PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os sambas de 2007 - Acesso B

Os sambas de 2007 - Acesso B

A GRAVAÇÃO DO CD - Seguindo uma fórmula que deu certo no ano passado, os sambas do Acesso são pela segunda vez lançados num álbum duplo, juntando os hinos dos Grupos A e B. O único porém que coloco é, evidentemente, a sua distribuição apenas nas quadras das escolas do Rio. Porque quem é de fora do Rio, como eu, tem que passar por aventuras para conseguir o CD. Por isso, meus agradecimentos à Antonio Marcio, que foi o encarregado de me enviar neste ano (assim, paro de dar facadas no meu parceiro Cláudio Carvalho, que me enviou nos últimos dois anos). Recomendo à AESCRJ e à equipe de Leonardo Bessa, produtor do álbum duplo, que nos próximos anos enviem os CD's para as quadras das escolas das demais capitais, como as de São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Manaus, entre outras, disponibilizarem para o povo de fora do Rio. Está feita a sugestão! Sobre o CD, o estilo de gravação também se mantém o mesmo dos anos anteriores, com gravação ao vivo da quadra da União do Parque Curicica, deixando os sambas com mais cara de samba com relação ao CD do Grupo Especial. Convém ressaltar que neste ano, em matéria de cadência, os sambas estão melhores, não tão acelerados quanto em 2006 (sobretudo no CD do Grupo B, mas claro que aparecem algumas metralhadoras...). O cavaco também aparece como destaque, além das maravilhosas introduções com as baterias dando show (que falta que sinto no álbum do Especial). Quanto à safra dos sambas, ela se mostra nivelada em termos de qualidade, tanto no Grupo A como no Grupo B. Felicito ao Leonardo Bessa e sua equipe de produção pela manutenção do CD duplo dos Grupos A e B. Que continue assim nos próximos carnavais (e que adotem a minha idéia de distribuição nas quadras das escolas das outras capitais, para não dificultar mais a vida de quem mora fora do Rio de Janeiro). NOTA DA GRAVAÇÃO: 8,5 (Mestre Maciel).

Novamente, os CDs do Grupo de Acesso A e B vêm juntos, em preço reduzido, o que é um fato excelente porque possibilita uma maior divulgação das escolas. A mídia negligencia, de forma criminosa, agremiações que são verdadeiros patrimônios da cultura brasileira. Apesar dos desfiles terem evoluído muito, só os veículos especializados nos desfiles das escolas do Rio dão a devida atenção ao desfile do acesso. Se os desfiles do Grupo Especial já se restringem a um grupo elitizado (e quando digo isso, não falo 'elite' em termos financeiros, mas o fato do interesse em carnaval durante o ano ser coisa de um grupo pequeno, muito menor do que o de 20 anos atrás), imagine o dos grupos de acesso! E são esses poucos abnegados que têm interesse nesse produto. É notável a evolução na qualidade da produção - se ainda está longe do ideal, já vemos uma maior preocupação em ressaltar a melodia dos sambas, com os violões e cavacos bem perceptíveis. Os vocais ainda estão num volume muito alto na mixagem, o que acaba dando um clima meio frio à gravação. O CD foi feito para tocar bem num micro system, mas num aparelho de melhor qualidade, a falta de uma sonoridade mais grave na bateria incomoda um pouco. Gostaria de que o andamento dos sambas fosse mais lento, principalmente no CD do Grupo A, mas o público específico desse CD gosta de algo mais próximo da velocidade das baterias nos desfiles. Com relação à safra, o Grupo A de 2007 evoluiu muito em relação à de 2006, com vários sambas de qualidade razoável (evidentemente, utilizando o paradigma do 'carnaval moderno') e refrões excepcionais. Já no Grupo B, o CD é menos divertido por ter menos reedições em relação a 2006, entretanto o nível dos sambas inéditos aumentou bastante. NOTA DA GRAVAÇÃO: 6,5 (João Marcos).

O CD de 2007 a meu ver foi melhor desenvolvido que 2006 e melhor que o CD de 2007 do Grupo A. As baterias dão um show na entrada das faixas. O CD em si é bom, mas acho que a gravação ainda peca com o caso de pouco se escutar o tamborim por exemplo. Fora isso não tenho o que reclamar. NOTA DA GRAVAÇÃO: 8,4 (Bruno Lemos Surcin).

1 - FLOR DA MINA DO ANDARAÍ - A agremiação de Andaraí abre o CD do Grupo B com um excelente samba, de letra comprida e descritiva, mas com boas variações melódicas. A Flor da Mina não abre mão da fórmula de trazer um refrão um tanto apelativo de explosão como cabeça do samba, como no ano passado. Aliás, a escola está se antecipando ao trazer um enredo sobre Dom João, já que ficou determinado que o carnaval de 2008 será temático, exaltando os 200 anos da chegada da Família Real ao Brasil. Só faço uma ressalva no trecho "quando foi obrigado governar sua terra natal". Seria uma boa acrescentar a preposição "a" entre "obrigado" e governar". A Flor da Mina foi a primeira escola das que não reeditaram enredos antigos a escolher o seu samba-enredo, não promovendo um concurso eliminatório, com a diretoria proporcionando a seus compositores a composição de um samba único, já a fim de determiná-lo como o oficial para o carnaval. Mas este samba da Flor da Mina é tão bom que dificilmente perderia se houvesse uma disputa com mais concorrentes. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Mestre Maciel).

A letra imensa e a falta de variações melódicas tornam o samba chatíssimo. É a repetição do erro de 2006, aquele samba "resumo de sinopse" para não perder ponto. Desta vez, entretanto, os compositores apostaram em refrões mais simples. O problema é que ficou super forçado. O de cabeça com o seu "sacudir... a Sapucaí" é de uma pobreza franciscana. O do meio é feio e insípido, com versos tão sem valor quanto "Oh, meu Brasil de encantos mil / Foi retratado por Debret (...)". Horrível. NOTA DO SAMBA: 5,8 (João Marcos).

Quem conhece D. João VI e sabe quem é e o que fez verá que o samba da Flor da Mina é muito bom e possui uma bela letra! E o fim mostra o desfecho do reinado de João de Bragança no Brasil. NOTA DO SAMBA: 9,9 (André Zona Sul).

Samba mediano. NOTA DO SAMBA: 8,5 (José Inácio - Zito).

O samba começa com uma nota longa, em “Meeeeeeeeeeeeeeeeeeeuu coração”, o que já é um prenúncio de que coisa boa não está por vir. E realmente não vem. Trata-se de um samba desproporcional e de melodia cansativa. NOTA DO SAMBA: 8,2 (Cláudio Carvalho).

Bom samba, mas peca por rimas fracas e previsíveis. NOTA DO SAMBA: 8,5 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

2 - UNIDOS DE PADRE MIGUEL - A tradicional agremiação vizinha da Mocidade, de volta à Sapucaí depois de 22 anos, traz um belo samba para 2007. Destaque maior para a cadência de sua execução, num andamento bastante lento. O samba-enredo traz as características peculiares do gênero hoje em dia: refrões explosivos, primeira parte simples em melodia, com a segunda mais rica e lírica. Como ponto negativo, o primeiro verso do refrão principal "na luta com garra contigo estou", que é cantado de maneira muito rápida, o que deverá dificultar um pouco o canto por parte do componente. NOTA DO SAMBA: 9 (Mestre Maciel).

A cadência do samba é maravilhosa e o refrão de cabeça é fantástico, com uma variação melódica impressionante. Gruda na cabeça. A primeira parte é ousada. O refrão é um pouco genérico, mas funciona para aliviar o peso do samba. A segunda parte é mais fraca, tem cara de samba moderno, aquela coisa meio "tipo André Diniz". É uma pena o intérprete ter jogado o tom muito para baixo, mas não adianta - este é o melhor samba do Grupo B, sobressaindo no CD. NOTA DO SAMBA: 9 (João Marcos).

Trará um bom samba para o Acesso B, o samba pende mais para o refrão do meio, muito bonito, e para a segunda parte, que é belíssima. A primeira parte é boa, mas inferior ao restante, nada de ruim. E o refrão principal, sobre seu primeiro verso, embola um pouco as palavras: "Na luta com garra contigo estou, Ogum Guerreiro". NOTA DO SAMBA: 9,9 (André Zona Sul).

Samba mediano. NOTA DO SAMBA: 8,5 (José Inácio - Zito).

O enredo, um tanto confuso, mescla a história da escola com a questão da fé e da devoção ao padroeiro da escola. O  samba empolga no início, mas se perde da segunda parte em diante, uma vez que a letra se alonga e a melodia deixa de encaixar–se à ela a partir daí. A Unidos, escola das mais antigas, que já desfilou no grupo principal, está ganhando fôlego, e pode surpreender na terça–feira de carnaval. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Cláudio Carvalho).

Bom samba, embora o enredo seja meio confuso, que conta sobre a história da escola e a homenagem à São Jorge. Um pequeno erro no refrão do meio (repetição da palavra vermelho) poderia ser corrigido sem problemas, porém não prejudica a melodia. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

3 - UNIÃO DE JACAREPAGUÁ - Seguindo a fórmula dos anos anteriores, traz um samba com letra bastante descritiva e comprida. Claro, não chega a ser a "sinopse na íntegra" como em 2005. Mas o samba de 2007, com a primeira parte muito maior que a segunda, peca por suas raras variações melódicas. Mas para um tema mais complexo como o chá, o samba-enredo acaba sendo melhor do que esperado. Rixxa o melhora muito no CD, realmente qualquer samba em sua voz se eleva em qualidade de maneira impressionante. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Mestre Maciel).

Rixxa, mais uma vez, tenta fazer milagre e salvar um boi com abóbora daqueles. A letra é risível, fruto de um enredo tenebroso e mal escrito. A interpretação classuda do puxador varre para debaixo do tapete a 'sujeira' do samba... entretanto, o lixo ainda continua ali. Rixxa pode cantar como se estivesse ao lado do três tenores, mas os versos do samba continuarão a ser do tipo "O aroma atraiu Shen Nung", "Bota água pra ferver/Prepara um chá medicinal", etc. Lamentável como a escola se perdeu em tão pouco tempo! NOTA DO SAMBA: 6 (João Marcos).

Outro bom samba do Grupo B, uma letra e melodia belas, que tratam muito bem do ótimo enredo. Os elogios vêm junto à voz de Rixxa, ou Richahs. NOTA DO SAMBA: 9,9 (André Zona Sul).

A escola se perdeu na escolha de sambas e enredos. NOTA DO SAMBA: 8 (José Inácio - Zito).

Como disseram certa vez num site da internet, o samba da escola de Campinho é um achado. Fiel ao estilo “lençol”, que vem caracterizando os hinos da União, e diante de um enredo pouco inspirador, essa obra consegue “tirar leite de pedra”, ou melhor, chá. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Cláudio Carvalho).

Sou testemunha desse samba, porque eu acompanhei a final e esse era o melhor da final. Mesmo sendo o melhor da final, é fraco (comparado as demais escolas), mas se repararmos bem, o samba conta o enredo na 1ª parte até o refrão do meio, partindo para um lado mais humorado, que talvez tenha segurado o samba, pois o enredo não é dos melhores. Grande interpretação de Rhichahs e grande atuação de mestre Ivo. NOTA DO SAMBA: 7,9 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

4 - BOI DA ILHA - Escola que geralmente desfila com sambas de melodia em tom menor, pelo segundo ano seguido a vizinha da União apresenta uma obra leve e descontraída. Após reeditar o clássico "O Amanhã", da União da Ilha de 1978, a parceria de Aloísio Villar, mesmo compositor do extraordinário "Orun Ayê" (Boi-2001), para falar de telefonia, apresenta um samba de melodia animada e letra coloquial, passando a mensagem de maneira direta. Com uma bela gravação de Cadinho, num andamento bastante cadenciado da bateria no CD, o samba tem tudo para fazer bonito também na Sapucaí. O Boi, ao contrário da Unidos da Ponte e seu fracassado carnaval de 2003, prova que pode fazer um samba de qualidade com um enredo que fala sobre o telefone, já aproveitando a expressão corriqueira "boi na linha" com o nome da escola. Só aí já suplanta - e como - a inusitada comparação de Graham Bell com Sérgio Motta feita pela Ponte há quatro anos. Ah, o início do samba, formado pelos versos "Vou te ligar a poesia/Sou a comunicação/Na pré-história não havia..." não lembra o início do clássico portelense de 1983 "Vou me embalar na poesia/Do amor e sedução/Extravasando de alegria..."? NOTA DO SAMBA: 9,2 (Mestre Maciel).

Apesar do enredo ser péssimo, o samba da escola é muito alegre, animado e divertido. O refrão de cabeça é um achado, o mais vibrante do ano. A letra é brilhante, tem a cara da Caprichosos "boa", com bom humor e sacadas inteligentíssimas. Ouso dizer que este é o melhor samba da história da escola, apesar do samba de 2001, dos mesmos compositores, ter recebido o Estandarte de Ouro. Apesar disso, tem de ser registrado que o início do samba lembra o da Portela de 1983. A maior restrição que eu faço, entretanto, é ao intérprete, que tem extremas limitações e muita dificuldade em cantar um samba tão fácil quanto este. NOTA DO SAMBA: 8,8 (João Marcos).

Uma belíssima letra trará Boi da Ilha, é um daqueles sambas que contam uma história, literalmente: "Mas não dei sorte/tá quebrado o orelhão", muito legal. O Boi trará ao Acesso B um samba contagiante. NOTA DO SAMBA: 9,9 (André Zona Sul).

Um samba boi com abóbora. NOTA DO SAMBA: 7,5 (José Inácio - Zito).

Samba que traz dois refrões empolgantes e letra repleta de sacadas inteligentes. Apesar de não ser nenhuma obra-prima, provavelmente será um dos mais animadores do desfile do Grupo B. O curioso é a semelhança de timbres existente entre Cadinho e Quinho, do Salgueiro, que por sua vez começou inspirando–se em Aroldo Melodia. É  a Ilha do Governador fazendo moda! NOTA DO SAMBA: 9,2 (Cláudio Carvalho).

O humor prevalece, com um erro sonoro que a meu ver não entraria no samba: a rima com as palavras pouco e rouco, que quebra a melodia nesta parte deste samba-enredo que é mediano, mas de fácil associação e leve. NOTA DO SAMBA: 8,2 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

5 - TUIUTI - Apresentado pela escola em 1983, o samba é de uma beleza inquestionável, o melhor do Grupo B. Porém, a gravação deixa muito a desejar, com a interpretação de Alex Tuiuti sendo bastante irregular. Se você ouvir a gravação original de 83 e depois ouvir a para 2007, você pensará que está ouvindo outro samba. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Mestre Maciel).

Reedição do samba de 1983. Interessante notar que a escola possui alguns sambas bem interessantes em sua história, alguns inclusive de gente como Noca da Portela, e resolveu optar por este, que realmente é bom, mas que não está ligado a nenhum grande momento, nenhuma vitória, nem mesmo no Estandarte de Ouro. É um samba que tem um significado maior para o componente da Tuiuti do que para o público em geral. A nova versão, entretanto, é pessimamente interpretada, sendo a segunda pior regravação de samba reeditado - a pior ainda pertence a "O Amanhã". NOTA DO SAMBA: 8,2 (João Marcos).

Tô louco, tô louco... Que essa simpática escola empolgue a Avenida com essa bela reedição! NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Samba muito bom. NOTA DO SAMBA: 9,5 (José Inácio - Zito).

No início da faixa, mais um show da melhor bateria do Grupo B. A escola foi inteligente ao reeditar um samba curtinho e de melodia acelerada, uma vez que desfile do Grupo B, quando você olha, já foi. NOTA DO SAMBA: 9.3 (Cláudio Carvalho).

O samba mais famoso da escola ficou marcado pela grande atuação da bateria. O Alex Tuiuti não foi bem, mas não derrubou totalmente o samba. Bela melodia, refrões de apelo e de fácil associação. NOTA DO SAMBA: 9 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

6 - SERENO DE CAMPO GRANDE - Escola que estréia na Marquês de Sapucaí, o Sereno, em sua homenagem à Portela, trará um samba que exigirá muito do gogó do experiente Antônio Carlos, já que ele está todo em tom maior. A melodia possui boa qualidade, mas há um contraste: enquanto que no refrão principal os versos são longos, nas demais partes do samba-enredo os mesmos são curtos, de poucas palavras, o que permite, no trecho "Clara Nunes e Natal em aquarela/campeões", uma subida de tom bastante brusca. Vamos ver se a equipe de Antônio Carlos conseguirá segurar a peteca. NOTA DO SAMBA: 9 (Mestre Maciel).

Bom samba, fruto de um enredo que tem muito apelo emocional para quem gosta de escolas de samba. A Portela é tão grande e majestosa que a sua magia acabou contagiando os compositores da escola de Campo Grande, que mostram um samba muito superior ao de 2006. Apesar de uma segunda parte meio esquisita e problemática, os dois refrões são bons. A letra é simples e o samba é bem cantado. Desce redondo, mesmo não sendo uma maravilha. NOTA DO SAMBA: 7,8 (João Marcos).

Nada melhor que estrear no Sambódromo com um samba desses e enredo idem! O samba é maravilhoso e os refrões são lindos! NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Bom samba. NOTA DO SAMBA: 9 (José Inácio - Zito).

Como disse o Marquinho (Mestre Maciel), o samba é todo em tom maior, o que dificulta a interpretação do mesmo na avenida. Além disso, o excesso de notas longas empobrece a qualidade do samba, cuja letra não chega a ser ruim, embora eu pense que Portela sempre merece mais. NOTA DO SAMBA: 8,4 (Cláudio Carvalho).

Médio. Destaque para a 2ª parte que fica meio perdida, e com rima previsível. NOTA DO SAMBA: 7,9 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

7 - INOCENTES DE BELFORD ROXO - O samba-enredo da Inocentes para 2007 possui uma melodia bem rica e variada, com letra descritiva sobre Assis Chateubriand, superando assim o samba de enredo semelhante levado pela Grande Rio em 1999. O intérprete Tem-Tem valoriza muito o samba, com sua boa interpretação. A agremiação de Belford Roxo vai para a Sapucaí muito bem servida de samba-enredo. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Mestre Maciel).

O samba tem uma letra um tanto quanto estranha, sem muita ligação entre as partes. O discurso poético muda abruptamente da primeira parte para a segunda. Os refrões são genéricos. A melodia não causa grandes impressões. Muito fraco. NOTA DO SAMBA: 6,1 (João Marcos).

A escola da Baixada trará um ótimo samba-enredo à Sapucaí, outro que ouvirei bastante até o Carnaval! Tem letra e melodia ótimas! NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Samba muito bom. NOTA DO SAMBA: 9,5 (José Inácio - Zito).

Se dessem um samba desses na mão de um Nêgo ou coisa que valha, ele teria tudo pra crescer, pois é cheio de variações melódicas e traz uma letra bem elaborada. O problema é que com o Tem-Tem, não tem quem agüente! NOTA DO SAMBA: 9,4 (Cláudio Carvalho).

Samba que foge as tradições da escola, mas é bom. Uma parte do samba parece que foi tirada do samba da Grande Rio 99, mas isso não diminui sua qualidade. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

8 - UNIDOS DE LUCAS - Após as duas reedições com dois clássicos maravilhosos, o Galo de Ouro volta a confiar em sua tradicional ala de compositores. Mas creio que, em 2008, a reedição será necessária de novo, pois o samba, oriundo de uma fusão de duas composições, é muito fraco! Letra curta, porém cheia de clichês, melodia reta, refrões apáticos. Nem o excelente Edmilton di Bem salva... É incrível pela tradição da Unidos de Lucas em desfilar com belíssimos sambas de enredo, mas a escola possui o pior samba do Grupo B. NOTA DO SAMBA: 6,8 (Mestre Maciel).

Depois de reeditar dois anos seguidos, Lucas vem com um samba inédito, mas cuja simplicidade é difícil de encontrar no carnaval atual. É um samba descompromissado, que parte de um enredo que força ao popularesco. A escola já tentou algo parecido em 1986 e foi um desastre. O de 2007 também é fraco, mas pelo menos permitiu Edmilton di Bem mostrar sua competência com um samba que caiu com uma luva para o intérprete. NOTA DO SAMBA: 7,1 (João Marcos).

O samba de Lucas é muito bom e retrata o simples enredo de uma ótima maneira. Que essa simpática escola nunca mais saia do Sambódromo! NOTA DO SAMBA: 9,9 (André Zona Sul).

Outro samba ruim. NOTA DO SAMBA: 7,5 (José Inácio - Zito).

Enredo confuso, e samba pobre. É! O Galo de Ouro parou de reeditar e mandou mal pra 2007. Sua comunidade, conhecida pela garra com que desfila, vai ter de fazer das tripas coração para segurar a escola no grupo. Boa sorte para Lucas. NOTA DO SAMBA: 8,3 (Cláudio Carvalho).

Depois das reedições, sente-se a diferença daqueles sambas pra este. O samba é médio, mas o show da bateria de mestre Orelha o engrandece. NOTA DO SAMBA: 8,3 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

9 - DIFÍCIL É O NOME - Samba simpático, com melodia animada, dois bons refrões e de letra simples. Com o tema sobre "Rio das Ostras", a Difícil apresenta um samba competente para o carnaval 2007. Só ficou um tanto forçado o verso "Difícil é o Nome dela não lembrar", numa tentativa dos compositores de adequarem o nome da escola com o contexto do enredo. NOTA DO SAMBA: 8,9 (Mestre Maciel).

Que coisa terrível este samba. Tudo é um desastre. O tom da letra é o do "vamos exaltar o patrocinador", culpa de um enredo que não consegue encontrar nada de interessante para falar de... Rio das Ostras. A melodia é super genérica. Não consigo achar nada de bom para falar dessa faixa. Talvez o pior samba que passará pela Sapucaí em 2007. Difícil não é o nome, é ter de aturar este samba. NOTA DO SAMBA: 5,4 (João Marcos).

Não quero dizer que Difícil tem um samba ruim, mas, que nem o caso do Especial, não é maravilhoso. A letra retrata bem o enredo, mas deve um pouco a melodia. Gostei do final da segunda parte, faz um jogo bem interessante com o nome da escola. NOTA DO SAMBA: 9,8 (André Zona Sul).

Samba mediano. NOTA DO SAMBA: 8,5 (José Inácio - Zito).

Samba de letra confusa, onde se destaca a tirada espirituosa: “Difícil é o nome” dela não lembrar. No mais, é um sério candidato ao ostracismo antes, durante e depois do carnaval. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Cláudio Carvalho).

Razoável, pois é difícil falar de uma cidade que está se emancipando como Rio das Ostras. A jogadinha com o nome da escola no fim do samba é o destaque da obra. NOTA DO SAMBA: 8,2 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

10 - LINS IMPERIAL - O samba-enredo sobre Chico Mendes foi cantado pela Lins em 1991 pelo mesmo Celino Dias que volta a defendê-lo 16 anos depois. É um samba que, embora tenha apenas 16 anos, possui características bem diferentes dos atuais, apostando na força dos refrões, aliados a estrofes curtas e de efeito. Lembra sambas dos Grupos do Acesso da década de 70. A gravação de 2007 possui a mesma cadência da de 1991, o que facilita o trabalho de Celino, que o canta com a mesmíssima eficiência de 91, ano em que a Lins esteve no Grupo Especial pela última vez. Não é o melhor samba da história da Lins, mas é um dos mais populares. Por isso, será uma força a mais para o desfile da agremiação. NOTA DO SAMBA: 9,1 (Mestre Maciel).

A escola optou em reeditar seu samba mais conhecido, mesmo tendo muitos sambas infinitamente superiores em sua história. As reedições vêm dando certo no Grupo B e a escola está apostando alto pela vaga no Grupo A. O samba tem bons refrões, apesar do principal ("quanta maldade é ver...") ser um tanto quanto trash. Celino Dias canta o samba com mais técnica do que em 1991, quando sua empolgação marcou a faixa, mas parece um pouco cansado no CD de 2007. O samba deve render bem no desfile. NOTA DO SAMBA: 8,1 (João Marcos).

Gostei bastante da reedição e da interpretação do Celino! O samba é legal e com certeza pegará na Sapucaí com o último refrão. Parabéns à Lins pela reedição! NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Samba bom. NOTA DO SAMBA: 9 (José Inácio - Zito).

Outra escola que foi inteligente ao reeditar um “samba- relâmpago” para o desfile no Grupo B. A Lins já fez um belo desfile em 2006, e organizada, pode ser uma das candidatas ao acesso no próximo carnaval. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Cláudio Carvalho).

Reedição que merece destaque, pois Celino Dias foi melhor que em 91. Bela melodia, bom samba que é curto e de fácil associação. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

11 - VIZINHA FALADEIRA - Dos inéditos, o melhor samba do Grupo B. Nem tanto pela letra, mas pela melodia valente, emocionante e primorosa. O intérprete Marcelinho, apesar de limitado, tem uma condução segura deste belíssimo e contagiante samba da Vizinha, certamente o melhor da história da escola. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Mestre Maciel).

Como a moda é enredo afro, lá vem a Vizinha com o seu. O samba tem suas qualidades, mas tem problemas para se resolver na primeira parte, quando parece que foi preciso colocar mais versos para o enredo ficar bem contado, forçando um pouco a melodia. O primeiro refrão é muito bom, apesar de muito "Beija-Flor"; o do meio é mais Beija-Flor ainda, sendo uma cópia descarada do de 99 da Beija-Flor. NOTA DO SAMBA: 7,4 (João Marcos).

Sem "PESO NO PANO", a Vizinha possui um maravilhoso samba para 2007, vai funcionar muito bem na Avenida! NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Samba muito bom. NOTA DO SAMBA: 9,5 (José Inácio - Zito).

Rezou na mesma cartilha de Lins e Tuiuti, só que com samba inédito. Sou suspeito ao falar sobre enredos afro, mas não há como deixar de considerar esse hino um dos mais belos sambas do carnaval 2007. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Cláudio Carvalho).

Depois de duas porradas em 2005 e 2006, a Vizinha consegue fazer um grande samba. Rica melodia e belo samba. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

12 - ALEGRIA DA ZONA SUL - Outra escola que apresenta o melhor samba de sua história. O Alegria, então com hinos sem brilho, apresenta um samba de admirável qualidade, de dois refrões fortes, uma segunda parte espetacular, aliada a uma esplêndida intepretação do excelente Pixulé. Outra excelente faixa do CD. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Mestre Maciel).

Mais um samba afro. O samba tem uma primeira parte ousada, com variações melódicas muito complexas. O ouvido leva um tempo para se acostumar. O segundo é mais linear, apesar de se resolver de uma forma um tanto quanto abrupta, com versos difíceis de cantar. É um samba curto e forte, estilo "Ilu Ayê" com ótimos refrões, mas nada fora do comum. NOTA DO SAMBA: 8 (João Marcos).

Mesmo suspeito para falar do samba de uma de minhas escolas, o samba é curto, mas tem uma bela melodia e boa letra, espero que funcione bem na Sapucaí. Os refrões são muito bonitos e considero o melhor samba do Grupo. NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Samba muito bom. NOTA DO SAMBA: 9,5 (José Inácio - Zito).

É certo que a interpretação de Pixulé abrilhanta a faixa, mas ela, por si só, já se garante. Como foi dito aqui, é o melhor samba da breve história da escola. Enfim, a África é uma fonte interminável de belos sambas de enredo. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Cláudio Carvalho).

Bom samba, com destaque a Pixulé. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

13 - INDEPENDENTE DA PRAÇA DA BANDEIRA - A extensão da letra do samba da escola para 2007 já lembra os sambas feitos pela União de Jacarepaguá para os carnavais de 2004 e 2005, com versos extensos e boas variações melódicas. A Independente da Praça da Bandeira, que acabou sucedendo a extinta Independentes de Cordovil, está andando contra a maré da antecessora. Enquanto a Cordovil é rotulada por seus sambas "trash" apresentados nos anos 80 e 90, a Independente vem apresentando, desde 2004, sambas de excelente qualidade. E com relação à 2006, em termos de letra, já é evidente um avanço, já que o samba de 2006 sobre o Rio São Francisco possuía uma letra bastante simples. Também percebemos que a Independente defende certas posições. Enquanto em 2006 a escola pedia a transposição do Velho Chico, neste ano o clamor é por pré-vestibular para negros e carentes. Mais uma vez, o intérprete Leléu tem uma atuação irrepreensível na gravação do CD. Creio que a Independente está pedindo passagem para alçar vôos mais altos. Em termos de samba, já está bem encaminhada! NOTA DO SAMBA: 9,4 (Mestre Maciel).

Terceiro samba afro seguido, mostrando a tendência atual de revalorização de enredos com esta temática. O que me irrita um pouco é a forma pouco criativa como os enredos afros foram jogados este ano. Quem escuta o disco "O Negro no Brasil", disponível na seção de downloads aqui do SAMBARIO, vê como os enredos com temática 'afro' eram variados em suas abordagens e os sambas tinham feições distintas. O afro de "Chico Rei" é diferente do afro de "Festa dos Deuses Afro-Brasileiros". Mas parece que os enredos e sambas afros atuais seguem a fórmula de "Ilu Ayê" e não conseguem ir além. Se o samba da Alegria da Zona Sul é o que mais se aproxima da fórmula de "Ilu Ayê", o da Praça da Bandeira é o que mais repousa nos clichês do estilo, com seus ôô's, africanismos, "gritos de opressão" e etc. É bem feito... Porém é mais do mesmo. Destaque para o excelente Leléu, que é uma voz a se observar para os próximos anos. NOTA DO SAMBA: 7,5 (João Marcos).

A nota é para a melodia e a letra predominante, com exceção do último verso, pois sou contra. Pré-Vestibular para carentes é outra coisa, que concordo! O samba é ótimo e trata muito bem do ótimo enredo. NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Samba ruim. NOTA DO SAMBA: 7,5 (José Inácio - Zito).

A letra parece um texto, de tão grande, mas o samba não deixa tanto a desejar, embora seja inferior aos dois anteriores. Como não é esse o critério, temos de julgá-lo por si só. NOTA DO SAMBA: 9.4 (Cláudio Carvalho).

Grande samba, estilo União de Jacarepaguá (versos longos), um dos melhores do ano. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba

14 - CURICICA - Novamente, a Curicica fecha o CD do Grupo B, assim como em 2006. Com mais um enredo irreverente, bem como o sobre o mundo gay, desta vez a escola mostra um semelhante ao levado pela Caprichosos em 1986, sobre a americanização do Brazil (ou melhor, Brasil). A Curicica tenta resgatar o espírito alegre da Caprichosos e São Clemente dos anos 80, pois o resultado do ano passado foi pra lá de positivo: um quarto lugar no Grupo B, quando a escola era apontada com a favorita para o rebaixamento. O samba, em termos de qualidade, é melhor que o de 2006. A melodia é animada, bastante combinativa com o tema. Vamos ver se a fórmula de temas irreverentes dará certo novamente. Que a Caprichosos e a São Clemente se espelhem na União do Parque Curicica. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Mestre Maciel).

O intérprete da escola, Julio Negão, mandou um e-mail para mim estes dias, que reproduzo aqui: "Senhor João Marcos concordo com todas as afirmações sobre a qualidade dos sambas enredos do grupo especial a cada ano que passa piora a qualidade, alem do fato dos mesmos serem muito parecidos, para ser muito sincero não tenho nem comprado o cd do especial e alha que eu sou intérprete de escola de samba; deveria me sentir obrigado a comprar o cd por este fato , mas infelismente me falta estimulo só tenho vontade de aprender sambas do grupo do acesso que manten ainda uma certa qualidade. Julio negão". É interessante ler isso, já que a Curicica, aos trancos e barrancos, realmente tem feito algo diferente. Depois de um enredo sobre o universo GLS, agora vem com "Brazil S/A... É a Pátria que nos Pariu" que, pode não ser brilhante, mas pelo menos não é mais do mesmo. A letra é boa o suficiente para mostrar o enredo com clareza e a melodia é leve e simples - o ideal para este tipo de letra, já que a idéia é passar uma mensagem de forma direta. Enfim, é um samba que encerra de forma razoável este CD razoável. NOTA DO SAMBA: 7,6 (João Marcos).

Um bom samba vindo dessa escola que vem fazendo bonito no Grupo B e mostrou que 2004 foi um ano ruim para eles, mas voltaram em 2005! Letra média, mas boa melodia, o enredo é um pouco confuso, mas a letra consegue transmiti-lo. A penúltima colocação em relação às notas do samba no grupo. Deve-se aos bons sambas que o Acesso B apresentará! NOTA DO SAMBA: 9,8 (André Zona Sul).

Samba irreverente. Pelo humor, merece nota 9. NOTA DO SAMBA: 9 (José Inácio - Zito).

A escola de Jacarepaguá vem se caracterizando por apresentar enredos irreverentes, e para 2007, acrescentou à isso uma pitada de crítica social, unindo o útil ao agradável. O resultado é um samba animado, que promete acordar a Marquês de Sapucaí. A nota triste é que insistem em promover a bateria da escola a cada CD. NOTA DO SAMBA: 9,0 (Cláudio Carvalho).

Bom samba, com o humor característico da escola que deixa o samba muito bom. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Bruno Lemos Surcin). Clique aqui para ver a letra do samba