PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os sambas de 1982 - Acesso A

Os sambas de 1982 - Acesso A

GRAVAÇÃO DO DISCO - O resultado de 1982, no Grupo de Acesso, foi um tanto quanto surpreendente: a campeã foi a Caprichosos, que tinha ficado em último lugar no ano anterior, e a vice foi a Unidos da Ponte, recém-subida do Grupo 2A. Os anos seguintes provaram, entretanto, que tais escolas tinham se estruturado para o triunfo, pois ambas apresentaram bons desfiles e sambas nos anos 80, sempre fazendo bonito entre as grandes. Ponte e Caprichosos marcaram positivamente a década - a Caprichosos criou um estilo de desfile, de enredos irreverentes e críticos, que virou coqueluche, influenciando inúmeras escolas, até mesmo Imperatriz e Mocidade, que fizeram enredos com o mesmo tom. A Ponte, por outro lado, lançou um punhado de grandes sambas, como o maravilhoso "E Eles Verão a Deus", defendido em sua estréia no Grupo Especial. Aliás, a Ponte sempre foi uma presença estranha, porém bem-vinda, entre as grandes. A escola geralmente fazia desfiles paupérrimos e acabava beneficiada por mudanças de regulamento, que postergavam o descenso para o ano seguinte. A escola, entretanto, a cada ano, trazia um dos melhores sambas da safra, o que, para mim, era mais do que o suficiente para colocá-la dentre as minhas favoritas. A fórmula da Ponte, de sambas poéticos e melódicos, deu certo e marcou o período de ouro da escola. Em 1989, a Ponte contratou Aroldo Melodia como intérprete e mudou seu estilo de carnaval. Apesar do talento incontestável do intérprete, foi o começo do fim - a escola perdeu sua cara, foi rebaixada e, apesar de ter feito mais alguns desfiles entre as grandes nos anos 90, nunca mais voltou a ser a mesma. Hoje, encontra-se no Grupo B, tentando se reencontrar através da reedição de seus sambas clássicos. Com relação à safra, o Acesso de 1982 é excepcional, uma das melhores da história do grupo. O destaque é para o maravilhoso samba da Unidos de Lucas, em homenagem à Luiz Gonzaga, Estandarte de Ouro do ano. A produção segue a linha do disco do Grupo Especial, com direito a pratos e tudo. NOTA DA GRAVAÇÃO: 9,0 (João Marcos).

1A - UNIDOS DA PONTE - O enredo, inspirado na peça de teatro infantil, "O Casamento de Dona Baratinha" de Walmir Ayala, gerou, por incrível que pareça, um samba melódico e poético, com trecho de rara beleza como o seguinte: "Os cisnes trouxeram a beleza / O lírio branco a pureza / Deus cupido o seu amor / As rosas brancas trouxeram perfume / A primavera esplendor / O vento mandou recado aos quatro cantos / A natureza os seus encantos / E veio a grande festa ornamentar". Estava inaugurado o estilo "Ponte", que rendeu uma das melhores seqüências de samba de qualquer escola nos anos 80. Graças a este samba excelente, a escola conseguiu o vice e desfilou entre as grandes, pela primeira vez, no ano seguinte. O samba é assinado pela dupla Mazinho e Ambrósio, autores do antológico samba de 1983. NOTA DO SAMBA: 9,6 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

2A - SANTA CRUZ - A homenagem à Braguinha rendeu um samba inspirado, valorizado ainda mais pela voz de Quinzinho, que, no Grupo Especial, estreava no microfone do Império Serrano naquele mesmo ano, cantando o antológico "Bum-bum Paticumbum Prugurumdum". A escola abocanhou o terceiro lugar e quase subiu para o Grupo Especial. NOTA DO SAMBA: 9,2 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

3A - ARRASTÃO DE CASCADURA - Um dos melhores sambas da história da escola, assinado por um dos grandes vencedores do Arrastão, o bom compositor Jacy Inspiração. O enredo, apesar de ufanista, deu origem a um samba que tem um quê de lírico, lento, sem ser arrastado, gostoso de ouvir. É um samba que, apesar de abordar um tema comum dos anos da ditadura, o faz com cara de samba dos anos 80, sem aquele tom chato dos sambas da Beija-Flor pré-Joãosinho Trina e da Tupy de 1976. NOTA DO SAMBA: 9,0 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

4A - CAPRICHOSOS DE PILARES - O estilo alegre, leve e irreverente da escola deu as caras em 82. "Moça Bonita não Paga" é uma marcha de letra inteligente, mostrando com clareza o enredo sobre a feira popular, abordando todos os aspectos, descrevendo o cenário e dando um gostinho do que se sente quando se vai a estas feiras. Quando o refrão toca, você consegue ver o pregão do vendedor, afirmando que "moça bonita não paga, mas também não leva". O título do acesso de 82 marcou tanto a escola que o desfile foi lembrado no samba de 2005, quando a escola se propôs a resgatar o estilo inaugurado com este enredo. NOTA DO SAMBA: 9,4 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

5A - EM CIMA DA HORA - O samba é de autoria de Baianinho, autor de inúmeros sambas da escola, inclusive o fantástico "O Saber Poético da Literatura de Cordel", de 1973, e o excelente "Festa dos Deuses Afro-Brasileiros, de 1974 (que será reeditado pela escola em 2006). Dizem que Baianinho retirou seu samba em 1976, que era o franco favorito, para que ganhasse o samba de Edeor de Paula, considerados por muitos o melhor de todos os tempos, e por mim, o samba tecnicamente mais perfeito já feito (apesar de não ser o meu preferido). Histórias a parte, este samba sofre pelo enredo esquisitão e pelo intérprete que, não sei se de forma consciente ou não, canta o samba como se fosse música infantil, arrastando algumas sílabas desnecessariamente. Tem momentos interessantes e variações melódicas interessantes. Mas a letra compromete a obra. NOTA DO SAMBA: 8,1 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

6A - IMPÉRIO DO MARANGÁ - A fábrica de samba trash chamada Império do Marangá, dessa vez trouxe um samba de qualidade, com destaque para os ótimos refrões - principalmente, o primeiro, que inicia o samba, e que é cantado ao som só de tambores. "Lágrimas" é, em minha opinião, o grande samba da escola e serviu, pelo menos, para salvar o Marangá do rebaixamento em 1982. NOTA DO SAMBA: 8,8 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

1B - UNIDOS DE BANGU - A partir daqui, o disco sofre uma queda de qualidade perceptível. Samba sem graça, de melodia reta e letra pouco inspirada, um dos piores da safra. O enredo é confuso e o samba não o explica de forma satisfatória. Muito fraco. NOTA DO SAMBA: 6,1 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

2B - ARRANCO - Apesar da assinatura do excelente Espanhol, o Arranco não contou com um bom samba em 1982. O enredo sobre o jogo de azar tem título inteligente "Como Vencer na Vida Sem Fazer Força", mas o samba não conseguiu fugir do comum, não tem aquele tom alegre que a escola apresentaria nos anos seguintes, principalmente a partir de 1985. Não chega a ser um desastre, mas não salvou a escola do rebaixamento. NOTA DO SAMBA: 7,4 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

3B - LINS IMPERIAL - Samba em tom menor, lembra um pouco o ganhador do Estandarte de Ouro de 1980. A homenagem a Clementina de Jesus pode não ter sido tão inspirada, mas é um samba agradável, que mantém alto o nível do disco. NOTA DO SAMBA: 8,4 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

4B - UNIDOS DE LUCAS - Abílio Martins, segunda voz do Império nos anos 70 e intérprete principal em diversas escolas no acesso, cantou de forma espetacular o melhor samba de 1982 do acesso, e um dos melhores do grupo na década. Interessante, mas ao mesmo tempo meio trash, é a presença do homenageado confirmando os fatos narrados no samba. A cada informação, Gonzagão soltava um "Ta Certo", "É isso mesmo", etc. O refrão "Luiz respeita Januário..." é genial. Foi um crime a Unidos de Lucas não ter participado do Grupo Especial nos anos 80. NOTA DO SAMBA: 10 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

5B - UNIDOS DE CABUÇU - Samba com melodia que enfileira clichês de forma competente, e boa letra. O violão de sete cordas dá um toque de requinte à faixa. A produção ajuda muito o samba, que poderia ser um dos mais fracos do disco. Não é grande coisa, mas acaba servindo a uma audição agradável. O melhor da Cabuçu viria no ano seguinte. NOTA DO SAMBA: 7,8 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba

6B - UNIÃO DE JACAREPAGUÁ - Fechando o disco, a escola, como sempre, traz um samba de verdade. Pode não ser muito inspirado, mas é admirável. A escola sempre apostou nos sambas para compensar a total falta de estrutura de seus desfiles. Este é técnico, tem bons momentos, mas não causa nem amor, nem ódio. É um samba que não compromete o disco. NOTA DO SAMBA: 8,6 (João Marcos). Clique aqui para ver a letra do samba