PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os Sambas de 2005 (São Paulo)
Os sambas de 2005 (São Paulo)


Foto: SASP

A GRAVAÇÃO DO CD – Muito melhor do que as gravações ao vivo de 2004. Apesar de não ter muitas grandes obras, o CD teve melhoras na qualidade, passando a primeira parte do enredo no cavaco e surdo de marcação (e as vezes uma caixa), dando um ar de avenida, só que sintético. Quando a bateria entra, parece que começa a tocar no Anhembi. NOTA DA GRAVAÇÃO: 9,6 (Weinny Eirado).

MOCIDADE ALEGRE – Para mim, o samba mais fraco da escola do bairro do Limão nessa década. O samba consegue até falar bem do tema, Clara Nunes, na letra. Porem, não há quase empolgação na melodia. Daniel teve que se desdobrar para tentar dar alegria ao tema na condução. NOTA DO SAMBA: 8,5 (Weinny Eirado).

Ótimo enredo da Mocidade, nem a Portela teve o respeito de homenagear a imortal Clara Nunes; O samba é belíssimo, poesia do começo ao fim sem nunca apelar para rima fácil. Porém, a melodia que deu um tom emocionante ao samba, colaborou para um péssimo desempenho na avenida. Mas é uma homenagem muito bem feita para a Mineira Guerreira. NOTA DO SAMBA: 9,8 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

X-9 PAULISTANA – Um bom samba, no qual Royce arrebenta mais uma vez. A bateria também dá um show. A letra é leve, mas às vezes se perde na rima. Os refrões são bons, principalmente o central. Boa homenagem a dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Weinny Eirado).

Um enredo sobre Chitãozinho e Xororó só poderia dar em um samba "trash", certo? Errado. Falando sobre a dupla sertaneja, o samba tem uma melodia irresistível, leve e tocante; Mas o grande barato da obra é a letra, que retrata com poesia e perfeição a trajetória dos irmãos e ainda encaixa muito bem o nome dos grandes sucessos sem parecer forçado. A única ressalva é o refrão principal, de pouca força e com uma expressão inusitada em um samba-enredo ("100% adrenalina'), mas que não tira o brilho da obra. NOTA DO SAMBA: 9,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

IMPERIO DE CASA VERDE – O primeiro samba que deu o titulo ao Império é bom, mas também não é nenhuma obra prima. É complicado entender o tema do enredo ouvindo apenas sem saber do que se trata. Mas o grande problema é o tamanho do samba, que vai ficando cansativo pelo tamanho. O 1° refrão já coloca a característica que até hoje a escola leva pra avenida: a preferência de desfilar sobre a luz do dia. Característica de gosto incomum, no qual a escola extraí o maximo que é possível. A homenagem a Chico Ronda é o melhor momento do samba. Uma grande atuação de Carlão na gravação. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Weinny Eirado).

Um samba longo retratando um enredo confuso mas bem desenvolvido. A melodia compensa a extensão, não deixando a obra ter nenhuma queda brusca; A primeira parte, irreverente e suingada, e o fim da última, com uma bela homenagem ao falecido patrono da escola Chico Ronda são os destaques do samba do campeão de 2005. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

NENÊ DE VILA MATILDE – A abertura do samba é genial. Desde o trecho do hino até o grito de guerra de Baby. Mas daí pra frente o samba vai perdendo um pouco de força. Santaninha aparece bem nos cacos, quando há a oportunidade. A bateria vai dando um show à medida que vai entrando na gravação. As cuícas fazem a bonito na batera da Águia Guerreira. Agora, cá entre nós... que agogô sintético no final da faixa, quando a bateria continua sozinha! NOTA DO SAMBA: 9,2 (Weinny Eirado).

Samba curto de poucas variações melódicas, tem ritmo animado mas esbarra em erros de métrica, como no refrão final, que prejudicam seu desenvolvimento; Ao falar sobre a águia, símbolo da escola, esperava-se um samba à altura da tradição da Nenê. NOTA DO SAMBA: 9,1 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ROSAS DE OURO – Para mim, não é magnifico. É muito abaixo do que se espera para a azul e rosa da Freguesia do Ó. Dá pra encontrar vários buracos sem rima na letra. Alcione faz uma boa participação, muito melhor do que na Tradição em 2004. Darlan, estreante na Roseira, faz um milagre e salva o samba. NOTA DO SAMBA: 8,9 (Weinny Eirado).

Outra escola que veio falando sobre o seu símbolo, desta vez, a rosa; O samba é uma obra prima, de melodia pesada e muito lírica e letra de excelente poder de síntese; Uma pena ter sido tão mal interpretado por Polenghe no dia do desfile, mas não mancha uma das melhores obras do carnaval paulistano na década de 00. NOTA DO SAMBA: 10 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

VILA MARIA – Samba fraquinho. Poderia ter derrubado escola, na minha opinião. Não faço questão de ouvi-lo. Após esse samba, a Portela levou Gilsinho para Madureira. O refrão inicial ainda dá um temperinho nesse samba quase sem sal. NOTA DO SAMBA: 7,4 (Weinny Eirado).

Samba muito animado da Vila, coisa que tem se tornado rara nos últimos anos; Falando sobre o circo, a obra tem uma leveza admirável mas peca pela letra cheia de rimas fáceis e lugares comuns. Gilsinho prova na gravação porque a Portela veio até São Paulo para buscá-lo. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ACADÊMICOS DO TUCURUVI – Mais ou menos... Não é grande coisa. O de 2006 e de 2004 são bem superiores. NOTA DA GRAVAÇÃO: 7,8 (Weinny Eirado).

A melodia é muito animada e faz o samba ficar gostoso de se ouvir, apesar da letra genérica nos refrãos; Outra falha do samba é a letra da segunda parte, no maior estilo guia turístico. Na avenida fez sucesso e ajudou a escola alcançar o 6º lugar, melhor colocação na década. NOTA DO SAMBA: 9,0 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

AGUIA DE OURO – Opa... cadê Serginho do Porto? Douglinhas? Os interpretes que davam a forte característica da escola foram substituídos pelo decadente Paulinho Mocidade. Nada contra o interprete... mas está muito abaixo das suas participações na verde e branco de Padre Miguel. O samba não está perto dos sambas dos últimos anos, mas não é ruim. O refrão central dá a força ao samba, que vai ficando forte até o final, quando existe uma mudança completa de cadência, estragando muito o samba. NOTA DO SAMBA: 8,9 (Weinny Eirado).

Samba de melodia reta e letra sem criatividade. Pra completar, a obra não caiu bem na voz de Paulinho Mocidade que só durou um carnaval na escola da Pompéia. É a primeira parte da trilogia bíblica de Cebola que foi concluída na Mancha Verde. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

ACADÊMICOS DO TATUAPÉ – Muito bom! Uma das melhores participações da azul e branco no CD de sua história. Nilson Valentim faz uma participação digna do Troféu Nota 10. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Weinny Eirado).

O samba sobre o Pará tem uma letra fiel à sinopse, mas pouco inspirada; A melodia não varia muito e o samba só cresce na segunda parte e no refrão principal. Mediano. NOTA DO SAMBA: 9,0 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

CAMISA VERDE E BRANCO – Bom, apesar de criticado e chamado de fraco pelos bambas. Lembro que esse samba cresceu muito após a gravação de Juscelino e Celsinho. É a primeira vez que vemos o jovem interprete num CD do Grupo Especial. O samba conta de maneira leve a história do telefone e a evolução da comunicação. O breque de bateria da abertura é sensacional. O hino da escola cantado por Celsinho, ao som de um cavaco, e o grito de guerra do interprete são o ponto auto desse samba. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Weinny Eirado).

Uma agremiação tão tradicional como o Camisa não poderia nunca levar um samba desses pra avenida; Têm erros de métrica, letra pobre, melodia que não se encaixa, refrãos que não empolgam... O enredo sobre o telefone também não ajuda nada, mas no Anhembi o chão da Barra Funda salvou a escola do rebaixamento. NOTA DO SAMBA: 8,2 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

VAI-VAI – Samba de Campeã! Merecia mais do que apenas uma vaga no desfile das campeãs. Apoio e com razão a decisão da escola de boicotar o desfile da sexta depois do carnaval, apesar de quem perder ser o publico. A letra é puramente lírica e melódica, com momentos poéticos como o “a fé é o espelho da alma” e “equilibrar o bem e o mal, é a fonte da vida”. A primeira passada com cavaquinho e um surdo de marcação dá um toque de obra prima nesse samba da Saracura. Também há uma excelente atuação de Agnaldo Amaral na gravação. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

Uma obra linda, de letra perfeita e melodia emocionante; A gravação já começa arrepiando com o alusivo mais bonito da Saracura com a interpretação sempre firme de Agnaldo Amaral e mantém o mesmo nível graças a este Samba, com S maiúsculo. NOTA DO SAMBA: 10 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

LEANDRO DE ITAQUERA – Legalzinho. Muitos interpretes para uma letra só. Após a saída de Vaguinho a escola pareceu promover todos que estavam lá ao cargo de puxador. A medida que a bateria vai entrando, o samba cresce. O grito de empolgação no inicio da segunda parte dá um toque mágico nesse samba. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Weinny Eirado).

Um enredo sobre o Rotary não podia dar em muita coisa mesmo. A letra tenta passar uma mensagem bonita, mas não consegue passar do clichê e a melodia fica num marasmo, sem definir se é lírica ou animada. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

IMPERADOR DO IPIRANGA – Um baita de um samba da escola da Vila Carioca. Uma meia década inspirada da escola, que garantiu qualidade nos seus enredos, quase todos na voz do magistral Moisés Santiago. Semelhante ao ano anterior, só que muito mais evidente dessa vez, o samba vem muito pesado a maioria do tempo, o que não anima quem não é fã de samba. Mas que se danem eles... eu gosto! NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

Com um enredo sobre o México, a Imperador conseguiu fazer um samba animado e contagiante, descrevendo bem todos os setores abordados no desfile. Boa obra. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

BARROCA ZONA SUL – Pra mim é um samba muito bom. Melodicamente bem feito, e muito bem puxado na voz de André Pantera e Alécio. Porem não salvou a escola, que completava 30 anos nesse carnaval. Triste. A escola veio para a passarela para falar das mãos e todas suas “utilidades”. A letra é no mínimo criativa. “Me dê a mão... vem sambar...” NOTA DO SAMBA: 9,8 (Weinny Eirado).

O enredo é criativo e merece destaque, mas o samba não acompanha essa originalidade e cai no lugar comum. A letra da segunda parte foge totalmente do enredo; Nem o bom intérprete André Pantera salvou a faixa. NOTA DO SAMBA: 8,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

MANCHA VERDE – Estréia em alto nível da agremiação alviverde. Falou do Mato Grosso, e soube muito bem transformar um enredo desinteressante ao primeiro olhar, em um forte samba e num belo desfile. Era pra ter ficado entre as 5 escolas da “sexta das campeãs”, mas a confusão no portão da linha final “manchou” o impecável desfile, que teve que correr para não estourar o tempo e depois arrumar uma briga com os seguranças da Liga. Belo, na sua volta as gravações em São Paulo, mostra o como a Mancha estava levando a sério o carnaval. NOTA DO SAMBA: 10 (Weinny Eirado).

A Mancha estreou no Grupo Especial com um bom samba sobre o estado do Mato Grosso; A primeira parte, expressiva, é a melhor em melodia. Já o refrão do meio tem uma letra matadora ("Iê, eis o bailar das borboletas/Iê, a passarada a revoar/Flora traz a melodia/Vitória-Régia és o meu cantar"). A participação de Belo na faixa não compromete, mas quem dá show é o intérprete oficial Vaguinho. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba

TOM MAIOR – Retornado a elite, a escola do Sumaré preparou um bom samba e animou o Anhembi na abertura do 2° dia de desfiles. “Sabendo usar, não vai faltar”, é o recado da escola, na voz de René Sobral. Vale a pena ouvir essa aula da Tom. NOTA DO SAMBA: 9,8 (Weinny Eirado).

Samba que marcou a volta da Tom Maior ao Grupo Especial (E de 2005 pra cá não caiu mais). Apesar do enredo clichê o samba é muito bom, graças aos compositores que dosaram com perfeição momentos de empolgação e de lirismo; Na primeira parte a letra é muito inteligente, usando o enredo com poesia ("Sonhei com o esplendor do criador do universo/Cantei a mais linda melodia/Tocando na consciência/Do mundo em forma de poesia"). NOTA DO SAMBA: 9,7 (Cristiano Roncari). Clique aqui para ver a letra do samba