterno” com um verbo qualquer na terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do modo indicativo. De resto, é um oba-oba bem feito. Contudo, encontrei um problema de eu-lírico, ou seja, a confusão danada de quem expressa-se de “narrador” da poesia. Fiquei na dúvida, pois em alguns momentos trata-se da cerveja (parte 1 do samba), tema-enredo da IAPI, ou um sujeito não identificado poetizando sobre a bebida popular (parte 2 em poucos versos). Momentos “made in Rio” com outros “sou gaúcho, tchê!” aparecem na melodia, logo, meio décimo retirado. Kaubi vem evoluindo de forma positiva como intérprete principal da Vila do IAPI.  Nota: 8,1

4. Embaixadores do Ritmo: Macumba boa da Embaixadores. A Assinatura é da turma do Vinicius Britto. O samba não apresenta a empolgação da Leopoldina para 2011, porém uma boa melodia com versos muito bons. Erros bobos, por exemplo, o refrão principal com “Jorge” aparecendo duas vezes para expressar igualmente a mensagem. O último verso do samba, “Mora na lua, ilumina a procissão”, desnecessário, já que em outros versos isso já fica claro no tema-enredo sobre São Jorge. Altas doses de poesias na letra aliando com a melodia bonita, mais ainda no destacado refrão do meio ou central, porque é de uma beleza ímpar. Atuação corretinha do Paulinho Mocidade de igual para Farelo. Saravá, Embaixadores! Obs: cadê o Farelo citado em intérprete(s) no CD na parte de relação das faixas? Nota: 9,3

5. Imperadores do Samba: Está triste ouvir o samba da minha escola de coração em Porto Alegre e encontrar problemas na letra do samba. O tema-enredo é a cidade de Santa Maria, que fica no interior do Rio Grande do Sul. Esse tema já foi apresentado pela Unidos de Vila Isabel de Viamão em 2003. O mais estranho vem na nova cara da Imperadores: opção por sambas funcionais. O de 2011 não foge a regra. Já começa com o clichê forçado de “eu vou que vou”, muito pobre. Na primeira parte, a inspiração surtiu efeito sobre os compositores, diferente da segunda parte onde aparecem elementos listados. Sabe aquelas listas de supermercado? Mais ou menos isso. Para compensar os problemas, a melodia, além do sensacional refrão do meio, mascaram um pouco os equívocos cometidos. O refrão principal está registrado na história da Imperadores, pois tem cara de Praiana, assim como o principal da Praiana para 2011 tem cara de Imperadores. Para quem é de fora do Rio Grande do Sul, sugiro que dê uma pesquisada no Google sobre a cidade de Santa Maria com tudo que é citado na obra, para entendê-la perfeitamente. Vinicius Machado surpreendeu-me positivamente pela condução de um samba fora dos padrões do tom de voz em relação aos anos de 2009 e 2010. Nota: 8,5

6.  Império da Zona Norte: Melodia reta, embora em poucos momentos raros, dá pequenas variações. A letra tenta contar uma história sobre a relação entre Portugal e Brasil. Exageradas a presença de aspas, só poluem a obra. Fora trechos fracos como “Abençoam o fidalgo navegante”, “As flechas de Tupã” e muito mais... Ou seja, versos vagos, diferentemente da Restinga, aparentam uma conectividade. O carnaval de Porto Alegre sempre foi um adepto de sambas de versos curtos, todavia não tão fracos. Além disso, o verso forçado “Meu povo é só felicidade” no refrão do meio que já apresenta uma confusão legal com o verso seguinte, onde fica a pergunta: quem realmente abriu os portos, o povo ou Dom João? Depois voltamos com a velha e útil lista de compras em um samba. Aliás, a segunda parte em melodia é a melhor do samba-enredo. A atuação de Sandro Ferraz apesar de boa, forçou-o a alcançar agudos. Isso me preocupa em Porto Alegre, pois se continuarmos com a linha atual de sambas, vai ter intérprete perdendo suas características originais, vide o Sandro. Composto pela parceria do ano anterior, a obra tenta pegar o jeito gaúcho, vou descontar 0,5. Deve funcionar na avenida, visto o forte refrão principal. Nota: 8,3

7.    Unidos de Vila Isabel (de Viamão, cidade próxima da capital Porto Alegre): Samba composto por Serginho Aguiar, Diego Chocolate, Aryzinho, Tiago Souza e Zé Ivo. Dois primeiros são da parceria vencedora na Beija-Flor de Nilópolis do RJ. Oras, o samba tinha que ser pesadão, tom menor e com aquela melodia já escutada na escola da Baixada Fluminense. O tema-enredo sobre a química até chegar ao pólo em Triunfo-RS,  torna-se um dos complexos de 2011, tenho certeza. E o samba? Segue a linha dos últimos anos da Vila Isabel, mas penso que este com um quê de carioca. O refrão do meio é muito bom, no entanto, o principal deixa a desejar, pois não é uma novidade a rima manjada, na escola de Viamão, Isabel com céu. Uma estrofe anterior ao refrão principal quebra a seqüência melódica, isso é muito interessante. A Vila Isabel possui 2010, além de 1998 como seus grandes triunfos de belíssimos sambas. Curiosidade fica por conta da forma de construir a obra por meio do programa de relacionamentos MSN. Bela iniciativa da Vila. Parece que o Aryzinho ajeita para deixar com a cara do carnaval de Porto Alegre. Nota: 9,1

8. Bambas da Orgia: A versão concorrente das eliminatórias era de assustar qualquer bambista. Ninguém apostaria em um bom samba por parte da Bambas, contando e relembrando os antigos carnavais de Porto Alegre. Ainda tem a assinatura de Waguinho (é o intérprete da Mancha Verde de SP?). O filme de horror previsto, agora, apresenta calmaria. Ajeitaram ao colocar três refrãos sendo que um atrás do outro mais o principal após uma parte de corpo. O samba não busca contar uma história para mostrar o tema-enredo nele. Isso resgata a característica clássica da azul e branca da Azenha, aquela metalinguagem onde o samba explica o tema-enredo. No geral, há versos bons contrastando com fracos. Destaque positivo pro refrão “Quem te viu quem te vê (ÔÔÔ)/Você não me conhece?/Sou um mascarado, mais um ‘Zé Povinho’/Que hoje vira artista na TV” pelas referências de carnavais portoalegrense, por exemplo, Restinga 2001 com o desfile sobre as máscaras, além da crítica a importação de artistas do Rio para chamar atenção da mídia. A letra está cheia de referências escondidas, bacana para quem quiser encontrar os grandes desfiles de Porto Alegre. Essa obra tem uma importante inovação no gênero. Do verso 9 ao 12 na segunda parte, frases consagradas da folia local são ligadas causando um efeito muito interessante, aí, vale o uso das aspas, já que representam citações. Única grande ressalva pro refrão principal com aquele primeiro verso pagodeado, sem sentido. Zinho Melodia deveria ser mais valorizado, porque a comunidade não apareceu na faixa (houve boicote?). Ele cantou muito para convencer a qualidade do áudio. Nota: 9,0    

9. Acadêmicos de Gravataí: Está aí um samba interessante. Com a exceção do refrão oba-oba principal, traz sacadas muito bem boladas aliadas com uma melodia cheia de variáveis. Foge dos clichês, enfim, uma boa obra. Contudo, não empolga muito quem escuta. Na segunda parte, quando a entidade lembra dos seus grandes carnavais, faltou um pouco mais de inspiração para não forçar a rima conhecida emoção com coração. São erros bobos, justificáveis pelo número de compositores: Edson Vieira, Fábio Castilhos, Victor Nascimento, Andy Lee, Vinicius Machado, Mestre Márcio, Vinicius de Souza, Kako Alves, Jailson Barbosa. Um bom samba moderno, parabéns a Onça Negra, mas a nota não deve ser alta devido a esses erros infantis. Nota: 8,7

10.   Império do Sol: Bom, a faixa é chatinha, porém atinge o seu objetivo. Com a temática de homenagear Onira Pereira, a maior das portas-estandartes, em uma proposta de encaixar a história do porta-estandarte. E adivinha quem vai estar presente no Porto Seco com a escola de São Leopoldo (cidade da grande Porto Alegre)? O venerável solucionador pros carnavalescos para fazer um carro alegórico, ele, o genial EGITO! Sim, é o cara! Esqueci de comentar o samba... Refrão do meio é outro do gênero reto em melodia. A obra segue o padrão duas partes com dois refrãos de quatro versos, muito chato. Tenta exprimir uma emoção quase inexistente, assim, dificulta o desenvolvimento do tema-enredo na música. Há duas pérolas sensacionais de uma criatividade... “Só quero te dizer muito obrigado” exagera e força demasiadamente a emoção para fechar a melodia redondinha. O auge de cacofonia chega ao samba-enredo de Porto Alegre: “De versos, poemas fiz uma canção” ou seria “Diversos poemas fiz uma canção”? O intérprete Joel Alves até que conduz bem um samba em tom menor pesado. Nota: 8,7

11. Academia de Samba Praiana: Simples, objetivo e bom, adjetivos concebidos ao samba da Praiana para tratar do povo cigano. A mudança de primeira pessoa do plural para o refrão do meio de primeira pessoa do singular causa estranheza ao ouvir a faixa. Eu trocaria os “sou” por “somos” no refrão do meio. Desnecessário o verso “É festa, vamos celebrar”, não diz nada de importante para o ouvinte. O refrão principal é oba-oba, mas a escola precisa renascer das cinzas. A Praiana está passando pelo processo de modernização, por isso precisa de um gás a mais. Impressiona os agudos espetaculares de Alexandre Belo na gravação. Eu lembro de ouvir o Belo cantando de forma cadenciada absurdamente a sua voz na época da Imperatriz Dona Leopoldina. Nota: 8,9  

12.   Samba Puro:  A Samba Puro apresenta um samba funcional que tenta não ser trash, mas muito comum em estrutura de carnaval de Porto Alegre, tornando, assim, um samba muito chato. O refrão principal resume de maneira bem genérica o tema-enredo sobre Rozeli da Silva com uma falta de criatividade dos compositores. O melhor e o pior momento do CD está nessa faixa. A letra proporciona uma lista dos elementos do início ao fim. A exceção encontra-se nos dois últimos versos do samba que é repetido duas vezes com uma força que condecora o melhor momento do CD, um momento de muita emoção. De resto, há muitos problemas, mesmo com a genial sacada “Indo à luta, engrandecendo a nação/Lá vem Maria da Conceição!”. Paulinho Durão, intérprete da Samba Puro desde 2002, conduz a obra na proposta dela: tentar um milagre na permanência da escola da Maria da Conceição. “Podem acreditar numa história de bravura e coragem”, quem sabe, ficar no Especial em um ano que caem três agremiações. A Muamba deu um gostinho de esperança. Sinceramente, eu prefiro o rebaixamento de duas em 2011, além de mais duas em 2012. Enfim, deixo para a Associação Carnavalesca definir. Nota: 7,5

13. Tribo Os Comanches (ficamos devendo a letra, infelizmente): Nosso hour concours de 2011. É muito interessante ouvir as histórias das tribos carnavalescas de Porto Alegre, um som completamente diferente do que se pode imaginar. Eu aconselho a todos a ouvir a faixa.

 
Quem sou eu: Sou um jovem que curte carnaval e samba, bem mais, hoje, do que qualquer outro ritmo. Ouço sambas pelo Windows Media Player ou pelos CDs, muitos feitos por mim como seleções de sambas. Logo, falta-me assistir aos desfiles no Porto Seco, infelizmente, não poderei ir esse ano ao Complexo Cultural. Também está faltando ir a uma quadra de escola de samba para ver se irei gostar do barulho e da festa ou do ensaio, caso tenha. Sou considerado uma das novas revelações da LIESV, Liga de carnaval virtual, em se tratando de composições. Espero ajudar, quando puder, na composição de algum samba aqui em Porto Alegre, moro na capital do Rio Grande do Sul. Entretanto, eu devo ficar com um pouco de grana por um bom tempo, pois começo esse ano a minha faculdade de Bacharelado em Física. Voltarei a escrever algo, assim que terminar o primeiro semestre. Se o leitor quiser enviar algum e-mail contando uma história interessante de um acontecimento pessoal de um desfile de Porto Alegre, principalmente, dos anos 90 pra trás, fique à vontade. Só lembro: “Quem divulga a nossa arte/ Não sou eu, você quem diz/É a minha Imperatriz”, versos do samba de 1996 da Imperatriz D. Leopoldina.

 Letras dos sambas 2011: (créditos para o site Samblog, obrigado pelas letras, no CD, elas não constam)

IMPERATRIZ LEPOLDINA 2011:

VEM PRA TRIBO IMPERATRIZ
PINTAR O CORPO COM AS CORES DO MEU PAVILHÃO
A NOITE É DE SAMBA NA ALDEIA
E A LUA QUE CLAREIA
ENFEITIÇA O CORAÇÃO

Tinha que ser o amor
A regar essa flor
A foz do paraíso
Onde uma índia chorou
Quando um dia tentaram
Traçar seu destino
Então um guerreiro surgiu
Pelo curso do rio para a libertar
O Deus em forma de serpente
O pajé valente
Dá forma a este lugar

(ÔOO) DESÁGUA… (ÔOO) DESÁGUA…
QUE A FORÇA DESTA QUEDA LAVA A ALMA
O SOM DA FAUNA VAI TE LEVAR
PRA VER O SOL BRILHAR

De lá onde o arco-íris despontou
Enchendo os olhos de Dumont
Foz do Iguaçu, a fina flor
Desabrochou
O turismo sem fronteiras
São três marcos, três bandeiras
Elo da amizade
O comércio sem barreiras
Tempera o paladar

CANTA IMPERATRIZ! COMUNIDADE É ENERGIA
A LEOPOLDINA É A USINA QUE FAZ TUA ESTRELA BRILHAR
CANTA IMPERATRIZ, SUPERAÇÃO É TUA SINA!
E A NOSSA ESTRELA VAI ILUMINAR

 

ESTADO MAIOR DA RESTINGA 2011:

É RUIM DE ATURAR, CHEGOU A TINGA
COM A ÁFRICA DO SUL QUE AO MUNDO CONQUISTOU
O MUNDO É UMA BOLA E ROLA A EMOÇÃO
É FESTA DO MEU POVO CAMPEÃO

LUZ MAIS DESLUMBRANTE DE OLODUMARE
ESPÍRITO GUERREIRO, SANGUE ZULU
NUTRI NO SOLO AFRICANO, VENTRE HUMANO A VIDA
FIRMEZA DE UM BAOBÁ, GARRA DE UM FELINO
SELVAGEM A EXPLORAÇÃO QUE MUDOU SEU DESTINO

MISTÉRIOS DO TAMBOR, MIÇANGAS DO PODER
SAVANAS DESLUMBRANTES…
COBIÇA DO INVASOR, OLHAR DO OPRESSOR
BRILHAM FEITO OURO E DIAMANTES

BATE NO COURO DO ATABAQUE FEITICEIRO
TRAZ ALEGRIA PRA TODOS, POVO GUERREIRO
NELSON EXEMPLO DE VIDA SEMEOU
TORMENTAS SE FEZ ESPERANÇA QUE ELE PLANTOU

NEGRO CLAMOU IGUALDADE
BRANCA CRUEL TIRANIA RESISTIA
CHAMA DA DIGNIDADE
SOL QUE TRARÁ O NOVO DIA CONTAGIA

DESFAZ AS ALGEMAS DA DOR
AS AMARRAS DA OPRESSÃO
REFAZ O ORGULHO DE UM POVO
LAÇOS DE UNIÃO

VEM VER MEU ESTADO MAIOR
SAMBAR E CANTAR MADIBA
NA PELE A COR DO BRASIL
A RESTINGA SE FAZ TÃO LINDA

AO TOM DO SAMBA
ALMA PURA E MULTIRRACIAL
HOJE SOBE A AUREA DE MANDELA,
RELUZ NO CARNAVAL

 

IAPI 2011:

DOURADA COMO OS RAIOS DO SOL
AGRACIADA PELOS DEUSES
“QUEM EU SOU?”
O PÃO ORIGINOU
A BEBIDA QUE O DESEJO SACIOU
ENTRE LENDAS, MITOS E MAGIAS
ÁGUAS ROLARAM NOS JARDINS
TANTAS HISTÓRIAS… “REALIDADE OU FANTASIA!”
ATRAVESSANDO OS MARES VIAJEI
EM CERVEJA ME TORNEI
NA PRODUÇÃO DOS NOBRES, ME PURIFIQUEI

SOU COMBUSTÍVEL QUE CONTAGIA
CHEGA MAIS, QUE VILA É ALEGRIA!
CANTA FORTE, COMUNIDADE!
“NUM PORRE DE FELICIDADE!”

NO MEU BRASIL, A BEBIDA MAIS PEDIDA
PELAS RUAS LÁ VOU EU TE FAZER FELIZ DA VIDA
VEJO FLORES COLORIDAS
BROTANDO NOS BOSQUES DE BLUMENAU
NO BERÇO DA CULTURA ALEMÃ
A FESTA É TRADICIONAL
VEM SENTIR O SABOR INSPIRANDO AMOR
DO POVO EU SOU A MAIS QUERIDA
BEBA DESSA FONTE SABOROSA
ATÉ NO BARRIL SOU MARAVILHOSA
OKTOBERFEST HOJE É NOSSO CARNAVAL
TE EMBRIAGO COM MEU ALTO ASTRAL

TEM CERVEJA GELADA… PRA BRINDAR!
O NOSSO SHOW VAI COMEÇAR…
É O TREM DA ZONA NORTE, QUE CHEGOU…
VEM SER VILA POR AMOR!

 

EMBAIXADORES DO RITMO 2011:

SOU DEVOTO DE JORGE E FILHO DE OGUM
SOLDADO GUERREIRO, MEU MANTO É VERMELHO 
E EU SOU MAIS UM
DE UMA LEGIÃO QUE CANTA FORTE:
“SALVE JORGE!”

PEÇO PARA O SANTO PADROEIRO
QUE TRANSFORME EM CAVALEIRO
MEU AMADO
EMBAIXADOR

QUE VAI À LUTA EM PROCISSÃO
CANTANDO O
SAMBA EM ORAÇÃO
VEM DA
CAPADÓCIA ESTA HISTÓRIA

DE UM CAPITÃO VALENTE QUE EM ROMA COMBATIA
E
POR SUA GENTE FEZ VALER A SUA FÉ

EM NOME DA CRUZ, A DESPEDIDA
BRILHA NO CÉU A PROTEÇÃO DE NOSSA VIDA

OGUM… ODUDUA CRIOU
DE ORUM À AIÊ VEM MEU ORIXÁ
OGUM YÊ, DEIXA GIRAR
SARAVÁ!

IFÉ… SENHOR DO FERRO ENTÃO REINOU
ENTRANDO NA FLORESTA O GUERREIRO A DESBRAVAR
PRA NESTE CHÃO PLANTAR
COMO ENSINOU ORUNMILÁ
A DOR QUE VARA A NOITE
EM CADA AÇOITE PELO MAR
EMBALA A FÉ DO NEGRO
A VER NO SANTO UM ORIXÁ
PEGA NA LANÇA PRA LUTAR
SUA DEMANDA É VENCER MAIS UM DRAGÃO
MORA NA LUA, ILUMINA A PROCISSÃO

 

IMPERADORES DO SAMBA 2011:

O MAR VERMELHO PISA FORTE N’AVENIDA
E O RUGIDO DO LEÃO VEM ANUNCIAR
DA BOCA DO MONTE O MAIS NOVO AMOR
SANTA MARIA ENCANTA IMPERADOR

EU VOU (QUE VOU) NESTA VIAGEM PRA TE CONQUISTAR
COM LENDAS, MITOS, MAGIA E SEDUÇÃO…
IMEMBUÍ E MOROTIM COM SUA PAIXÃO
VÃO NOS LEVAR ÀS RIQUEZAS DESTA TERRA
HÁ MILHARES DE SÉCULOS OS DONOS DESTE CHÃO,
GRANDES CRIATURAS, ARQUEOLOGIA
“O SANGUE MINUANO” TORNOU-SE REDUÇÃO
A REGIÃO DE COSME E DAMIÃO

É NESSE TREM QUE EU VOU
POIS O PROGRESSO CHEGOU
TROUXE CULTURA, ARTE, MISCIGENAÇÃO
VOU ME BANHAR NO ITAIMBÉ, FAZER A FESTA
ESSE POVO É BOM A BESSA
SEDUZIU MEU CORAÇÃO

AS ETNIAS CHEGAM EM MASSA POR AQUI
JUDEUS, MASCATES, O COMERCIANTE ALEMÃO…
PONTO ESTRATÉGICO PRA BASES MILITARES
NA UNIVERSIDADE É POLO DA EDUCAÇÃO
E NO FUTEBOL, INTER E RIOGRANDENSE É “PELEIA” REGIONAL
TEM O TURISMO RELIGIOSO
FESTIVAL DE BALONISMO 
A CIDADE GANHA UM TOQUE ESPECIAL
QUANDO CHEGA O CARNAVAL

 

IMPÉRIO DA ZONA NORTE 2011:

SOBERANA…TRIUNFA A COROA LUSITANA
NO GRANDE BAILE IMPERIAL
DOM MANUEL E SUA CORTE
ABENÇOAM O FIDALGO NAVEGANTE
ASSIM PARTIU CABRAL AO NOVO MUNDO
PELOS MARES DE “NETUNO”
CHEGA EM “PAPAGALI”… UM PARAÍSO TROPICAL
AS FLECHAS SAGRADAS DE TUPÃ
SE UNEM AOS BRASÕES DE ALÉM-MAR
A FÉ CRISTÃ SEMEIA NOSSO CHÃO
DE PORTUGAL VEIO A COLONIZAÇÃO

BEM-VINDO DOM JOÃO, NO CORTEJO REAL
MEU POVO É SÓ FELICIDADE
“ABRIU OS PORTOS”, DO SEU FILHO UM BRADO FORTE
“INDEPENDÊNCIA OU MORTE!”

MEU SAMBA E O FADO SE MISTURAM
FESTEJANDO AS HERANÇAS CULTURAIS
JOGOS DE DAMAS, DADOS E BARALHO
O DICIONÁRIO PIONEIRO DE MORAIS
VINHO DO PORTO, CULINÁRIA SOBRE A MESA
NA BOEMIA DOS BOTEQUINS
EU ESQUEÇO AS TRISTEZAS
VEM ZÉ PEREIRA, NA MARCAÇÃO
VAMOS UNIR NOSSAS BANDEIRAS
“TERRA MÃE GENTIL”
VERDE E AMARELO É O CORAÇÃO DO MEU BRASIL

IMPERIANO EU SOU, ME ORGULHO E SOU FELIZ
BATO NO PEITO, SARANDI MINHA RAIZ
“AÇORIANOS” SELARAM MINHA SORTE
SOMOS OS “LEÕES DA ZONA NORTE”

 

VILA ISABEL DE VIAMÃO 2011:

QUERIA PODER VIAJAR NO TEMPO
SER ALQUIMISTA E DESCOBRIR
PODER SONHAR COM EXPERIMENTOS
NA ALQUIMIA…EVOLUIR
A UM PASSO DO ENCANTAMENTO…
TER A PEDRA FILOSOFAL
UM RAIO DE LUZ INFINITO NA ERA MEDIEVAL
SEGREDOS QUE ATRAVESSAM GERAÇÕES
QUE VAI ALÉM DA IMAGINAÇÃO
OS SÁBIOS QUE MARCARAM A HISTÓRIA
COM PENSAMENTOS TRANSCENDENTAIS

NUM TOQUE DE FEITIÇARIA…
O MAGO EMANA ENERGIA
ESTÁ REVELADO O INVENTO
MAGIA QUE TRANSFORMA A BORBOLETA
É METAMORFOSE RUMO AOS NOVOS TEMPOS

MAS O DESTINO MARCOU A CIDADE
E FEZ TRIUNFAR PROSPERIDADE
O PÓLO… NO SOLO DOS PAMPAS!
É O PROGRESSO EM NOSSAS MÃOS
PRODUTOS
QUE JAMAIS IMAGINAMOS TER

PRESENTES EM NOSSO DIA-A-DIA
PROJETOS… CINTURÃO VERDE A EVOLUÇÃO
PENSAR O FUTURO NA PRESERVAÇÃO
DA MÃE NATUREZA COM A MODERNIDADE

PESQUISAR E INOVAR
QUE O MUNDO FICA MAIS AZUL
A VILA VAI DE NORTE A SUL
NO CANTO FORTE DA COMUNIDADE

MEU PAVILHÃO É MEU AMOR BANHADO EM OURO
TRAZ EMOÇÃO
E FAZ BRILHAR O MEU TESOURO

A POMBA BRANCA BAILA NO CÉU
NA QUÍMICA PERFEITA DA VILA ISABEL

 

BAMBAS DA ORGIA 2011:

 

VOU FESTEJAR, VOU SACUDIR ESTA CIDADE
CORAÇÃO AZUL E BRANCO, RAZÃO DE MEU CANTO,
SOU BAMBAS E NINGUÉM VAI ME DERRUBAR

Ó ABRE-ALAS!!
Ô ABRE-ALAS, DEIXA MINHA ÁGUIA PASSAR
NA PASSARELA DA FOLIA,
ESBALDAR FELICIDADE
CANTAR, PULAR ANTIGOS CARNAVAIS

EXTRAVASAR, CRIAR A FANTASIA A NAÇÃO ENFEITIÇADA
NA FESTA DO MOMO, VAI SE ACABAR
QUEM TE VIU QUEM TE VÊ (ÔÔÔ)
VOCÊ NÃO ME CONHECE?
SOU UM MÁSCARADO, MAIS UM “ZÉ POVINHO”
QUE HOJE VIRA ARTISTA NA TV

(BATUCA NEGRO PRA VALER!!)
BATUCA NEGRO PRÁ VALER, A TUA RAÇA INSPIRA FÉ…
NO SAMBA A VIRTUDE, NOSSA NEGRITUDE,
O RITUAL DO BOM AXÉ

RELEMBRAR! COM CONFETE E SERPENTINA
TURUNA EU FUI VI MEU SONHO AFLORAR
BAMBAS PISA FORTE NA AVENIDA
LANÇA-PERFUME PELO AR
NA FORÇA DE UM POVO GUERREIRO
O INDÍO É CULTURA, FOLIÃO BRASILEIRO!
VICENTE RAO, EM SEU REINADO GENIAL
CHAMAVA O POVO PRA CANTAR……
“Ó MEU AMOR, NÃO FAZ ASSIM,
EU SOU DO BLOCO TIRA O DEDO DO PUDIM ”
“COMIGO NINGUÉM PODE”, “TE ARREMANGA E VEM”
MUAMBA NA “SALDANHA “EU VOU TAMBÉM”.

 

ACADÊMICOS DE GRAVATAÍ 2011:

MEU SAMBA É GOSTOSO, DÁ ÁGUA NA BOCA
NAS GARRAS DA ONÇA EU VOU TE LEVAR
VOU CACIQUEANDO, SÃO 50 ANOS
BALANÇA COMIGO, VEM COMEMORAR

AO PÉ DA TAMARINEIRA
UM LINDO SONHO SE TORNOU REAL
PLANTOU-SE A SEMENTE DO SAMBA
FLORESCE UM PATRIMÔNIO CULTURAL
DOCE REFÚGIO CONSAGRADO
ABENÇOADO PELAS MÃOS DO CRIADOR
BERÇO DE ARTISTAS, POETAS E SAMBISTAS
MORADA DA INSPIRAÇÃO
AO SOM DO BANJO, REPIQUE, TANTÃ
DESPONTA O SOM DA MANHÃ
BATUCA O MEU CORAÇÃO

ROLA PAGODE SOB A LUA NO TERREIRO
COM PARTIDEIROS LÁ DO FUNDO DE QUINTAL
CACIQUE DE RAMOS É CONSTELAÇÃO
A ILUMINAR GRAVATAÍ NO CARNAVAL

A ONÇA ROUBA A CENA E SURGE TRIUNFAL
ROMPENDO BARREIRAS A EX-FOLIÃ
DA NOSSA BANDEIRA É A GUARDIÃ
LAVANDO A ALMA, ME ACABEI NA PASSARELA
BAHIA, SÃO MIGUEL, A MASSA FEZ A FESTA
DESBRAVOU ‘BRASIS’ E POR PARIS SE ENCANTOU
É MEIA-NOITE, APAGUE A LUZ
O LANTERNEIRO ANUNCIOU
POR TI CHOREI, SORRI DE EMOÇÃO
O SHOW VAI TER QUE CONTINUAR
NA FORÇA DO MEU PAVILHÃO

 

IMPÉRIO DO SOL 2011:

NA HISTÓRIA O ESTANDARTE EU FUI BUSCAR
CONTAM QUE OS HEBREUS FORAM OS PRIMEIROS A USAR
NO EGITO, E ROMA SIMBOLIZOU PODER E TRADIÇÃO
CRUZANDO O TEMPO, GUERRAS, MOMENTOS, CHEGOU DO CARNAVAL
ENTÃO SE DEU UM ENCONTRO ABENÇOADO
O ESTANDARTE FOI LEVADO

PELO DESTINO, A UMA ESTRELA SEM IGUAL

ECOARAM OS BATUQUES DO TAMBOR
DA SEMENTE NASCEU A LINDA FLOR
A SUA VIDA, PROTEGIDA POR EXU BARA
JOGADO OS BÚZIOS, FÉ NO ORIXÁ
NA TERRA DA ENCANTARIA, DESPONTA A BELEZA DA MULHER
CONSAGRA-SE ONIRA, BONECA CAFÉ

É GUERREIRA! SUA ÁGUIA VAI VOAR
NUM MANTO AZUL E BRANCO REPOUSAR
ROMPER FRONTEIRAS, EVOLUIR
ABRINDO ALAS NA SAPUCAÍ

ORGULHOSA! A MÃE SAMBISTA VIU
NO GIRAR DE UM PAVILHÃO O  SEU LEGADO RESISTIU
MAS A LÁGRIMA ROLOU… E NA AVENIDA O SURDO SE CALOU
A ESPERANÇA VEM DA “UNIÃO”
QUE IMORTALIZA E “DESTACA” A TUA DANÇA
E HOJE MINHA IMPÉRIO SE ENCANTA
A AVENIDA SE LEVANTA PRA TE APLAUDIR
TEU NOME PARA SEMPRE ESTÁ GRAVADO
SÓ QUERO TE DIZER MUITO OBRIGADO

DE VERSOS, POEMAS FIZ UMA CANÇÃO
ONIRA PEREIRA ÉS INSPIRAÇÃO
HOJE A IMPÉRIO ETERNIZA A TUA ARTE
“BAILA MINHA PORTA ESTANDARTE”

 

 

PRAIANA 2011:

 

Iluminados pela luz do criador
Agraciados com o dom da premonição
Mensageiros da paz e do amor
Vou montar a minha tenda, Santa Sara nos defenda
Na nossa caminhada, que é sem fim
Castanholas, violinos
Cartas mostram o destino
Previsões e melodias pelo ar
Paixão caliente, um convite pra bailar

O mundo é o meu lar, sou como as estrelas
A minha pátria é uma estrada sem fronteiras
Povo cigano é felicidade
Em verde e rosa sou a própria liberdade

A natureza é a energia
Fogo, água, terra e ar
É força, poder que nos guia
Forja e comércio, talento secular
Mãe, fonte da vida
A base familiar deste povo irreverente
Banho de sorte pra purificar, ouro e fartura à minha gente
À linda cigana, véus pra enfeitar
É festa, vamos celebrar

Vou invadir o Porto Seco, sacudir a arquibancada
Minha bandeira é cultura e tradição
Praiana pergunta: “Como será o amanhã?”
O seu futuro esta na palma da mão

 

SAMBA PURO 2011:

 

O MORRO TODO DESCEU PRA EXALTAR
DA VILA PARA O MUNDO, HOMENAGEAR
NOS BRAÇOS DO POVO, MULHER BRASILEIRA
ROZELI DA SILVA, A NEGRA GUERREIRA

MAIS UMA VEZ A SAMBA PURO EXPLODINDO DE ALEGRIA
É DE ARREPIAR, PODE ACREDITAR
UMA HISTÓRIA DE BRAVURA E CORAGEM
DE UMA INFÂNCIA SIMPLES E SOFRIDA
NA RESTINGA APRENDEU A CONVIVER
RITMISTA E COMANCHEIRA
FILHA DE UM VERDADEIRO MESTRE
OS CONSELHOS PASSOU, NUNCA DESISTIU
COM MUITO TRABALHO, VARREU A DISCRIMINAÇÃO
AJUDANDO, ATÉ A VIDA A ESCOLHEU

GUERRILHEIRA DO AMOR, ROMPEU BARREIRAS
FOI RECONHECIDA E PREMIADA
MUDOU, FEZ RENASCER A ESPERANÇA
A LUZ EM CADA CORAÇÃO
SENSIBILIZANDO
E FORMANDO O CIDADÃO

ESTRUTURANDO A NOSSA JUVENTUDE
COM DETERMINAÇÃO O SEU PROJETO EVOLUIU
LÍDER DA COMUNIDADE
CUMPRINDO O SEU PAPEL
OFERECENDO EDUCAÇÃO
CORPO E MENTE EM EQUÍLIBRIO
ESPORTES EM
GERAL

A ARTE PELA ARTE
INCLUSÃO SOCIAL
TRABALHO E RENDA NA ERA DIGITAL

DO SONHO À REALIDADE
INSPIRADA NAS MULHERES DA MANGUEIRA
INDO À LUTA, ENGRANDECENDO A NAÇÃO
LÁ VEM MARIA DA CONCEIÇÃO!

 

 

Um bom carnaval aos gaúchos,

Samuel Santos, e-mail: samuelespiano@hotmail.com