PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

Os sambas de 1974 - Acesso A

Os sambas de 1974 - Acesso A

A GRAVAÇÃO DO DISCO: A gravação e o projeto gráfico do álbum dos sambas do Acesso são semelhantes ao estilo do LP do Grupo Especial do mesmo ano, fato bastante comum nos anos 70. Já se notava um gigantesco avanço nos arranjos com relação aos discos anteriores de samba-enredo. O tamborim fazia o som de fundo, com o cavaquinho, o agogô, a cuíca e o pandeiro aparecendo com destaque. O conjunto de cordas também despontam muito bem no disco, com cada escola gravando com seu estilo. Há alguns bois-com-abóbora costumeiros daquela época, misturados à sambas magistrais como Tupy de Brás de Pina, União da Ilha e Santa Cruz. Unidos da Tijuca e Unidos do Cabuçu são outros destaques da safra do Acesso-74. NOTA DA GRAVAÇÃO: 8,5 (Mestre Maciel).

1A - IMPÉRIO DA TIJUCA - Samba de letra descritiva e melodia clássica, com o encerramento das estrofes em tom menor (que predomina no samba, ainda que tenha alguns trechos em maior) e refrões fortes. E a letra é descritiva, porém a interpretação de Mauro Afonso no disco é irregular, não conseguindo dar às notas altas o ritmo pedido. Um samba com a cara da Império da Tijuca dos anos 70, só faltando mesmo a estilosa interpretação de Marinho da Muda, cuja voz cairia como uma luva para o samba tijucano de 74, da mesma maneira que nos clássicos da escola de 68, 70 e 71. NOTA DO SAMBA: 9 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

2A - UNIDOS DE BANGU - O pandeiro dá um gosto especial à faixa de Bangu, um samba-enredo animado de letra curta e refrões simples, bem característico dos anos 70. Gostosinha de ouvir a lembrança de quando o Rio tinha o apelido de Pé-de-Moleque. NOTA DO SAMBA: 8,3 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

3A - UNIDOS DA TIJUCA - Show duplo do cavaco e de Pedrinho da Flor, autor de "Flor Serrana" e responsável por uma magistral interpretação no LP. Embora clássica, a melodia do samba-enredo de 1974 da Unidos da Tijuca também é valente. Arrisco-me a dizer que é um dos melhores registros fonográficos de um samba-enredo nos anos 70, já um grande avanço naqueles primeiros anos de Top-Tape, anos-luz à frente das precárias gravações dos primeiros discos do gênero. NOTA DO SAMBA: 9,4 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

4A - UNIDOS DO CABUÇU - Este samba, de tão leve, chega quase a ser infantil. Se assemelha à algumas obras dos Grupos de Acesso da primeira metade dos anos 80. De audição bastante agradável, ganha boa interpretação de Beto, uma das personalidades da escola, cantando nela até os tempos de Grupo Especial na segunda metade dos 80. NOTA DO SAMBA: 9,2 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

5A - TUIUTI - Samba que se mostra panfletário do regime militar vigente na época nos versos "Povo unido, só você/faz esse país crescer/avante exército brioso/deste Brasil novo (...) governo e povo unidos/um abraço fraternal/é isso minha gente/integração nacional". Acredito que não falavam do Brasil neste último trecho... O enredo exalta Jogos Olímpicos certamente locais, num evento ocorrido no Recife, já que a América do Sul ainda não teve o prazer de sediar uma Olimpíada. O samba, por si, é horroroso, de melodia chata e letra repleta de clichês. NOTA DO SAMBA: 5,7 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

6A - UNIDOS DA PONTE - Enredo que exalta o Rio de Janeiro e suas festas e costumes costuma resultar numa sucessão de clichês na letra. Neste samba da Ponte a história não é diferente. De um refrão só, as demais partes acabam por soarem retas. Destaque para a entrada do tamborim no início da segunda passada, que dá um brilho a mais para este samba-enredo apagado. NOTA DO SAMBA: 7,5 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

1B - UNIDOS DE LUCAS - O samba de Lucas é marcheado e sustentado por refrões para lá de animados. O central "Arrasta mulata/Sua sandália de ouro/Levanta poeira no asfalto/Mulata maior, meu tesouro" é um barato. Na gravação, agogô e cuíca aparecem com total destaque. NOTA DO SAMBA: 8,5 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

2B - UNIÃO DE JACAREPAGUÁ - Ouvindo sambas como este em homenagem à Dalva de Oliveira, percebemos o quanto que o samba-enredo mudou após mais de 30 anos. Um dos refrões é exatamente o trecho da famosa canção "Bandeira Branca", com algumas alterações. No mais, a descrição de Dalva na letra é bastante tradicional dos sambas dos anos 60. Só pra constar: a interpretação da cantora no samba-enredo no LP chega a ser bizarra de tão ruim com a sua voz de choro (ah, e o samba também é bizarro). NOTA DO SAMBA: 6,6 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

3B - TUPY DE BRÁS DE PINA - Uma das maiores obras-primas da história dos Grupos de Acesso. Com emoção tanto na letra quanto na melodia, a saga da sedutora escrava Fulô é cantada não só com simplicidade, como também com valentia. A singular beleza do samba da Tupy ajuda até um de seus autores. Mesmo com uma voz feia, Ariel consegue fazer uma boa interpretação no LP. Mas são daqueles sambas-enredo que qualquer cantor conseguiria dar show. Na minha opinião, é por muito, mas por muito pouco, inferior à outra obra-prima da Tupy de Brás de Pina cantada 13 anos antes: Seca no Nordeste. NOTA DO SAMBA: 10 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

4B - LINS IMPERIAL - A primeira parte é grande, com letra descritiva e melodia pesada, em tom menor. Estilo muito comum nos anos 60. O mais estranho é que em seguida aparecem três refrões, quase que e forma consecutiva. É uma estrutura que hoje não vemos mais nos sambas-enredo, evidentemente. Sobre o samba, passa despercebido no LP. NOTA DO SAMBA: 7,7 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

5B - CORDOVIL - Mais um samba sustentado por refrões. O conjunto melódico, embora seja agradável, diversifica a cada trecho, deixando o resultado final um tanto insatisfatório. A faixa da Cordovil, por si, é bastante swingada. O banjo que aparece de fundo reforça tal swing. NOTA DO SAMBA: 7,8 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

6B - SANTA CRUZ - Samba-enredo em que prolifera um singular lirismo, tanto na melodia quanto na sua execução. O coral da escola valoriza cada verso e a cadência com que é cantado "Rouxinol da Canção" é de uma delícia só. Mesmo sem nenhum refrão, seu conjunto melódico é impecável, bem como a poesia na letra. Outra gravação formidável do LP do Acesso-74 para este que é, indiscutivelmente, um dos melhores sambas da história da tradicional Acadêmicos de Santa Cruz. NOTA DO SAMBA: 9,7 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba

7B - UNIÃO DA ILHA - Primeiro registro fonográfico de um dos maiores intérpretes da história do carnaval: Aroldo Melodia. "Lendas e Festas das Yabás", belíssimo samba que mistura valentia com lirismo, ajudou a União da Ilha na sua apresentação às grandes escolas de samba do Rio de Janeiro e impulsionou o carisma e o carinho que a agremiação adquiriria pouco tempo depois. Detalhe que foi com este samba que a escola conquistou o seu primeiro título no carnaval carioca: o Grupo de Acesso de 1974 (o segundo viria em 2009). NOTA DO SAMBA: 9,8 (Mestre Maciel). Clique aqui para ver a letra do samba