PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os Sambas de 2007 (São Paulo)
Os sambas de 2007 (São Paulo)


Foto: SASP

A GRAVAÇÃO DO CD – Ótima safra! Talvez uma das melhores que nós paulistanos já vimos. A gravação do cd também é impecável, numa melhora de mais 60% ao que era em 2006. Não estou sendo bonzinho em dar uma saraivada de “notas 10” para esses sambas. Apenas a qualidade é excelente. NOTA DA GRAVAÇÃO: 10 (Weinny Eirado).

IMPERIO DE CASA VERDE – A bi-campeã perdeu o gás dos últimos anos e campeonato, no seu ponto forte, que eram os desfiles a luz do sol. O samba continua na mesma condição dos outros anos: burocrático, afim de apenas levar a nota no quesito “Letra do Samba”, sem empolgar o publico. Repito: isso com o samba. A escola tem trazido grandes alegorias e um carnaval luxuoso para a passarela, enchendo os olhos de quem assiste da arquibancada. Carlão, mais uma vez, é a salvação do samba de enredo. NOTA DO SAMBA: 8,6 (Weinny Eirado).

Enredo sobre os impérios que dominaram o mundo ao longo da história, boa sacada com o nome da escola; Apesar de extenso, o samba consegue empolgar graças, principalmente, ao refrão principal de letra muito bem feita; A descrição da sinopse é perfeita, o que acaba deixando o samba um pouco maçante em sua segunda parte, mas não compromete mais um bom momento do Tigre, que àquela altura tentava um tricampeonato. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

VAI-VAI – “Sob nova direção”. Esse é o bordão entoado no samba que conta com um grande reforço para a escola no carro de som: Vaguinho. Foi o único ano do interprete na Saracura. Sua atuação não deixou saudades do grande Agnaldo Amaral, que foi para a Barroca Zona Sul. O outro interprete, que empolga os cacos da alvinegra, é muito bom, apesar de o seu nome não constar no encarte. Uma volta por cima guiada pelo novo presidente Thobias da Vai-Vai. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

O enredo é um pouco confuso, mas em linhas gerais fala sobre como a ambição do homem vem destruindo a natureza. A letra descreve bem o tema, mas falta mais apelo poético; A melodia não empolga muito, apenas na segunda parte quando sobe nos versos "O meu Vai-Vai/Nessa avenida abre o coração". Destaque para a interpretação cheia de personalidade de Vaguinho. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

MOCIDADE ALEGRE – Não dá pra falar muito, apenas definir como um sambaço! Uma belíssima obra de China e Biro-Biro. O tema “riso”, deu a escola o seu 6º campeonato. A gigantesca atuação de Daniel Colletê no CD e na avenida deu o tom certo a essa obra prima do carnaval paulistano. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

Uma homenagem aos palhaços já é um enredão, e só poderia resultar num sambão; Leve e envolvente, o samba não é um primor em letra, mas cativa graças a melodia, que é sensacional no refrão do meio; É um samba com cara de campeão, e na avenida não deu outra para escola da Morada. NOTA DO SAMBA: 10 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

VILA MARIA – Não é que a escola finalmente chegou para brigar pelo titulo. Esse samba sobre a cidade de Cubatão deu a escola um vice-campeonato, e muito justo. O samba é de empolgar, ainda mais sobre os cacos de Fernandinho SP, que arrebenta. A mudança de interprete após o refrão central é uma virada magnífica para esse outro sambaço do carnaval de 2007. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

Um enredo sobre Cubatão pode até soar como piada, dada à fama da cidade; Mas o samba tratou de calar a boca dos críticos, com uma melodia leve e uma letra com ótimas sacadas, como no refrão principal que foi uma das sensações do ano em Sampa e contribuiu para o belo desfile vice-campeão da Vila Maria. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ROSAS DE OURO – “Legalzinho”... não é um daqueles sambaços, mas é o suficiente para agradar boa arte do publico, com sua letra animada. Darlan, mais uma vez, é o grande nome da Roseira na avenida. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Weinny Eirado).

Analisando pela letra, o samba é bom, descreve o enredo com certa liberdade poética; Mas a melodia pôe o samba pra baixo, sem nenhuma variação valorosa ou momento original; Muito abaixo do nível que a Roseira, que tem uma das galerias de samba mais respeitáveis de São Paulo, está acostumada. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

X-9 PAULISTANA – Edson Dino acabou provando que não tem como trazer a X-9 sozinho no gogó. A letra era forte, mas não tinha voz de “Royce” pra levar a escola pra pelo menos o desfile das campeãs. Alécio também não tinha condições para levar nas costas, lembrando que o forte dos dois interpretes é o caco, e não a condução. Na voz de um “Jamelão” ou “Aroldo Melodia” teria sido chamada de obra prima. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Weinny Eirado).

Um enredo sobre a tinta que inesperadamente resultou num samba de força poética. A obra foge um pouco do tema e proporciona bons momentos como "No céu/Estrelas olham a natureza/Protegendo as riquezas do teu chão". A melodia é razoável e o samba supera as expectativas. NOTA DO SAMBA: 9,1 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ÁGUIA DE OURO – Vale um estandarte de ouro! Muito bela a letra, que apesar de em alguns momentos se perder, é belíssima. Sem contar a bateria que faz uma verdadeira festa durante toda a faixa, com breques de pura emoção. O melhor samba na carreira de Serginho do Porto, na minha opinião. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

O enredo é sobre artesanato, mesmo tema da Mocidade no carnaval carioca do mesmo ano, mas a Águia teve melhor sorte do que a verde e branco de Padre Miguel. O samba tem uma letra genérica nos refrãos de ponta, mas em compensação tem uma letra maravilhosa no refrão do meio, e que se mantém em bom nível no resto do samba; Porém o fator fundamental da obra é a melodia que desperta a vontade de ouvir a faixa diversas vezes seguidas; Dá um tom lírico ao corpo do samba que descreve o trabalho do artesão e um tom empolgante aos refrãos, fazendo o samba fluir de maneira excelente. O desfile acompanhou a beleza do samba, e a escola da Pompéia fez o melhor desfile de sua história em 2007. NOTA DO SAMBA: 9,9 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ACADÊMICOS DO TUCURUVI – Razoável. Apesar de não ser ruim, ficou abaixo dos outros sambas dessa boa safra. Fredy Vianna faz uma boa atuação. NOTA DO SAMBA: 8,5 (Weinny Eirado).

Mais um enredo burocrático, mais um samba burocrático; Falando das fontes de energias renováveis, a Tucuruvi trouxe um samba de letra e melodia que não chamam a atenção em nenhum momento. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

TOM MAIOR – Quem achava que René Sobral já tinha feito bastante em 2006, mudou de opinião em 2007! Um verdadeiro show do interprete, que tinha uma letra muito boa, sobre os trabalhadores. “Com licença, eu vou a luta” é um verso de impacto para o tema.  Bem melhor do que aquele da Vila Isabel com o mesmo tema, em 2008. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

O enredo é panfletário, tem um dedo (nada) sutil da CUT; A melodia é toda animada, mas não é muito original e os refrãos apelam para o oba-oba (Qual é a profundidade de um verso como "Chega de exploração (uououou)"?). Na avenida foi bem cantado, mais pela performance do carro de som do que pela qualidade da obra. NOTA DO SAMBA: 8,9 (Cristiano Roncari).  Clique aqui para ver a letra do samba

UNIDOS DO PERUCHE – Bom. Mas apenas isso. As vezes o samba se perde na letra. Leandro Alegria faz uma bela participação. “Hoje eu vou peruchiar” é estranho mas ao mesmo tempo criativo. Não deu pra segurar a escola no Grupo Especial. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Weinny Eirado).

A Peruche acertou ao homenagear Maurício de Sousa, que imortalizou o Bairro do Limão (bairro de origem da escola), ao se inspirar nele para criar o Bairro do Limoeiro, local onde os personagens de a Turma da Mônica moram; Sobre o samba, perde-se muito tempo na primeira parte ao retratar a criação do universo, mas a partir do momento que a homenagem começa de fato, o samba deslancha. Os dois refrãos, apesar de serem cantados de forma muito rápida, são muito bons. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

NENÊ DE VILA MATILDE – Olha quem voltou a fazer samba... a Nenê! Depois de um ano ruim em 2006, a Águia Guerreira contratou o melhor interprete que havia disponível: Royce do Cavaco, que também é um dos maiores sambistas da história do carnaval. E trouxe uma letra para irritar a Globo, falando sobre o maior nome da Band. E ainda lembrou que a emissora foi a primeira a valorizar o carnaval de São Paulo. Um verdadeiro golpe na gigante da comunicação brasileira. Inteligente... ou não, né! NOTA DO SAMBA: 9,8 (Weinny Eirado).

Ao falar sobre João Jorge Saad, criador da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão, a Nenê pôs a Globo em uma grande saia-justa, assim como a Tradição fez em 2001 no RJ ao homenagear Silvio Santos; O samba é leve, descreve o enredo de maneira simples e a melodia não traz nenhuma variação que impressione. A estreia de Royce na azul e branco foi muito boa, com o intérprete dando personalidade ao samba. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

IMPERADOR DO IPIRANGA – Voltou e com muita moral. Mesmo sem Moises Santiago para conduzir o samba no desfile do grupo principal do carnaval de São Paulo, a escola tem o histórico Serginho KT, que era conhecido na escola da Vila Carioca desde os primeiros anos da década de 90. Um samba no qual o interprete fez a diferença para deixa a letra (que falava de siderurgia) mais leve e animada. Um baita de um samba, mas que não foi suficiente para segurar a escola no Grupo Especial. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

Um enredo sobre o aço limita muito os compositores, e o resultado é um samba totalmente burocrático, que só descreve os setores do enredo sem nenhuma poesia; A melodia não ajuda a levantar a obra que ajudou a escola a cair para o Acesso. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

PÉROLA NEGRA – Após o trauma de 2001, a escola da Vila Madalena tinha a difícil missão de se manter no Grupo Especial. Conseguiu! Na voz de Douglinhas, a escola passou perto de cair, mas se safou. O samba não era maravilhoso, mas foi o suficiente. NOTA DO SAMBA: 9,1 (Weinny Eirado).

Um ótimo enredo falando sobre a história do comércio fez com que a Pérola chegasse ao Grupo Especial com uma bela obra que mescla animação e lirismo na medida certa; Destaque para o ótimo timbre do intérprete Douglinhas, que por muitos anos foi da Águia de Ouro, mas já está muito indentificado com a escola da Vila Madalena. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

MANCHA VERDE – “Na contra-mão” e difícil de entender, esse enredo passa por vários momentos obscuros sem nenhuma rima. Porem, quando se pensa como o carnavalesco da escola (Cebola), o enredo vira uma obra prima. O ponto alto é a estréia do jovem Celsinho na Mancha, que, ao lado de Belo, arrebenta na condução melódica do samba. O grito de guerra na avenida emocionou a todos. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Weinny Eirado). 

Concluindo a trilogia bíblica do carnavalesco Cebola, iniciada em 2005 na Águia de Ouro, a Mancha Verde novamente não pôde concorrer com as demais agremiações do Grupo Especial por motivos até hoje contraditórios; Mas trouxe um samba bem feito, de letra razoável e melodia sóbria que ganhou uma ótima interpretação de Celsinho no dia do desfile. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba