PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os sambas de 1987 - Acesso A

Os sambas de 1987 - Acesso A

A GRAVAÇÃO DO DISCO - Uma safra excelente, com diversos destaques. As escolas do Grupo 1-B dividiram espaço no LP com as escolas do Grupo 1-A que não participaram do disco do respectivo grupo. Santa Cruz e Em Cima da Hora, apesar de serem tradicionais, estranhamente não fizeram parte do disco. Este LP talvez tenha sido o mais vendido dentre os discos do grupo de Acesso, sendo facilmente encontrado em lojas na época. É figura fácil nos sebos do Rio de Janeiro. Quem não tem, deve procurar, pois vale a pena. 

ENGENHO DA RAINHA – A escola vinha de dois Estandartes de Ouro nos anos anteriores e dificilmente conseguiria manter um nível tão alto. Mas, apesar de um clichê aqui e ali (inevitável diante do enredo escolhido), “E o Rio Amanheceu Cantando” é um samba agradável, com bons refrões. A letra dá seu recado, apesar da simplicidade. NOTA DO SAMBA: 9,1 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

LINS IMPERIAL – A escola voltou ao grupo 1-B com um belíssimo samba, cadenciado, de letra poética e bem construída, melodia envolvente e bem resolvida e uma interpretação impressionante do limitado Celino Dias. A partir daí, a escola fez uma seqüência de ótimos desfiles, ganhando o Estandarte de Ouro de melhor samba-enredo no ano seguinte, chegando, em seguida, ao Grupo 1-A. NOTA DO SAMBA: 9,7 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

UNIDOS DA TIJUCA – “Alô povão, agora é sério!”. Depois do desfile do ano anterior que, em minha opinião, foi mal interpretado pelos jurados, a escola apostou num enredo irreverente e crítico, moda na época. O resultado é um bom samba que, por retratar a realidade política do momento, soa datado hoje, mas que foi fundamental para a vitória da escola. Destaque para a excelente interpretação de Nego. NOTA DO SAMBA: 9,4 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

TRADIÇÃO – Mais uma obra-prima de João Nogueira e Paulo César Pinheiro, “Sonhos de Natal” recebeu, com inteira justiça, o Estandarte de Ouro de melhor samba do ano do Grupo 1-B. A letra é poesia pura e a melodia, emocionante. Destaque para a bateria da escola, que dá um show particular. NOTA DO SAMBA: 10 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

CORDOVIL – É um dos melhores sambas da história da escola, apesar de ser muito marcheado. Os refrões grudam no ouvido e a letra é adequada ao enredo. Para uma escola que sempre teve a fama de fábrica de sambas trash, apresentar um samba correto como este já é digno de elogios. NOTA DO SAMBA: 8,5 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

ARRANCO – O intérprete na faixa é Abílio Martins que cantou em diversas escolas, como Império Serrano, Lins Imperial e Unidos de Lucas. O samba do Arranco não é bom, tem uma letra meio sem sentido, mas ganha pegada na voz de Abílio. No ano seguinte, a escola voltaria a ter um samba de Sylvio Paulo e Espanhol, conseguindo uma vaga para o Grupo 1-A em 1989. NOTA DO SAMBA: 8,1 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

EM CIMA DA HORA – O pior samba do ano, de melodia genérica e letra simplória, foi a trilha sonora para o rebaixamento da tradicional escola. Kid Moringueira não recebeu uma homenagem a sua altura. O fato do samba não ter sido gravado no disco oficial, com certeza, prejudicou muito o desfile, já que os sambas do Grupo 1-B neste ano foram bem divulgados. NOTA DO SAMBA: 6,8 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

SANTA CRUZ – A escola novamente optou por um enredo crítico, conclamando as minorias e os injustiçados para lutarem pelos seus direitos. O resultado é um samba razoável, prejudicado pelo intérprete fraco na gravação de estúdio. Na avenida, o samba rendeu bem, ajudando a escola a ter uma boa colocação. NOTA DO SAMBA: 8,3 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

UNIDOS DE LUCAS - O Galo da Leopoldina escolheu errado o ano para fazer o seu grande desfile dos anos 80. Competindo com a Unidos da Tijuca, que já tinha estrutura de escola do Grupo 1-A e que tinha sido injustamente rebaixada no ano anterior, e com uma Tradição irresistível, que lembrava a Portela do passado, o terceiro lugar conquistado pode até ter sido justo, mas teve um sabor amargo. Esse mesmo desfile, se tivesse ocorrido no ano anterior, teria vencido o campeonato com os pés nas costas. Quanto ao samba, merece estar em qualquer coletânea dos grandes sambas do Acesso nos anos 80. Todo em tom menor, não dá um aspecto triste ao samba, muito pelo contrário - a escola parece reconhecer a importância de Vinicius de Moraes e querer fazer uma homenagem a sua altura. A letra é simples e poética e a melodia, arrebatadora. A escola repetiria a fórmula nos anos seguintes, sempre batendo na trave, com seguidas terceiras colocações. A Unidos de Lucas não ter desfilado sequer uma vez no Grupo 1-A nos anos oitenta foi uma das grandes injustiças do carnaval na respectiva década, mas o rastro de belo sambas da escola nesta época merece uma menção honrosa. NOTA DO SAMBA: 9,9 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba