PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os sambas de 2005 - Acesso B

Os sambas de 2005 - Acesso B

A GRAVAÇÃO DO CD - O tal do ponto extra preconizado pela Liesa em 2005 deveria ter ido para a equipe do produtor Chico Frota, responsável pela gravação do CD do Grupo B. Chico se tornou um abnegado que ajuda a manter a bandeira do samba sempre tremulando e já se credencia a ser o “homem forte” dos discos do Grupo B, assim como Léo Bessa se tornou o “chairman” do Grupo A e a dupla Laíla & Zacarias, que são os “todo-poderosos” produtores da categoria Especial. As escolas de samba do grupo B, que até bem pouco tempo atrás eram ignoradas fonograficamente, ganharam um produção digna a partir do ano 2000. Se em 2004, a iniciativa de se registrar os sambas ao vivo na quadra de ensaios da União do Parque Curicica foi louvável, este ano, com a gravação em estúdio, a produção ficou primorosa, com as 12 faixas recebendo arranjos e acabamento digno. Os destaques vão para as quatro reedições presentes nesta categoria: Estácio de Sá, Ponte, Arranco e Lucas. O melhor momento está na faixa que encerra o CD. O samba de Lucas recebeu um arranjo afro, de batuque, com os acordes iniciais dedilhados lentamente ao violão e Edmilton de Bem cantando quase em oração que “cantos e batuques anunciam o mar baiano em noite de gala”. Emocionante! NOTA DA GRAVAÇÃO: 10 (Rixxa Jr).

1 - JACAREZINHO - Uma escola com história faz uma homenagem merecidíssima ao Monarco da Portela. Eu considero um bom samba, com refrões empolgantes, a letra é muito boa e conta bem a história do homenageado. NOTA DO SAMBA: 9,8 (André Zona Sul).

Um samba-exaltação à altura do homenageado. O Jacaré foi muito feliz em levar para o carnaval a trajetória musical do bamba Hildemar Diniz. “Monarco, voz e mémoria do samba, um passado de glória”, faz lembrar outro momento feliz da escola, ao homenagear Candeia, em 1986. Sem dúvida, o melhor samba inédito do Grupo B. O veterano Eliezer Rodrigues está em plena forma, dando aula-magna de como se interpreta um excelente samba-enredo. O único porém é a semelhança melódica dos versos “numa estrada dessa vida ele aqui chegou/ se vestiu de rosa e branco/ nossa escola embalou” que lembram um refrão do samba da São Clemente de 1991: “viu muito bumbum de fora/ a missa rezou/ trouxe os saturnafricanos/ e os escravizou”. NOTA DO SAMBA: 10 (Rixxa Jr).

Quando fiquei sabendo do enredo da Unidos do Jacarezinho para 2005 me animei, homenagear Monarco é de muito bom "tom". Porém, o samba apesar de não ser tão ruim quanto o de 2004, deixa muito a desejar. Esperava muito mais da escola do morro do Jacaré em termos de samba. A letra tem até sacadas inteligentes, mas é mais um daqueles sambas que só se preocupam em exaltar o homenageado e, para tanto, faz uso de diversos adjetivos ao longo da letra, o que torna esse samba muito bobo. Faltou descrever um pouco da história de Monarco, de modo a deixar de lado tanta exaltação "barata". NOTA DO SAMBA: 8,5 (Guilherme Brandão).

Depois de fugir um pouco a suas tradições, homenageando uma universidade, a tradicional rosa e branco trouxe um enredo de verdade, exaltando Monarco, grande sambista portelense, junto com um belo samba de enredo. Um samba em tom menor, com ótimos contornos melódicos, refrões bem construídos e uma letra muito inspirada. Junte-se a isto o sempre competente Eliezer, voz clássica do Jacarezinho, e temos um conjunto perfeito. Parabéns "Jacaré". NOTA DO SAMBA: 10 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

2 - IMPÉRIO DA TIJUCA - Samba empolgante, a cara do Sargentelli, conta bem sua história. O problema é o refrão final “É do balacobaco ... seu orgulho imperial”, que não é muito bom. NOTA DO SAMBA: 9,8 (André Zona Sul).

Um samba alegrinho sobre Sargentelli, mesmo tema apresentado pela Unidos da Villa Rica em 1999, quando o artista ainda estava vivo. O samba é aquém das obras já apresentadas ao longo da história da escola do Morro da Formiga. O intérprete Douglas até que é esforçado, mas não se compara com as vozes marcantes de puxadores que já passaram pela escola, como Hamilton Vidal, Edson Bombeiro e Almir Saint Clair... NOTA DO SAMBA: 8 (Rixxa Jr).

Samba e animadinho e só. Uma letra muito desqualificada e melodia idem. É triste ver uma escola que já levou pra avenida sambas como "A Coroa do Perdão na Terra de Oyó" (1997) levar um samba tão fraco como esse. Talvez a ala de compositores da Império da Tijuca devesse se juntar de novo como fez em 1997 para fazer o samba. Pelo menos evitaria surpresas desagradáveis como esse samba... NOTA DO SAMBA: 7,9 (Guilherme Brandão).

Faltou bastante para que o samba da "Imperinho" tivesse êxito na homenagem a Sargentelli. A melodia remete a marchinhas safadas de salão. A letra ainda tem um tom descritivo interessante em sua primeira parte. Mas na segunda do samba... Decai de maneira assustadora, com trechos sem muito nexo, como "...fez nascer em nossa data...". O que é isso? NOTA DO SAMBA: 8,1 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

3 - ESTÁCIO - Reedição de 1976. No CD, a gravação foi ruim, acelerada, porém empolgada. Na avenida funcionou bem. É um bom samba, não dos melhores, mas leva a nota máxima pela letra ótima. NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Samba simplesmente inquestionável. “Arte negra na legendária Bahia” é uma aula sobre como se fazer samba. O ritmo ficou um pouco rápido, mas o samba não perdeu o viço de quase 30 anos atrás. Os desconhecidos intérpretes Talarico e Da Latinha são fracos, mas não comprometem. Mas a Estácio merecia vozes melhores. NOTA DO SAMBA: 10 (Rixxa Jr).

Meu Deus!!! O que fizeram com o samba da Estácio?? Aceleraram muito a obra-prima que se tornou imortal na voz de Dominguinhos do Estácio em 1976. Bom, melancolias a parte, esse samba é simplesmente genial. A letra em nenhum momento perde a genialidade com que descreve o enredo. Pena que tenha ficado tão acelerado no CD, mas de nenhuma maneira posso sacrificar o lindo samba da Estácio por causa disso, visto que em 1976 ele foi genial. NOTA DO SAMBA: 10,0 (Guilherme Brandão).

Fizeram de tudo na gravação do CD para desmerecer este samba. Colocaram ele numa cadência de 300 km por hora, deram o microfone para duas vozes sem condições de acompanhar a qualidade desta obra, mas não adianta: "Arte Negra na Legendária Bahia" é um samba que está acima destes detalhes. NOTA DO SAMBA: 10 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

4 - LEÃO DE NOVA IGUAÇU - Samba grande, não é dos melhores, mas é bonito, letra boa. Mas alguns versos soaram ruins na avenida... Os versos: “Meu Leão chegou, vai mostrar”, “Cantando e encantando, despontou”. As palavras "Leão" e "Despontou" foram mal cantadas: “Lião” e “Despõto....”. Bonitos são os refrões, mas a última parte do samba é pequena demais, aproximando os refrões. NOTA DO SAMBA: 9,5 (André Zona Sul).

A trajetória de Emilinha Borba antevê um enredo riquíssimo, mas com esse samba... A favorita da Marinha merecia algo melhor, tipo o que a Caprichosos fez em 1980. NOTA DO SAMBA: 7,8 (Rixxa Jr).

O samba tem uma métrica muito esquisita. A primeira parte tem nada menos do que 15 linhas, já a segunda tem escassas 6 linhas. O samba em si é muito comum, nada inovador, não que eu esperasse algo diferente, mas de qualquer maneira seria bom inovar às vezes. A letra é fraca, mas descreve bem a homenageada. Já a melodia é muito comum, a popular "mais da mesma". O refrão do meio ajuda e muito a afundar o samba, tem construção de "resposta", a qual já está muito saturada em termos de samba-enredo. NOTA DO SAMBA: 8,3 (Guilherme Brandão).

Uma melodia com variáveis de péssimo gosto, que em alguns momentos judiam os ouvidos. Uma letra piegas ao extremo... Emilinha Borba, de histórico riquíssimo, poderia ser muito melhor explorada. NOTA DO SAMBA: 7,5 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

5 - MOCIDADE DE VICENTE DE CARVALHO - Muita gente acha esse samba médio, médio-ruim ou ruim mesmo. Os refrões são legais. Claro que não é um samba ótimo, mas eu gosto. Empolga na parte “Unindo a força das raças, na luta da garra da massa...”. Mas a letra não é lá muito boa, o enredo idem. NOTA DO SAMBA: 9,7 (André Zona Sul).

Escola emergente que aparece pela primeira vez em CD. O samba é irregular, mescla momentos bons com momentos arrastados. A melodia parece uma colcha de retalhos, além da letra ser desnecessariamente extensa. O refrão final “a Mocidade vem aí/ vai sacudir” lembra o samba da Viradouro em 1998: “Hoje o amor está no ar...” O intérprete Renato não me chamou atenção. NOTA DO SAMBA: 7,5 (Rixxa Jr). 

O samba começa com um refrão que já dá para dar uma idéia do nível do samba, afinal, o que pensar disso: "A Mocidade vem aí (vai sacudir) / Traz alegria e emoção / Vem de Itaguaí / O brilho na Sapucaí"???. Só dá pra pensar que vem por aí mais um daqueles sambas fraquíssimos do Grupo B. Ouvindo o restante do samba, a premissa levantada encontra mais argumentos que provam sua veracidade, ou seja, o samba é ruim mesmo!!! A melodia muito fraquinha só ganha força no final do samba, na estrofe que descreve a atual situação de Itaguaí. Não entendi a ausência dos dizeres: "olha a p51", visto que na avenida estes foram entoados pelo intérprete Renato. NOTA DO SAMBA: 7,7 (Guilherme Brandão).

Samba de linha bastante irregular, tanto melodicamente quanto em sua letra. Uma letra bastante grande mas sem nenhum poder de síntese. Diz pouca coisa do tema. Enfim, um samba que não deixa saudades mesmo. NOTA DO SAMBA: 7,5 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

6 - INDEPENDENTE DA PRAÇA DA BANDEIRA - Eu simplesmente adoro esse samba, fala tudo sobre os pensamentos de Josué de Castro: “É impossível ver, ignorar e não sofrer”, “Tudo é ou será caranguejo, com a fome no mundo não dá pra sorrir”, “Bem sei, que o reino dos Céus aos pobres está reservado, e o reino da Terra aos privilegiados”, “Contra as desigualdades sociais eu peço que se cumpra a Constituição”. Perfeição garantida, na avenida foi tudo de bom! NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

A escola trouxe a proposta de enredo mais ousada do Grupo B, sobre a trajetória e a doutrina do médico e intelectual pernambucano Josué de Castro, que diagnosticou e mapeou as causas e conseqüências da fome. O samba é arrojado, que denuncia sem panos quentes. Houve espaço para ressaltar os esforços para combater esse mal, como o programa Fome Zero. A melodia é pesada e sem concessões. O intérprete é Tico do Gato (ex-Império Serrano, ex-Caprichosos e ex-Salgueiro), ressuscitado pela Independente. NOTA DO SAMBA: 9 (Rixxa Jr).

A grata surpresa do CD!!! A letra descreve todas os pensamentos de Josué de Castro com singular maestria. A melodia não é lá essas coisas, mas nem por isso torna esse samba ruim. NOTA DO SAMBA: 9,3 (Guilherme Brandão). 

A letra é belíssima. Tem qualidades descritiva e poeticamente incontestáveis. Seus defeitos ficam por conta de sua melodia. O refrão do meio, por exemplo, é muito difícil de ser entoado, já que a letra se atropela devido a melodia ser menor que a letra em alguns momentos. Apesar do tema ser severo, a melodia é bastante densa em todo o samba, sem nenhum momento de maior fôlego, dificultando também a harmonia. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

7 - INOCENTES DE BELFORD ROXO - Eu não simpatizo com o samba, a letra é regular, a melodia e a primeira parte são ruins. Os refrões... mais ou menos. A segunda parte é melhor que a primeira. Mas passa boas mensagens. NOTA DO SAMBA: 9,1 (André Zona Sul).

Mais uma escola da Baixada Fluminense. A Inocentes (que era Da Baixada) retornou ao nome de origem e voltou a ter sua sede na cidade de Belford Roxo, após se manter por três anos em São João de Meriti. O intérprete Tem-Tem homenageou Jackson Martins, repetindo seu grito de guerra. A escola chegou a anunciar que o falecido puxador da Caprichosos – que iniciou a carreira na Inocentes – seria o tema para 2005, mas preferiu pegar o tema que a azul e branco de Pilares iria mostrar na avenida, antes de mudar o tema para os 20 anos da Liesa: a reciclagem. O samba é mediano. Nada mais que isso. NOTA DO SAMBA: 7 (Rixxa Jr).

É muito triste vermos num CD onde temos sambas belíssimos como Estácio, Ponte, entre outros, o samba da Inocentes. De longe o samba mais fraco do CD. A letra é de acordo com o enredo, ou seja, um "lixo". A melodia tem até lances interessantes, mas não passa disso. NOTA DO SAMBA: 7,3 (Guilherme Brandão).

Samba sem nenhuma novidade em relação a melodia ou letra. Tudo que observamos neste samba são trechos de letra e melodia que já foram vistos e revistos em outros sambas. Enfim, até o samba entrou no clima da "reciclagem". Muito fraco. NOTA DO SAMBA: 7,5 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

8 - ARRANCO - Reedição de 1989. Eu adoro esse samba, considero este o terceiro melhor! Letra boa, melodia maravilhosa (o Leonardo Bessa deu uma nota especial no refrão do meio no verso “Eu acendi a luz da seduçã-ã-ão”, uma das coisas que mais gosto em samba enredo!). NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Mais um samba do carnaval de 1989 que foi relembrado na Marquês de Sapucaí. Da mesma safra de “Festa profana”, da União da Ilha, que a Porto da Pedra reeditou em 2005, o Arranco recordou “Quem vai querer”, seu mais popular samba enredo. O puxador, Leonardo Bessa, mostrou que se livrou da “wanderpiresmania” e deu uma nova cara ao hino imortalizado pela clássica dupla de cantores do Engenho de Dentor, Sylvio Paulo e Juan Espanhol. Aliás, que saudade do Espanhol com seu bordão “na ilusão desta avenida, o Arranco é todo amor. Vaaaaaiii...” Até o ano passado, “Quem vai querer?” era sempre o esquenta do Arranco. Na gravação, o ritmo ficou um pouquinho acelerado. NOTA DO SAMBA: 9,6 (Rixxa Jr). 

Samba que em 1989 que se tornou símbolo da Arranco, simpática escola do Engenho de Dentro. Está bem abaixo das outras reedições do CD, mas também é um grande samba. O samba-enredo merecia o refrão inicial mais qualificado. No mais, segue o samba com suas inversões de papéis, as quais a letra descreve muito bem. A melodia segue muito bonita durante todo o samba, entoado com muita competência por Leonardo Bessa. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Guilherme Brandão).

É o samba mais conhecido da escola. Sua maior qualidade é a facilidade que proporciona ao canto, a alegria que ele remete, além de cantar um enredo muito inteligente. Só não pode ser considerado um clássico. Apesar de menos conhecidos, a própria Arranco possui sambas de maior qualidade, como o de 85 "Chue Chuá, Moronguetá, Cruz Credo". Mas é sim um sambão, na completa acepção da palavra. NOTA DO SAMBA: 9,8 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

9 - LINS IMPERIAL - A melodia é muito boa. Gosto do samba, os refrões são bem legais. Aliás, falar de música é bem fácil para um samba-enredo, mas esse samba meio que dificultou, ou seja, contou a história de "O Bêbado e a Equilibrista" de outra forma como conta a música original, numa letra perfeita. NOTA DO SAMBA: 9,9 (André Zona Sul).

O enredo tinha tudo para ser o diferencial de 2005. Criativo e até certo ponto lírico, o tema pega como mote a canção “O bêbado e a equilibrista”, imortalizada por Elis Regina. Só que o samba não empolga, pelo menos numa primeira audição. O intérprete, Waldir Imperial, também não ajuda, é muito limitado. NOTA DO SAMBA: 8,5 (Rixxa Jr).

O samba começa com uma introdução muito bonita e de muito bom gosto. Um samba mediano, que passa apagado no CD até a chegada da segunda parte, que tem lances de melodia muito qualificados. A letra segue sem comprometer, descrevendo bem o difícil enredo. NOTA DO SAMBA: 8,8 (Guilherme Brandão).

Gosto muito dos refrões deste samba. O refrão de apoio, principalmente, tem melodia bem interessante, fugindo do "lugar comum". Mas as qualidades da obra ficam por aí. Já na cabeça do samba da Lins de 2005, os dois primeiros trechos denunciam a pobreza da letra "...Vamos cantar meu Brasil de encantos mil é alegria...". Aí faltou inspiração. NOTA DO SAMBA: 8,0 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

10 - UNIDOS DA PONTE - Reedição de 1983. A letra é maravilhosa, melodia muito boa. E faz um estilo de poesia com as três personagens do enredo, uma mistura muito boa. NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Outro samba magistral que retornou à Marquês de Sapucaí. “E eles verão a Deus”, de 1983, é ouro puro e tentou fazer com que a Ponte voltasse aos seus dias de glória. O intérprete Nélio Marins apresentou um amadurecimento em relação ao ano anterior. NOTA DO SAMBA: 10 (Rixxa Jr).

O SAMBANET foi entregue pra escola errada. O samba da Unidos de Lucas é magistral, mas o da Unidos da Ponte é mais que isso, chegar a dar lágrimas nos olhos. Que melodia linda e suave. A letra então, nem tenho palavras. Obra-prima. Melhor samba do CD. NOTA DO SAMBA: 10 (Guilherme Brandão).

Uma poesia em ritmo de samba enredo. Ao mesmo tempo abstrato, mas que consegue remeter todo o tema em poucas palavras. Obra-prima da Ponte. NOTA DO SAMBA: 10 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

11 - BOI DA ILHA - Samba bom, letra maravilhosa, melodia agradável. A história do enredo me parece confusa, mas dá pra entender o que se fala no samba. NOTA DO SAMBA: 9,9 (André Zona Sul).

A princípio, trata-se de um bonito samba. Numa audição mais detalhada, percebe uma tremenda semelhança com o hino que a Portela apresentou em 1994. Mera coincidência ou plágio? O intérprete Cadinho da Ilha precisa chupar umas pastilhas Valda para a rouquidão. NOTA DO SAMBA: 9,5 (Rixxa Jr). 

Dos sambas inéditos, o melhor do Grupo B de 2005. Há de se considerar que esse samba derrubou o belíssimo samba-enredo de Aloisio Villar nos cortes do Boi da Ilha. Samba belíssimo, de letra e melodia. A Boi da Ilha mostra que o samba de 2001 não foi um fato isolado na história da escola. Espero que a escola continue mostrando que de lá pode sair sambas belíssimos como Orun-Ayê e Águas de Oxalá. NOTA DO SAMBA: 10,0 (Guilherme Brandão).

Dificilmente um samba-enredo que narra um tema afro é fraco. O samba do Boi não foge a esta regra. Tem uma boa letra e uma melodia agradável, apesar de nos remeter a sambas antigos de outras escolas. Bom samba, mas nada mais. Mais que bom já seria exagero. Orun Ayê, de 2001, por exemplo, é bem superior. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba

12 - UNIDOS DE LUCAS - Samba lindo, isso na avenida. No CD, não gostei da gravação, e comecei a achar exagero o que falavam desse samba. Não vi o desfile do B e, quando vi que esse samba ganhou o prêmio S@mbanet de Melhor Samba-Enredo, não acreditei. Isso acabou quando ouvi o áudio ao vivo. Me maravilhei com aquilo. Coisa linda. O melhor samba do CD! NOTA DO SAMBA: 10 (André Zona Sul).

Sambaço. Um tema afro que emocionou o público na Passarela do Samba. O Galo da Leopoldina não mostrou luxo nem riqueza, apenas a simplicidade e beleza com muita garra e samba no pé, com esse tema envolvente. O samba, uma pérola esquecida por quase 30 anos no baú da Unidos de Lucas, se tornou antológico. Gravação, arranjo e interpretação irretocáveis. Uma pena que, como o Grupo B se apresenta na Terça-feira, o melhor desfile desta categoria nos últimos anos não foi televisionado. Paciência. Enquanto isso, a TV mostrava, em rede nacional, as escolas de São Paulo. NOTA DO SAMBA: 10 (Rixxa Jr).

Outra faixa de emocionar. Letra e melodia qualificadíssimas. Obra-prima da turma de Lucas. NOTA DO SAMBA: 10,0 (Guilherme Brandão).

Apesar do bom número de sambas notas 10 deste grupo, nada pode ser comparado a este samba de Lucas. Pra se ter uma idéia da força desta obra, Lucas entrou na avenida plasticamente rebaixada. devido as diversas dificuldades financeiras, e saiu da mesma ovacionada. E o que manteve a escola no grupo foi a força do seu samba, que diga-se de passagem, ficou ótimo na gravação de 2005. Tão bom quanto na de 76, em sua gravação original. Pra mim, é um dos 10 melhores sambas de enredo da história do carnaval. NOTA DO SAMBA: 10 (Franclim). Clique aqui para ver a letra do samba