PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os Sambas de 2009 (São Paulo)

Os sambas de 2009 (São Paulo)

A GRAVAÇÃO DO CD – Após uma briga, as escolas acabam se “rachando” em duas ligas dentro do mesmo carnaval. Fato que vergonhosamente foi omitido pela Globo, que não tocou no assunto durante as madrugadas dos desfiles. Por isso, esse ano, as escolas acabaram trazendo os seus sambas em 2 CDs: Um para a LIGA-SP (Mocidade, Vila Maria, Rosas de Ouro, X-9 Paulistana, Tucuruvi e Nenê e Leandro) e outro para a SUPERLIGA (Vai-Vai, Mancha Verde, Império de Casa Verde, Perola Negra, Gaviões e Peruche). A qualidade é semelhante aos anos anteriores, apesar da SUPERLIGA ter feito um trabalho muito superior ao da LIGA. A SUPERLIGA trouxe um álbum duplo, produzido pela Sony BMG, onde no CD principal, vinha junto uma Faixa Bônus, com o samba de exaltação da nova associação carnavalesca, na qual todos os interpretes das escolas participam. E ainda um segundo disco no qual havia sambas de exaltação das 9 escolas. Um ótimo exemplo a ser seguido no carnaval. Já a Liga, vinha com pouca criatividade, porém com uma bateria muito bem conduzida pelo Mestre Sombra. Em ambas as produções, os sambas das escolas do Grupo de Acesso vêm juntos ao do Especial, sem ter uma separação, confundindo os menos entendedores do assunto. NOTA DA GRAVAÇÃO (LIGA) 9,6; (SUPERLIGA) 9,9 (Weinny Eirado).

SUPERLIGA


Foto: SASP

VAI-VAI – Um bom samba, apesar de ter vencido a eliminatória sobre um outro que era superior ao que foi levado para a avenida pela escola da Bela Vista. A atuação de Carlos Junior é digna de vencer o Troféu Nota 10. Conseguiu falar bem do tema proposto e de maneira clara. Um bom alerta a humanidade, com o “mente sã e corpo são” trazido pela alvinegra. NOTA DO SAMBA: 9,8 (Weinny Eirado).

O enredo falava sobre a história da saúde, com um tom de irreverência bem perceptível na primeira parte do samba ("Eu vivo a indagar/Se o mais civilizado/Era o Peró peludo/Ou o Tupi pelado"); A segunda parte é mais genérica e pouco inspirada na letra. O refrão do meio apela para solução fácil ("Dizer não às drogas do mal/Se liga no meu carnaval"). Excelente atuação de Carlos Júnior, destacando o emocionante alusivo que inicia a faixa. NOTA DO SAMBA: 9,1 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

MANCHA VERDE – Num tema parecido ao do ano anterior, a agremiação palmeirense fala sobre o nordeste de novo, mas de um local desta vez: Pernambuco. Apesar de ser um bom samba, acaba ficando pouco original trazer o triangulo na bateria, como no ano passado. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Weinny Eirado).

Não considero essa obra da Mancha Verde ruim, passa longe disso, mas algumas coisas soam estranhas neste samba; O refrão principal, que foi introduzido de outra parceria no samba campeão, foge totalmente ao enredo e não empolga; É muito longo e repetitivo. Outra parte que não gosto está no meio da segunda parte ("Artistas de consagração/Pessoas de grande expressão/Assim meu povo se destacou"), os versos são cantados de maneira muito rápida, prejudicando a harmonia. Mas há pontos fortes, como o refrão do meio e o início da primeira parte, com letra apurada. Um samba bom, mas irregular. NOTA DO SAMBA: 9 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

IMPÉRIO DE CASA VERDE – Um samba, que de maneira organizada, lembrou as datas comemorativas do ano. O ponto alto está no refrão central: “São Cosme e Damião, abençoai nossas crianças, peço paz... e um feliz natal, são os votos da família imperial”. É uma excelente estréia de Raphael do Império como interprete oficial. E a participação de Belo engrandece o samba do Tigre Guerreiro. NOTA DO SAMBA: 9,8 (Weinny Eirado).

O samba segue a linha "colcha de retalhos" do ano anterior, ao apresentar as diversas datas festivas do nosso calendário sem nenhuma preocupação cronológica; A métrica é falha no refrão do meio, que apesar dos problemas, é a parte mais interessante da obra; O intérprete Raphael do Império faz uma boa estreia pelo Tigre, mas é um pouco atrapalhado por Belo, que não tem timbre para samba-enredo. NOTA DO SAMBA: 8,9 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

PÉROLA NEGRA – Um enredo que a primeira vista parece confuso, porem, após escutar pela segunda vez fica bem mais claro. É uma história criada pelo carnavalesco sobre uma índia. Um samba de boa qualidade, superior ao dos últimos anos da agremiação. Douglinhas arrebenta na gravação. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Weinny Eirado).

A escola da Vila Madalena é uma das sensações dos últimos carnavais, principalmente pela beleza dos seus sambas. E em 2009, a escola apresentou uma das melhores obras da sua história. O samba, em forma de saga, tem completa sintonia com o enredo. O refrão principal tem melodia original e empolgante. Destaque para o intérprete Douglinhas, que conduz o samba com maestria. NOTA DO SAMBA: 9,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

GAVIÕES DA FIEL – Empolgante! A abertura da faixa é sensacional! E com a voz de Ernesto a partir do grito de guerra o samba vai evoluindo até o refrão central. Ainda é abaixo dos grandes sambas da escola alvinegra que levaram o campeonato do especial. Alguns pequenos desencontros acontecem, mais não compromete. NOTA DO SAMBA: 9,7 (Weinny Eirado).

Ao falar sobre a velocidade, a Gaviões criou um belo gancho para homenagear um dos maiores ídolos da história recente do Brasil (e corintiano, como sua torcida). Os versos que citam Ayrton Senna são o ponto alto do samba, que apesar da melodia animada, não empolga o tempo todo. Aliás, a primera parte é bem fraca. Porém na avenida, o samba funcionou e embalou o belo desfile da escola. NOTA DO SAMBA: 9 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

UNIDOS DO PERUCHE – Fraco. Enredo confuso e sem tema para evoluir. A voz de Leandro Alegria consegue melhorar o samba trazido pela escola. Um dos piores momentos da comunidade peruchiana no carnaval. NOTA DO SAMBA: 5,8 (Weinny Eirado).

O samba é meio pragmático, mas o enredo não ajuda muito; A melodia é quase reta e a letra não apresenta nada novo (só a segunda parte, que é bem interessante); Em suma, não ajudou a escola a fugir do rebaixamento. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

LIGA


Foto: SASP

MOCIDADE ALEGRE – A grande porrada do ano no carnaval paulistano. Uma letra extremamente bela, com as características dos sambas do compositor China da Morada. Um samba que teve que brigar com fortes concorrentes na eliminatória da escola do Limão. A homenagem ao coração da Mocidade é incrível, apesar de parecer muito com o hino da escola: “são tantos sambistas imortais, inesquecíveis carnavais... por ti darei a minha vida, escola querida”. A participação de Clovis Pê no CD, acaba deixando saudade de Daniel Colletê no microfone da escola. Porem, na avenida, Clovis organizou bem um carro de som, onde tinha liberdade para soltar os seus cacos, melhorando muito a sua imagem frente a comunidade. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

Um excelente tema, muito bem sacado pela comissão de carnaval; Resultou num samba forte, valente, que mexe com os brios da comunidade, principalmente no refrão final ("Faz pulsar o coração/O sonho de ser campeão"). A letra resume o enredo perfeitamente, sem cair no excesso de descrição; Clóvis Pê mostra estar, cada ano que passa, mais identificado com a escola do Bairro do Limão. NOTA DO SAMBA: 9,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

VILA MARIA – A tentativa de não repetir o estilo de gravação de outros anos, acabou estragando o belo samba da escola de Mestre Mi. Quinho, Fernandinho SP e Baby acabam formando um coro masculino, onde só é possível ouvir a voz do salgueirense. Fica confuso e torna mais difícil entender a letra de composição de Panda, Edmilson Silva e Jorge Zanin. Poderia ter arrebentado como no ano passado. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Weinny Eirado). 

Ao falar sobre o dinheiro, a escola trouxe o samba mais cansativo do ano; A melodia abusa do tom menor, que não combina com a letra do samba, que conta o enredo de maneira muito fria, sem apelo carnavalesco. Discordo da decisão da escola que colocou Quinho como intérprete oficial e deixou as vozes de Baby e Fernandinho SP no fundo, quase inaudíveis. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ROSAS DE OURO – Um belíssimo samba da Roseira para esse carnaval. Contando sobre a magia do próprio carnaval, a escola da Freguesia faz um belo trabalho, na voz de Darlan. Valeu o 3º lugar da escola na apuração. NOTA DO SAMBA: 9,7 (Weinny Eirado).

Falando sobre a "fabricação do carnaval", a Roseira trouxe um samba animado, empolgante, mas que não apela pro oba-oba. O refrão principal contém boas sacadas como "Meu sonho vale ouro" e "Deu Rosas nesse carnaval"; O refrão do meio tem melodia diferenciada combinada à uma letra excelente; A homenagem ao falecido fundador e presidente da escola, Eduardo Basílio, na segunda parte também é destaque. O único verso que desagrada é "Alô arquibancada/Galera ligada com muita emoção", que soa simplório, mas não compromete o ótimo resultado final. NOTA DO SAMBA: 9,8 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

TOM MAIOR – Mais uma vez René Sobral deixa sua marca na gravação do cd, com a mentalidade de dever cumprido. A participação de Martinho da Vila não empolga. E o grande problema do samba é a divisão de dois temas que não acabam tendo uma ligação. Angola + Martinho = Enredo Confuso. NOTA DO SAMBA: 8,6 (Weinny Eirado).

Na minha opinião, o samba do ano em Sampa. A escola do Sumaré trouxe um enredo prometido há anos no carnaval carioca, e ainda acertou ao incluir Martinho da Vila, personalidade totalmente identificada com o país homenageado; O samba tem refrãos fortes, que chamam o componente. O ponto forte da melodia está no trecho emocionate que abre a segunda parte ("Mais tarde o filho volta/Ao lugar que o concebeu/Levando a sabedoria que aprendeu"). Grande momento da Tom Maior, que fez um desfile contraditório e acabou no 11º lugar. NOTA DO SAMBA: 9,9 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

X-9 PAULISTANA – Muito criticado pela complexidade do samba que tenta falar de Amazônia junto com Carnaval e Umbanda, esse samba tem a minha aprovação. Talvez porque a voz de Daniel Collête seja tão empolgante a ponto de levantar qualquer samba na avenida e no CD. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Weinny Eirado).

Apesar do tema batido, o samba não é um pula-faixa; É empolgante, tem uma letra bem feita e a melodia não compromete; Porém, faltou a irreverência e o bom humor observados durante o desfile da escola. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

NENÊ DE VILA MATILDE – Se o desfile foi fraco, o samba é o avesso. A escola chegou na avenida como uma das favoritas ao titulo, com essa auto-homenagem. Um samba que teve bruscas modificações a obra original vencedora da eliminatória, para uma melhora. Royce volta a ser o interprete do tempo de X-9 e Rosas com esse enredo, tanto que faturou o Troféu Nota 10. A homenagem a Armando da Mangueira é digna de aplausos por ser lembrada. Um ótimo samba que arrancou as 4 notas 10 dos jurados no quesito samba-enredo. Infelizmente, o desfile passou longe da qualidade do samba e rebaixou a escola, em pleno aniversário de 60 anos. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

Este samba não combinou com o desfile mais triste da história da Nenê; O samba é, como virou moda dizer, uma pancada. O refrão principal, apesar de apelar para chavões, ("Samba aí que eu quero ver..." Vem comigo festejar") é inegavelmente empolgante; A segunda parte é irretocável, com ótimas sacadas. Pra completar o show... Royce do Cavaco. Uma pena o rebaixamento, que nem o samba, nem a bateria excelente de Pelegrino puderam evitar. NOTA DO SAMBA: 9,8 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ACADÊMICOS DO TUCURUVI – Samba muito burocrático que dá vontade de mudar de faixa. Na minha opinião, muito fraco. NOTA DO SAMBA: 5,2 (Weinny Eirado).

Ganha o troféu "samba-clichê do ano" só pelos refrãos; Não perca a conta - "Vem amor que a hora é essa", "canta forte", "tira o pé do chão", "...é meu tesouro", "Tucuruvi, minha paixão", "...minha escola vem aí", "Bate na palma da mão (ôôô)". 7 expressões totalmente genéricas que poderiam fazer parte de qualquer samba. Mas, a melodia não é de se jogar fora e o samba passou bem na avenida. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

LEANDRO DE ITAQUERA – Ao inverso da outra escola que retorna do Acesso, a Leandro veio com uma letra forte. Pelo menos enquanto falava de “favela e comunidade”, perdendo um pouco da força tema ao trazer uma homenagem a Regina Case. Pelo menos, deu pra encaixar bem. As  participações dos dois interpretes é harmônica, ao contrario da Vila Maria. O Grito de guerra e a introdução na avenida foram sensacionais. Emociona. NOTA DO SAMBA: 9,9 (Weinny Eirado).

É o samba mais animado do ano, e o que tem menos cuidado em seguir uma estrutura pré-estabelecida; Taí a grande graça da obra, que tem 4 refrãos (2 pequenos e 2 normais, que são matadores). Os compositores souberam trabalhar com a figura de Regina Casé presente no enredo, e o resutado foi pra lá de positivo. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba